Evangelho do Dia – quinta-feira, 09/07/2020

Tempo de leitura: 7 minutos

Evangelho do Dia de quinta-feira, 9 de julho de 2020.

Confira aqui o Evangelho do dia dos Católicos em nosso site. Você também pode receber diariamente a Liturgia do Dia de hoje e também o Salmo do Dia através do nosso portal.

O Evangelho do Dia

Evangelho do Dia

O evangelho é a história de Jesus Cristo e todos os seus princípios. O evangelho é cada um dos quatro principais livros do Novo Testamento. São eles: João, Lucas, Marcos e Mateus.

O evangelho do dia é um trecho de cada um destes livros. O evangelho faz parte da liturgia diária que é a leitura das missas.

O Evangelho do Dia na Igreja Católica

Na liturgia diária, temos o Leitura da Palavra, o Salmo e o Evangelho. Sendo assim, o evangelho do dia é a terceira das três partes que compõe a liturgia diária nas missas.

A palavra “evangelho” é uma das mais conhecidas entre os cristãos, porém, o seu conceito ainda é pouco difundido. Evangelho vem do grego que significa “boas-novas”. Desse modo, evangelizar, é levar a palavra de Jesus Cristo ao mundo.

Reflexão do Evangelho do Dia

O Evangelho hoje apresenta a segunda parte do envio dos discípulos. Ontem, vimos que Jesus insiste em direcioná-los primeiro para as ovelhas perdidas de Israel. Hoje, vemos instruções concretas para cumprir a missão.

Mateus 10: 7: O objetivo da missão: revelar a presença do Reino. “Vá e anuncie que o Reino dos Céus está próximo.” O principal objetivo é o de anunciar que o Reino está próximo. Esta é a novidade que Cristo nos traz. Para os outros judeus, ainda havia muito tempo antes da vinda do Reino. Isso só aconteceria depois que eles fizessem sua própria parte. A vinda do Reino dependia, segundo eles, de seus esforços. Para os fariseus, por exemplo, o Reino só seria alcançado após a perfeita observância da Lei. Para os essênios, quando o país se purificaria. Mas Jesus pensa de uma maneira diferente. Ele tem uma maneira diferente de ler os fatos da vida. Ele diz que a hora já chegou (Mc 1:15). Quando Ele diz que o Reino está próximo, ou que o Reino já está entre nós, em nosso meio, Ele não quer dizer que o Reino está apenas chegando naquele momento, mas que já está lá, independentemente do esforço. feito pelo povo. O que todos eles esperavam já estava presente entre o povo, gratuitamente, mas o povo não o conhecia, nem o percebia (cf. Lc 17:21). Jesus está ciente disso, porque vê a realidade com olhos diferentes. Ele revela e anuncia aos pobres de Sua terra esta presença oculta do Reino em nosso meio (Lc 4:18). É a semente de mostarda que receberá a chuva da Sua palavra e o calor do Seu amor.

Mateus 10: 8: Os sinais da presença do Reino: aceite os excluídos. Como deve ser anunciada a presença do Reino? Somente através de palavras e discursos? Não! Os sinais da presença do Reino são, acima de tudo, gestos ou atos concretos, feitos gratuitamente: “Cura os enfermos, ressuscita os mortos, purifica os leprosos, expulsa os demônios. Você recebeu sem custo; dê sem encargos. ” Isso significa que os discípulos devem aceitar dentro da comunidade aqueles que foram excluídos. Essa prática de solidariedade critica a religião e a sociedade, que excluem e propõem soluções concretas.

