Liturgia Diária – segunda-feira, 29/06/2020

Tempo de leitura: 8 minutos

Liturgia diária de segunda-feira, 29 de junho de 2020.

Confira diariamente a Liturgia Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho do dia e Salmo. Você também pode acompanhar diariamente o Salmo do Dia aqui no Mundo dos Católicos.

A liturgia diária

Liturgia Diária

Para os católicos, a liturgia é uma forma de renovação do sacrifício de Jesus Cristo para a salvação da humanidade. A liturgia diária são as lembranças de Jesus e da salvação trazendo para os cristãos uma reflexão que pode ser inserida em suas vidas.

A liturgia diária vem do grego derivado de duas palavras. A primeira “Leito” que significa: público. E a segunda palavra “Ergos” que significa: aquele que faz um trabalho público para o povo. A Liturgia é entendida como uma cerimônia estabelecida previamente segundo a tradição da igreja católica.

A Liturgia Diária na Igreja Católica

Apesar da palavra “liturgia” já ser comum na antiguidade, foi apenas depois dos séculos VIII e IX que a liturgia começou a ser utilizada pela igreja grega e passando a fazer parte da igreja católica alguns séculos depois, or volta de XVI.

A liturgia diária é sempre usada nas missas e existe uma liturgia para cada dia do ano. A liturgia diária é formada por 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Em alguns dias, também podem haver duas ou mais Leituras.

Reflexão

A Igreja, ao longo dos tempos, foi odiada, incompreendida, caluniada, ridicularizada e até atacada. Embora às vezes o ridículo e a repreensão sejam resultado das falhas pessoais de Seus membros, na maioria das vezes a Igreja tem sido e continua sendo perseguida porque recebemos a missão de proclamar de forma clara, compassiva, firme e autoritária, com a voz de O próprio Cristo, a verdade que liberta e liberta todas as pessoas para viverem em unidade como filhos de Deus.

Ironicamente, e infelizmente, existem muitos neste mundo que se recusam a aceitar a Verdade. Muitos, ao contrário, crescem com raiva e amargura enquanto a Igreja vive Sua missão divina.

Qual é essa missão divina da Igreja? Sua missão é ensinar com clareza e autoridade, derramar a graça e misericórdia de Deus nos sacramentos, e pastorear o povo de Deus para levá-los ao céu. Foi Deus quem deu à Igreja essa missão e Deus que capacita a Igreja e Seus ministros a executá-la com coragem, ousadia e fidelidade.

A solenidade de hoje é uma ocasião muito apropriada para refletir sobre esta missão sagrada. Os santos Pedro e Paulo não são apenas dois dos maiores exemplos da missão da Igreja, mas também são o fundamento real sobre o qual Cristo estabeleceu essa missão.

Primeiro, o próprio Jesus no Evangelho de hoje disse a Pedro: “E eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta Rocha edificarei minha Igreja, e os portões do mundo subterrâneo não prevalecerão contra ela. Eu lhe darei as chaves do Reino dos Céus. Tudo o que você ligar na terra será ligado no céu; tudo o que você perder na terra será solto no céu. ”

Nesta passagem do Evangelho, “as Chaves do Reino dos Céus” são dadas ao primeiro papa da Igreja. São Pedro, o encarregado da liderança divina da Igreja na Terra, recebe a autoridade para nos ensinar tudo o que precisamos saber para alcançar o Céu. Está claro desde os primórdios da Igreja que Pedro transmitiu essas “Chaves do Reino”, essa “capacidade de vincular e soltar autoritariamente”, esse dom divino que hoje é chamado de infalibilidade ao seu sucessor e ele ao seu sucessor. sucessor e assim por diante até hoje.

Muitos se zangam com a Igreja por proclamar com clareza, confiança e autoridade a verdade libertadora do Evangelho. Isto é especialmente verdade na área da moralidade. Muitas vezes, quando essas verdades são proclamadas, a Igreja é atacada e chamada todo tipo de nome calunioso no livro.

A principal razão pela qual isso é tão triste não é tanto que a Igreja seja atacada; Cristo sempre nos dará a graça de que precisamos para suportar a perseguição. A principal razão pela qual isso é tão triste é que, na maioria das vezes, aqueles que estão com mais raiva são, de fato, aqueles que precisam conhecer mais a verdade libertadora. Todo mundo precisa da liberdade que vem somente em Cristo Jesus e da verdade plena e inalterada do Evangelho que Ele já nos confiou nas Escrituras e que continua a nos esclarecer por meio de Pedro na pessoa do Papa. Além disso, o Evangelho nunca muda, a única coisa que muda é a nossa compreensão cada vez mais profunda e clara deste Evangelho. Graças a Deus por Pedro e por todos os seus sucessores que servem a Igreja neste papel essencial.

São Paulo, o outro apóstolo que honramos hoje, não recebeu as chaves de Pedro, mas foi chamado por Cristo e fortalecido por sua ordenação como apóstolo dos gentios. São Paulo, com muita coragem, viajou pelo Mediterrâneo para levar a mensagem a tudo o que conheceu. Na Segunda Leitura de hoje, São Paulo disse sobre suas jornadas: “O Senhor ficou ao meu lado e me deu forças, para que através de mim a proclamação fosse concluída e todos os gentios pudessem ouvir” o Evangelho. E, embora sofresse, fosse espancado, aprisionado, ridicularizado, incompreendido e odiado por muitos, ele também era um instrumento de verdadeira liberdade para muitos. Muitas pessoas responderam às suas palavras e exemplo, entregando radicalmente suas vidas a Cristo. Devemos o estabelecimento de muitas novas comunidades cristãs aos esforços incansáveis ​​de São Paulo. Ao enfrentar a oposição do mundo, Paulo disse na epístola de hoje: “Fui resgatado da boca do leão. O Senhor me resgatará de toda ameaça maligna e me trará a salvo para o seu reino celestial. ”

São Paulo e São Pedro pagaram pela fidelidade às missões com a própria vida. A Primeira Leitura falou da prisão de Pedro; as epístolas revelam as dificuldades de Paulo. No final, ambos se tornaram mártires. O martírio não é algo ruim se é o evangelho pelo qual você é martirizado.

Jesus diz no evangelho: “Não tema quem pode amarrar sua mão e pé; antes, tema aquele que pode jogá-lo na Geena.” E o único que pode jogá-lo na Gehenna é você mesmo por causa das escolhas livres que você faz. Em última análise, tudo o que precisamos temer é vacilar da verdade do Evangelho em nossas palavras e ações.

A verdade deve ser proclamada em amor e compaixão; mas o amor não é amor nem a compaixão é compassiva se a verdade da vida de fé e moral não estiver presente.

Nesta festa dos santos Pedro e Paulo, que Cristo dê a todos nós, e a toda a Igreja, a coragem, a caridade e a sabedoria de que precisamos para continuar a ser os instrumentos que libertam o mundo.

Senhor, agradeço-lhe o dom de sua igreja e o evangelho libertador que ela prega. Ajuda-me a ser sempre fiel às verdades que proclama por meio de sua igreja. E me ajude a ser um instrumento dessa verdade para todos que dela precisam. Jesus eu confio em vós.

Liturgia Diária com Reflexão

Além da liturgia diária, é comum que nas missas o padre ou celebrante na ocasião, faça uma reflexão das palavras do evangelho do dia. Esta reflexão é feita em geral por livre interpretação, não seguindo um texto pré-definido.

A História da Liturgia Diária

O ponto principal da liturgia é o Mistério Pascal, descrevendo a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo e a sua ascensão ao céus, ao reino de Deus.

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A Liturgia Diária na Missa

A liturgia faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A liturgia diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Utilizada nas missas, a liturgia também pode ser utilizada em outras celebrações. E também pode ser usada em outros momentos como em Grupos de Orações ou para meditar a Palavra do Dia.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é o domingo. É neste dia que os católicos devem ir obrigatoriamente à missa como forma de cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica.

Dessa forma, a liturgia diária é a ação do povo de Deus em uniformidade. Durante a celebração da missa, a liturgia diária pode ser praticada através de gestos, sinais ou palavras.

A Liturgia nos dias de hoje

A Liturgia diária é vista por muitos como sendo um rito que trás uma certa formalização da missa, mas o verdadeiro significado é exatamente o contrário. A liturgia vem para fazer com que os cristãos reflitam as palavras e busquem trazê-las para a sua vida e para os seu dia a dia como forma de viver a Palavra de Deus não apenas na missa mas também na vida cotidiana.

A liturgia vem mostrar o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. A liturgia vem nos trazer orientações de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.