Liturgia Diária – 9º Domingo do Tempo Comum (02/06/2024)

Liturgia Diária de Hoje

Liturgia Diária de Domingo, 2 de junho de 2024.

Confira diariamente a Liturgia Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho do dia e Oração do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Dt 5,12-15)

Leitura do Livro do Deuteronômio

Assim fala o Senhor: 12“Guarda o dia de sábado, para o santificares, como o Senhor teu Deus te mandou.

13Trabalharás seis dias e neles farás todas as tuas obras.

14O sétimo dia é o do sábado, o dia do descanso dedicado ao Senhor teu Deus. Não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem teu escravo, nem tua escrava, nem teu boi, nem teu jumento, nem algum de teus animais, nem o estrangeiro que vive em tuas cidades, para que assim teu escravo e tua escrava repousem da mesma forma que tu.

15Lembra-te de que foste escravo no Egito e que de lá o Senhor teu Deus te fez sair com mão forte e braço estendido. É por isso que o Senhor teu Deus te mandou guardar o sábado”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 80 (81)

— Exultai no Senhor, a nossa força!

— Cantai salmos, tocai tamborim, harpa e lira suaves tocai! Na lua nova soai a trombeta, na lua cheia, na festa solene!

— Porque isso é costume em Jacó, um preceito do Deus de Israel; uma lei que foi dada a José, quando o povo saiu do Egito.

— Eis que ouço uma voz que não conheço: “Aliviei as tuas costas de seu fardo, cestos pesados eu tirei de tuas mãos. Na angústia a mim clamaste, e te salvei.

— Em teu meio não exista um deus estranho nem adores a um deus desconhecido! Porque eu sou o teu Deus e teu Senhor, que da terra do Egito te arranquei”.

2ª Leitura

Segunda Leitura (2Cor 4,6-11)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios

Irmãos: 6Deus, que disse: “Do meio das trevas brilhe a luz”, é o mesmo que fez brilhar a sua luz em nossos corações, para tornar claro o conhecimento da sua glória na face de Cristo.

Leia mais:  Liturgia Diária – São Bento, abade, Memória, Quinta-feira (11/07/2024)

7Ora, trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós.

8Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; 9perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; 10por toda parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos.

11De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte, por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Anúncio do Evangelho (Mc 2,23-3,6)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Vossa Palavra é a verdade; santificai-nos na verdade (cf. Jo 17,17b.a)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

23 Jesus estava passando por uns campos de trigo, em dia de sábado. Seus discípulos começaram a arrancar espigas, enquanto caminhavam.

24 Então os fariseus disseram a Jesus: “Olha! Por que eles fazem em dia de sábado o que não é permitido?”

25 Jesus lhes disse: “Por acaso, nunca lestes o que Davi e seus companheiros fizeram quando passaram necessidade e tiveram fome? 26 Como ele entrou na casa de Deus, no tempo em que Abiatar era sumo sacerdote, comeu os pães oferecidos a Deus, e os deu também aos seus companheiros? No entanto, só aos sacerdotes é permitido comer esses pães”.

27 E acrescentou: “O sábado foi feito para o homem, e não o homem para o sábado. 28 Portanto, o Filho do Homem é Senhor também do sábado”.

3,1 Jesus entrou de novo na sinagoga. Havia ali um homem com a mão seca. 2 Alguns o observavam para ver se haveria de curar em dia de sábado, para poderem acusá-lo. 3 Jesus disse ao homem da mão seca: “Levanta-te e fica aqui no meio!” 4 E perguntou-lhes: “É permitido no sábado fazer o bem ou fazer o mal? Salvar uma vida ou deixá-la morrer?” Mas eles nada disseram. 5 Jesus, então, olhou ao seu redor, cheio de ira e tristeza, porque eram duros de coração; e disse ao homem: “Estende a mão”. Ele a estendeu e a mão ficou curada. 6 Ao saírem, os fariseus, com os partidários de Herodes, imediatamente tramaram, contra Jesus, a maneira como haveriam de matá-lo.

