Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (29/05/2024)

Reflexão do Evangelho do Dia

Liturgia Diária de Quarta-feira, 29 de maio de 2024.

Leia aqui diariamente a Liturgia do Dia dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Homilia Diária Comentada do Evangelho. Leia agora a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (1Pd 1,18-25)

Leitura da Primeira Carta de São Pedro

Caríssimos, 18 sabeis que fostes resgatados da vida fútil herdada de vossos pais, não por meio de coisas perecíveis, como a prata ou o ouro, 19 mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem mancha nem defeito. 20 Antes da criação do mundo, ele foi destinado para isso, e neste final dos tempos, ele apareceu, por amor de vós. 21 Por ele é que alcançastes a fé em Deus. Deus o ressuscitou dos mortos e lhe deu a glória, e assim, a vossa fé e esperança estão em Deus.

22 Pela obediência à verdade, purificastes as vossas almas, para praticar um amor fraterno sem fingimento. Amai-vos, pois, uns aos outros, de coração e com ardor. 23 Nascestes de novo, não de uma semente corruptível, mas incorruptível, mediante a palavra de Deus, viva e permanente.
24 Com efeito, “toda carne é como erva, e toda a sua glória como a flor da erva; secou-se a erva, cai a sua flor. 25 Mas a palavra do Senhor permanece para sempre”. Ora, esta palavra é a que vos foi anunciada no Evangelho.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 147 (147B)

— Glorifica o Senhor, Jerusalém!

— Glorifica o Senhor, Jerusalém!* Ó Sião, canta louvores ao teu Deus! Pois reforçou com segurança as tuas portas,* e os teus filhos em teu seio abençoou.

— a paz em teus limites garantiu* e te dá como alimento a flor do trigo. Ele envia suas ordens para a terra,* e a palavra que ele diz corre veloz

— Anuncia a Jacó sua palavra,* seus preceitos suas leis a Israel. Nenhum povo recebeu tanto carinho,* a nenhum outro revelou os seus preceitos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (17/06/2024)

Evangelho do Dia

Evangelho (Mc 10,32-45)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Veio o Filho do Homem, a fim de servir e dar sua vida em resgate por muitos. (cf. Mc 10,45)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 32 os discípulos estavam a caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia na frente. Os discípulos estavam espantados, e aqueles que iam atrás estavam com medo. Jesus chamou de novo os Doze à parte e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele: 33 “Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem vai ser entregue aos sumos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos. 34 Vão zombar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo. E depois de três dias ele ressuscitará”.

35 Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir”. 36 Ele perguntou: “O que quereis que eu vos faça?” 37 Eles responderam: “Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda, quando estiveres na tua glória!” 38 Jesus então lhes disse: “Vós não sabeis o que pedis. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber? Podeis ser batizados com o batismo com que vou ser batizado?” 39 Eles responderam: “Podemos”. E ele lhes disse: “Vós bebereis o cálice que eu devo beber, e sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado. 40 Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. É para aqueles a quem foi reservado”.

41 Quando os outros dez discípulos ouviram isso, indignaram-se com Tiago e João. 42 Jesus os chamou e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. 43 Mas, entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande, seja vosso servo; 44 e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos. 45 Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos”.

Leia mais:  Liturgia Diária – 10ª Semana do Tempo Comum, Sábado (15/06/2024)

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Tiago e João estavam se sentindo bastante ousados. A ousadia deles pode ter vindo, em parte, do fato de terem se familiarizado muito com a bondade de Jesus. Ele era diferente de qualquer outro, e Sua genuinidade era muito evidente para eles. Portanto, eles se permitiram cair na armadilha de considerar a bondade de Jesus garantida, buscando um favor egoísta de nosso Senhor. A resposta de Jesus é gentil e atenciosa e, no final, Tiago e João ficam um tanto humilhados pela tentativa de obter esse favor egoísta quando os outros discípulos ficam “indignados” a seu pedido.

Jesus resume assim a Sua resposta a estes discípulos: “…quem quiser ser grande, seja vosso servo; e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos”. Jesus, é claro, estava falando especialmente sobre si mesmo. Ele foi o maior e o primeiro entre eles. E por essa razão, Jesus humilhou-se como servo deles e “escravo de todos”. Normalmente, a ideia de ser escravo tem conotações muito negativas. A escravidão é um abuso da dignidade do outro. É uma forma de descartar a dignidade da pessoa. Mas, mesmo assim, Jesus diz que a maneira ideal de ser verdadeiramente grande é tornar-se escravo de todos.

Quando a escravidão literal é imposta a outra pessoa, isso é um grave abuso. Mas há outra forma de escravidão santa da qual Jesus fala. Para Jesus, uma escravidão santa é aquela em que nos entregamos ao outro de forma sacrificial por amor. E foi isso que Jesus fez com perfeição. Sua morte na cruz foi uma verdadeira morte física. Foi um sacrifício de Sua vida terrena, mas foi feito gratuitamente e com o propósito de libertar outros. Ao referir-se a Si mesmo, Jesus explica a Sua santa “escravidão” quando diz: “Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos”.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11º Domingo do Tempo Comum (16/06/2024)

A grandeza de Jesus é encontrada primeiro no simples fato de que Ele é Deus. Mas a Sua grandeza torna-se mais manifesta na Sua natureza humana quando Ele dá a Sua vida “em resgate por muitos”. É a Cruz que se torna o maior ato de serviço amoroso já conhecido. O fruto do Seu sacrifício altruísta é a salvação de todos os que se voltam para Ele. Assim, Jesus transforma a escravidão e a morte no maior ato de amor já conhecido.

Reflita hoje sobre o seu próprio chamado para viver uma vida de santa escravidão. Como Deus está chamando você para se entregar sacrificialmente aos outros por amor? De um ponto de vista puramente humano, a ideia de sacrifício, de servidão e até de escravidão sagrada é difícil de compreender. Mas quando usamos Jesus como modelo, isso fica muito mais claro. Procure maneiras pelas quais você possa se entregar aos outros de forma altruísta e saiba que quanto mais você imitar nosso Senhor neste empreendimento sagrado, maior será sua vida.

Oração do Dia

Senhor de toda a santidade, Tua grandeza foi manifestada em Tua natureza humana por Teu ato de perfeita servidão quando Tu livremente escolheste morrer pelos pecados daqueles que se voltam para Ti em busca de redenção. Você se humilhou, assumindo a forma de escravo, para que todos pudessem ser libertados. Ajude-me a sempre confiar no Seu grande amor e a me abrir continuamente ao dom da redenção que Você oferece. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Além da Liturgia Diária, o padre ou celebrante faz, por livre interpretação, a Homilia Diária das palavras do Evangelho depois da sua leitura.

O ponto mais importante da liturgia é o Mistério Pascal que descreve a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo e a sua ascensão ao céus, ao reino de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *