Liturgia Diária – 10ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (12/06/2024)

Homilia do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária de Quarta-feira, 12 de junho de 2024.

Acompanhe diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Confira as Leituras com a Reflexão do Evangelho de Hoje e Oração do dia. Acompanhe a Liturgia do dia no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (1Rs 18,20-39)

Leitura do Primeiro Livro dos Reis

Naqueles dias, 20 Acab convocou todos os filhos de Israel e reuniu os profetas de Baal no monte Carmelo. 21 Então Elias, aproximando-se de todo o povo, disse: “Até quando andareis mancando com os dois pés? Se o Senhor é o verdadeiro Deus, segui-o; mas, se é Baal, segui a ele”. O povo não respondeu uma palavra. 22 Então Elias disse ao povo: “Eu sou o único profeta do Senhor que resta, ao passo que os profetas de Baal são quatrocentos e cinquenta. 23 Deem-nos dois novilhos; que eles escolham um novilho e, depois de cortá-lo em pedaços, coloquem-no sobre a lenha, mas sem pôr fogo por baixo. Eu prepararei depois o outro novilho e o colocarei sobre a lenha e tampouco lhe porei fogo. 24 Em seguida, invocareis o nome de vosso deus e eu invocarei o nome do Senhor. O Deus que ouvir, enviando fogo, este é o Deus verdadeiro”. Todo o povo respondeu, dizendo: “Ótima proposição”. 25 Elias disse então aos profetas de Baal: “Escolhei vós um novilho e começai, pois sois maioria. E invocai o nome de vosso deus, mas não lhe ponhais fogo”. 26 Eles tomaram o novilho que lhes foi dado e prepararam-no. E invocavam o nome de Baal desde a manhã até ao meio-dia, dizendo: “Baal, ouve-nos!” Mas não se ouvia voz alguma e ninguém que respondesse. E dançavam ao redor do altar que tinham levantado. 27 Ao meio-dia, Elias zombou deles, dizendo: “Gritai mais alto, pois sendo um deus, tem suas ocupações. Porventura ausentou-se ou está de viagem; ou talvez esteja dormindo e é preciso que o acordem”. 28 Então eles gritavam ainda mais forte, e retalhavam-se, segundo o seu costume, com espadas e lanças, até o sangue escorrer. 29 Passado o meio-dia, entraram em transe até a hora do sacrifício vespertino. Mas não se ouviu voz nenhuma, nem resposta nem sinal de atenção. 30 Então Elias disse a todo o povo: “Aproximai-vos de mim”. Todo o povo veio para perto dele. E ele refez o altar do Senhor que tinha sido demolido. 31 Tomou doze pedras, segundo o número das doze tribos dos filhos de Jacó, a quem Deus tinha dito: “Teu nome será Israel”, 32 e edificou com as pedras um altar ao nome do Senhor. Fez em redor do altar um rego, capaz de conter duas medidas de sementes. 33 Empilhou a lenha, esquartejou o novilho e colocou-o sobre a lenha, 34 e disse: “Enchei quatro talhas de água e derramai-a sobre o holocausto e sobre a lenha”. Depois, disse: “Outra vez”. E eles assim fizeram uma segunda vez. E acrescentou: “Ainda uma terceira vez”. E assim foi feito. 35 A água correu em volta do altar e o rego ficou completamente cheio. 36 Chegada a hora do sacrifício, o profeta Elias aproximou-se e disse: “Senhor, Deus de Abraão, de Isaac e de Israel, mostra hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo e que é por ordem tua que fiz estas coisas. 37 Ouve-me, Senhor, ouve-me, para que este povo reconheça que tu, Senhor, és Deus, e que és tu que convertes os seus corações!” 38 Então caiu o fogo do Senhor, que devorou o holocausto, a lenha, as pedras e a poeira, e secou a água que estava no rego. 39 Vendo isto, o povo todo prostrou-se com o rosto em terra, exclamando: “É o Senhor que é Deus, é o Senhor que é Deus!”

Leia mais:  Liturgia Diária – 15ª Semana do Tempo Comum, Sexta-feira (19/07/2024)

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 15 (16)

— Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

— Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! Digo ao Senhor: “Somente vós sois meu Senhor”.

— Multiplicam, no entanto, suas dores os que correm para os deuses estrangeiros; seus sacrifícios sanguinários não partilho, nem seus nomes passarão pelos meus lábios.

— Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, meu destino está seguro em vossas mãos! Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, pois se o tenho a meu lado não vacilo.

— Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado!

Evangelho do Dia

Evangelho (Mt 5,17-19)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Fazei-me conhecer vossa estrada, vossa verdade me oriente e me conduza! (Sl 24,4b.5a)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 17 “Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18 Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. 19 Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus”.

Leia mais:  Liturgia Diária – 15ª Semana do Tempo Comum, Sábado (20/07/2024)

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

A lei e os profetas, conforme encontrados no Antigo Testamento, consistem em três tipos. Primeiro, existem as leis morais, como os Dez Mandamentos, que se baseiam principalmente na lei natural de Deus. Por “lei natural”, queremos dizer que a nossa razão humana pode compreender a sua veracidade, tal como acontece com “Não matarás, não roubarás, etc.” Em segundo lugar, houve muitos preceitos litúrgicos que foram estabelecidos e praticados como preparação e prefiguração do seu cumprimento litúrgico final. O cumprimento encontra-se agora na vida sacramental da Igreja. Terceiro, havia vários preceitos legais que davam orientações específicas sobre a vida diária. Essas leis incluem instruções sobre alimentação, relações com outras pessoas, como tratar os estrangeiros, limpezas, purificações de utensílios, dízimo e muito mais.

No nosso Evangelho de hoje, Jesus diz essencialmente duas coisas. Primeiro, a respeito dos preceitos legais e litúrgicos, Ele diz que veio para “cumpri-los”. Assim, os cristãos não estão mais sujeitos a estas leis legais e litúrgicas do Antigo Testamento, na medida em que somos agora chamados a um cumprimento muito mais elevado de todas elas. Mas quanto às leis morais, especialmente aquelas encontradas nos Dez Mandamentos, nem um único preceito ensinado é abolido. Em vez disso, estes Mandamentos são aprofundados e o apelo à perfeição moral é agora muito mais claro. É por esta razão que Jesus continua dizendo: “Portanto, quem violar um destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar outros a fazê-lo, será chamado o menor no Reino dos céus. Mas quem obedecer e ensinar estes mandamentos será considerado o maior no Reino dos céus”.

É importante compreender que aqueles que viveram antes da época de Cristo não seguiam o mesmo padrão que temos hoje. Isso porque não desfrutaram do dom da graça que foi conquistado pela Cruz e concedido pelo Espírito Santo. Hoje temos muito mais e, por isso, somos chamados a uma vida de santidade muito maior. Por exemplo, já não celebramos a Páscoa como uma mera lembrança do que Deus fez ao libertar os israelitas da escravidão aos egípcios. Hoje celebramos a Nova Páscoa através da nossa participação na Sagrada Eucaristia, e a nossa “lembrança” vai além da simples recordação de uma memória antiga. A nossa recordação é aquela que nos permite participar realmente no sacrifício salvífico de Cristo. Participamos do acontecimento real e somos participantes da graça conquistada na Cruz cada vez que celebramos a Santa Missa. E quanto às leis morais do Antigo Testamento, elas se tornam o fundamento da moralidade. O limite superior agora é muito maior. Devemos amar nossos inimigos e orar por aqueles que nos perseguem. Devemos dar nossas vidas pelos outros e tomar nossas cruzes diariamente para seguir Jesus. Somos chamados à perfeição do amor sacrificial, e isso só é possível através da nossa participação na própria vida, morte e ressurreição de Cristo nosso Senhor.

Leia mais:  Liturgia Diária – 16º Domingo do Tempo Comum (21/07/2024)

Reflita hoje sobre o chamado elevado que nosso Senhor lhe deu. Não é suficiente simplesmente fazer o mínimo em nossa adoração e vida moral. Fazer isso pode permitir que você seja “o menor no Reino dos céus”, mas Deus quer que você compartilhe de Sua grandeza. Ele chama você para estar entre os “maiores no Reino dos céus”. Você entende sua alta vocação? Você tem a perfeição da santidade como seu objetivo? Comprometa-se com a plena participação na Nova Lei de Cristo e você será eternamente grato por ter feito isso.

Oração do Dia

Meu glorioso Senhor, Você veio para trazer nossas vidas à plenitude da graça e da santidade. Você nos chama às alturas do Céu. Ajude-me a ver meu chamado elevado, querido Senhor, e a trabalhar diligentemente para abraçar tudo o que Tu agora ordenas por Tua Nova Lei de graça e misericórdia. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.