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sábado (13/07/2024)

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Na santa Missa, assim que o sacerdote pronuncia as palavras da consagração, transformando o pão e o vinho no Corpo e Sangue, Alma e Divindade de Jesus Cristo Nosso Senhor, ele faz uma genuflexão, levanta-se e depois diz: “O mistério da fé.” O que é “o mistério da fé?” Muitas vezes, quando dizemos que algo é um mistério, queremos dizer que a conclusão está oculta, mas que existem certas pistas para ajudar a resolver o mistério. E uma vez resolvido o mistério, tudo fica claro e não é mais um mistério.

“O mistério da fé” é muito diferente. Essas palavras são pronunciadas na Missa imediatamente após a consagração, como forma de atrair os fiéis a um santo temor e espanto pelo que acabou de acontecer. Mas este mistério só pode produzir admiração se a realidade do que acabou de acontecer for compreendida através do dom da fé. Fé é conhecer e acreditar sem perceber a realidade diante de nós com nossos cinco sentidos ou através de dedução lógica. Em outras palavras, a fé produz o verdadeiro conhecimento de uma realidade espiritual que só pode ser conhecida, compreendida e acreditada através da experiência espiritual. Portanto, se assistirmos à Missa e tivermos sido dotados do conhecimento da fé, então, assim que ocorrer a consagração do pão e do vinho, gritaremos interiormente: “Meu Senhor e meu Deus!” Saberemos que Deus Filho está presente diante de nós de forma velada. Nossos olhos não percebem, nem nenhum dos nossos sentidos nos revela a grande realidade diante de nós. Não podemos deduzir racionalmente o que acabou de acontecer. Em vez disso, passamos a conhecer e a acreditar que o Filho de Deus, o Salvador do Mundo, está agora presente diante de nós na Sua plenitude, sob o véu do mero pão e do vinho.

Além da presença divina de nosso Senhor e nosso Deus, todo o Mistério da nossa Redenção se torna presente. São Papa João Paulo II diz-nos que neste momento existe uma “unidade no tempo” que liga o Mistério Pascal, isto é, a Vida, Morte e Ressurreição de Jesus, a cada momento em que a Eucaristia é celebrada e tornada presente através da palavras de consagração. E esta unidade entre cada Missa e o Mistério Pascal “leva-nos a um profundo espanto e gratidão” (Ecclesia de Eucharistia, n. 5). Você sente e experimenta esse profundo espanto e gratidão cada vez que assiste ao Santo Sacrifício da Missa? Você percebe, ao assistir à Missa e ao proferir as palavras de consagração, que todo o Mistério da sua redenção se torna presente diante de você, escondido dos seus olhos, mas visível à sua alma pela fé? Você entende que é Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, quem desce até nós para habitar conosco naquele momento neste glorioso Sacramento?

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sexta-feira (12/07/2024)

Reflita hoje sobre o mistério oculto, mas real, da fé. Deixe-se levar pela admiração pelo que você tem o privilégio de assistir. Deixe crescer a sua fé na Santíssima Eucaristia, estando aberto a um aprofundamento deste dom da fé através da visão espiritual e da crença. Contemple este grande Dom da Eucaristia com os olhos da fé e você será atraído pela admiração que Deus deseja conceder a você.

Oração do Dia

Meu sempre glorioso Senhor Eucarístico, creio que Tu estás aqui, presente no nosso mundo sob a forma de pão e de vinho, sempre que se celebra a Santa Missa. Encha-me com uma fé mais profunda neste Santo Dom, querido Senhor, para que eu possa ser levado à admiração e ao espanto cada vez que testemunho esta sagrada Consagração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Apesar da palavra “liturgia” já ser comum na antiguidade, foi apenas depois dos séculos VIII e IX que a liturgia começou a ser utilizada pela igreja grega e passando a fazer parte da igreja católica alguns séculos depois, por volta de XVI.

A Liturgia Diária é sempre usada nas missas e existe uma liturgia para cada dia do ano. A Liturgia Diária é formada por 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Em alguns dias, também podem haver duas ou mais Leituras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.