Mateus 10: 9-10: Não leve nada para a jornada. Ao contrário de outros missionários, os discípulos de Jesus não devem levar nada: “Não vos ofereçam ouro nem prata, nem tampões para suas bolsas, nem mochila para a viagem, nem túnica, calçado ou bastão, pois o trabalhador merece. sua fortaleza. Isso significa que eles precisam confiar na hospitalidade das pessoas. Os discípulos que ficam sem nada, tendo apenas a paz (Mc 10,13), mostram que confiam no povo. Mostra confiança na graça de Deus para agir nas pessoas e provê-las. É certo que eles serão bem-vindos, que poderão participar da vida e do trabalho das pessoas do lugar e que poderão sobreviver com o que receberão em troca, porque o trabalhador merece sua guarda. . Isso significa que os discípulos devem confiar em compartilhar. É também outra maneira de respeitar os pobres, não tirando deles e contrastando as Boas Novas com as leis da época que exigiam pagamento e impostos por tantas coisas. A estrutura social do dia foi construída sobre a tomada. Jesus constrói uma estrutura e uma comunidade edificadas livremente. Por meio dessa prática, eles criticam as leis da exclusão e recuperam os valores antigos da vida comunitária.

Mateus 10: 11-13: Compartilhar a paz na comunidade. Os discípulos não devem ir de casa em casa, mas devem buscar pessoas de paz e permanecer nessa casa. Ou seja, eles devem praticar a estabilidade. Assim, através dessa nova prática, eles criticam a cultura de acumulação que caracterizou a política do Império Romano e anunciaram um novo modelo de convivência. Uma vez respeitados todos esses requisitos, os discípulos poderiam gritar: O Reino de Deus chegou! Anunciar o Reino não significa, em primeiro lugar, ensinar verdades e doutrinas, mas levar a uma nova maneira fraterna de viver e compartilhar a partir das Boas Novas que Jesus nos trouxe: Deus, Pai e Mãe de todos. homem e mulher.

Mateus 10: 14-15: A severidade da ameaça. Como uma ameaça tão grave deve ser entendida? Jesus nos trouxe algo completamente novo. Ele veio para resgatar os valores comunitários do passado: hospitalidade, compartilhamento, comunhão em torno da mesa, aceitação dos excluídos. Isso explica a severidade para com aqueles que rejeitam a mensagem, porque eles não rejeitam algo novo, mas seu próprio passado, sua própria cultura e sabedoria! O objetivo da pedagogia de Jesus é desenterrar a memória, recuperar a sabedoria do povo, reconstruir a comunidade, renovar a Aliança, reconstruir a vida.

Evangelho Narrado

Nas missas, é comum que após a leitura o do evangelho, o celebrante faça um comentário ou reflexão relacionada ao evangelho do dia para os fiéis presentes. Esta reflexão não segue um roteiro ou texto e é feita de forma pessoal pelo celebrante como forma de explicar o evangelho, mas também trazê-lo para os dias atuais do nosso dia a dia.

A História do Evangelho do Dia

A Bíblia Sagrada é composta por quatro evangelhos. Cada um escrito por seus evangelistas São Mateus, São Marcos, São João e São Lucas.

Cada um dos evangelistas tinha um modo particular de escrever e tinham uma narrativa própria, mas apesar disso, os quatro evangelhos se cruzam e se completam numa perfeita simetria.

Os evangelhos narram a história da vida e morte de Jesus Cristo descrevendo todos os fatos pertinentes à sua vida, bem como seus ensinamentos, formando assim a doutrina cristã.

Estes quatro evangelhos foram reconhecidos e legitimados pelo Cristianismo sendo acolhidos como os primeiros livros do Novo Testamento da Bíblia e nomeados de “Evangelhos Canônicos”.

O Evangelho do Dia na Missa

O evangelho é parte integrante da liturgia do dia em todas as missas. O evangelho é único para cada dia do ano, sendo assim, em um determinado dia, o evangelho é o mesmo em qualquer igreja católica no mundo.

Após a leitura do evangelho do dia, o padre ou celebrante presente faz uma reflexão sobre o que foi lido para que se tenha um melhor entendimento dos acontecimentos narrados e nos trazer os ensinamentos de Deus.

O Dever de Evangelizar

Cada cristão na terra tem a missão de evangelizar ou seja, de levar a boa-nova, a palavra de Deus aos quatro cantos da terra. Jesus Cristo é o caminho para a salvação, portanto, evangelizar é salvar.

Como católicos, temos a obrigação não só de ler o evangelho do dia, mas também de levar a palavra para outras pessoas. O objetivo é que o evangelho nos traga ensinamentos mas também que possamos levar estes ensinamentos adiante.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.