Liturgia Diária – 13ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (02/07/2024)

Liturgia Diária de Hoje

Liturgia Diária de Terça-feira, 2 de julho de 2024.

Confira diariamente a Liturgia Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho do dia e Oração do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Am 3,1-8; 4,11-12)

Leitura da Profecia de Amós

1 Ouvi, filhos de Israel, a palavra que disse o Senhor para vós e para todas as tribos que eu retirei do Egito: 2 “Dentre todas as nações da terra, somente a vós reconheci; por isso usarei o castigo por todas as vossas iniquidades. 3 Se duas pessoas caminham juntas, não é porque estão de acordo? 4 Se o leão ruge na selva, não é porque encontrou a presa? Se no covil rosna o filhote do leão, não é porque agarrou sua parte? 5 Acaso, sem armadilha, se prende uma ave no chão? Acaso dispara a armadilha, antes de capturar a presa? 6 Se ressoa na cidade o toque da trombeta, não fica a população apavorada? Se acontece uma desgraça na cidade, não foi o Senhor que fez? 7 Pois nada fará o Senhor Deus, que não revele o plano a seus servos, os profetas. 8 Ruge o leão, quem não terá medo? Falou o Senhor Deus, quem não será seu profeta? 4,11 Eu arrasei-vos, como arrasei Sodoma e Gomorra, e ficastes como um tição, retirado da fogueira; e, contudo, não voltastes para mim”, diz o Senhor. 12 “Por isso, assim te tratarei, Israel; e, porque sabes como te vou tratar, prepara-te, Israel, para ajustar contas com o teu Deus”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 5

— Na vossa justiça guiai-me Senhor!

— Não sois um Deus a quem agrade a iniquidade, não pode o mau morar convosco; nem os ímpios poderão permanecer perante os vossos olhos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sábado (13/07/2024)

— Detestais o que pratica a iniquidade e destruís o mentiroso. Ó Senhor, abominais o sanguinário, o perverso e enganador.

— Eu, porém, por vossa graça generosa, posso entrar em vossa casa. E, voltado reverente ao vosso templo, com respeito vos adoro.

Evangelho do Dia

Evangelho (Mt 8,23-27)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 23 Jesus entrou na barca, e seus discípulos o acompanharam. 24 E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia. 25 Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: “Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!” 26 Jesus respondeu: “Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé?” Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria. 27 Os homens ficaram admirados e diziam: “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Esta experiência causou uma grande impressão nos discípulos, o que é evidenciado pelo fato de estar registrada nos três Evangelhos Sinópticos. Vemos isso também nas palavras finais da história depois que Jesus acalmou a tempestade: “Os homens ficaram maravilhados e disseram: ‘Que homem é este, a quem até os ventos e o mar obedecem?’”

Tradicionalmente, esta história tem sido interpretada tanto como uma imagem da Igreja como um todo, como também como uma imagem da alma individual. O barco é uma imagem da Igreja através da qual nós, cristãos, navegamos nos perigos desta vida. Devemos permanecer na Igreja para sobreviver. Cada pessoa dentro do barco representa cada um de nós que é membro da Igreja. A violenta tempestade é uma imagem das muitas lutas pessoais que enfrentamos na vida, bem como das perseguições que a Igreja suportou e continuará a suportar até o fim dos tempos.

Leia mais:  Liturgia Diária – São Bento, abade, Memória, Quinta-feira (11/07/2024)

Quando a tempestade tomou conta do barco, Jesus estava dormindo. Mas Ele estava dormindo por um motivo. Ao olharmos para a história humana, especialmente a história da Igreja, encontramos muitas ocasiões em que Deus parecia ausente ou “adormecido” quando surgiram turbulências, perseguições e dificuldades. Muitas pessoas, senão todas, tiveram a mesma experiência em um momento ou outro da vida. À medida que os discípulos vivenciam esta tempestade, eles nos oferecem uma maneira ideal de orar quando somos tentados a desesperar na vida. Eles acordam Jesus e dizem: “Senhor, salva-nos! Estamos morrendo!” E embora Jesus os repreenda pela sua falta de fé e pelo seu medo, Ele também responde aos seus apelos e acalma a tempestade.

O que os discípulos deveriam ter feito neste caso? Deveriam ter confiado e permitido que Jesus continuasse dormindo? Embora nosso Senhor os tenha repreendido por falta de fé, esta história é principalmente uma revelação sobre a misericórdia de Deus quando somos tentados a temer. Deus sabe que às vezes todos nós sentiremos sobrecarregados e seremos tentados dessa forma. Ele sabe que nossa fé não é perfeita e por isso permitiu que Seus discípulos nos dessem esse exemplo. Assim, sempre que nos sentirmos sobrecarregados e com medo na vida, devemos clamar a Ele para nos salvar. Ele quer que nos voltemos para Ele.

Reflita hoje sobre esta oração dos discípulos. Se você achar que está enfrentando alguma crise pessoal, ou uma dificuldade familiar maior que permanece sem solução, ou está cada vez mais consciente de outras lutas que afligem a Igreja ou a sociedade como um todo, então tente imitar esta oração dos discípulos: “Senhor, salve nós! Estamos morrendo!” Embora estas palavras, à primeira vista, possam parecer palavras de desespero, na verdade são palavras de esperança e confiança. Eles nos apontam para Aquele que é a única fonte da paz que buscamos em nossas almas, famílias, na Igreja e em nosso mundo. Procure as muitas maneiras pelas quais você e outras pessoas experimentam a sensação de “perecer” e clame de todo o coração ao nosso Senhor para salvá-lo e a todos os que precisam.

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sexta-feira (12/07/2024)

Oração do Dia

Poderoso Senhor, estou maravilhado com o Teu poder divino e capacidade de acalmar perfeitamente as tempestades que afligem o Teu povo. Por favor, encha-me de esperança e humildade para que eu nunca hesite em recorrer a Ti em minhas necessidades e também clamar a Ti por Sua intervenção contínua na vida dos outros. Desperte, ó Senhor, e salve o Seu povo, pois realmente pereceremos sem Ti! Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Apesar da palavra “liturgia” já ser comum na antiguidade, foi apenas depois dos séculos VIII e IX que a liturgia começou a ser utilizada pela igreja grega e passando a fazer parte da igreja católica alguns séculos depois, por volta de XVI.

A Liturgia Diária é sempre usada nas missas e existe uma liturgia para cada dia do ano. A Liturgia Diária é formada por 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Em alguns dias, também podem haver duas ou mais Leituras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.