Liturgia Diária – 25ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (26/09/2023)

Homilia de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Terça-feira, 26 de setembro de 2023.

Receba a Liturgia do Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Homilia Diária Hoje do evangelho e Oração do dia. Leia aqui a Liturgia de hoje no site Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Leitura do Livro de Esdras 6, 7-8.12.14-20

Leitura do Livro de Esdras:

Naqueles dias: 7O rei Dario escreveu ao governador do território da outra margem do rio Eufrates: ‘Deixa que prossigam os trabalhos no templo de Deus. Que o governador de Judá e os anciãos dos judeus edifiquem a casa de Deus no seu lugar. 8Também ordenei como se deve proceder com aqueles anciãos dos judeus que constroem aquela casa de Deus: com os bens do rei, deveis reembolsar religiosamente e sem interrupção aqueles homens por tudo o que gastarem. 12bEu, Dario, dei esta ordem. Que ela seja pontualmente executada!’ 14E os anciãos dos judeus continuaram a construir, com êxito, de acordo com a profecia de Ageu, o profeta, e de Zacarias, filho de Ado, e puderam terminar a construção conforme a ordem do Deus de Israel e as ordens de Ciro, de Dario e de Artaxerxes, reis da Pérsia. 15Esta casa de Deus foi concluída no terceiro dia do mês de Adar, no sexto ano do reinado de Dario. 16Os filhos de Israel, os sacerdotes, os levitas e o resto dos repatriados, celebraram com alegria a dedicação desta casa de Deus. 17Ofereceram, para a inauguração desta casa de Deus, cem touros, duzentos carneiros, quatrocentos cordeiros e, como sacrifício pelo pecado de todo o Israel, doze bodes, segundo o número das tribos de Israel. 18Estabeleceram também os sacerdotes, segundo suas categorias, e os levitas, segundo suas classes, para o serviço de Deus, em Jerusalém, como está escrito no livro de Moisés. 19Os deportados celebraram a Páscoa no dia catorze do primeiro mês. 20Como todos os levitas se haviam purificado, juntamente com os sacerdotes, estavam puros; e, assim, imolaram a Páscoa para todos os filhos do cativeiro, para os sacerdotes seus irmãos e para eles próprios.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (12/04/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 121 (122)

– Que alegria, quando me disseram: Vamos à casa Senhor!

– Que alegria, quando ouvi que me disseram: ‘Vamos à casa do Senhor!’ E agora nossos pés já se detêm, Jerusalém, em tuas portas.

– Jerusalém,cidade bem edificada num conjunto harmonioso; para lá sobem as tribos de Israel, as tribos do Senhor.

– Para louvar, segundo a lei de Israel, o nome do Senhor. A sede da justiça lá está e o trono de Davi.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 8, 19-21

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Feliz quem ouve e observa a palavra de Deus! (Lc 11,28);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo: 19A mãe e os irmãos de Jesus aproximaram-se, mas não podiam chegar perto dele, por causa da multidão. 20Então anunciaram a Jesus: ‘Tua mãe e teus irmãos estão aí fora e querem te ver.’ 21Jesus respondeu: ‘Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a Palavra de Deus, e a põem em prática.’

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

O termo “irmãos” nesta passagem obviamente não deve ser entendido como se Jesus tivesse irmãos de sangue. É um dogma da nossa fé que Jesus era o único filho de Maria. Naquela época, era prática comum referir-se à família extensa como “irmãos”. Isto teria se aplicado especialmente aos primos de Jesus e talvez até mesmo àqueles que não tinham parentesco de sangue, mas eram da mesma aldeia.

Quando esses parentes de Jesus ficaram do lado de fora e anunciaram sua presença, o que esperavam que Jesus fizesse? Seus “irmãos” poderiam estar lá para tentar colocar algum sentido nele. Sabemos por outras passagens dos Evangelhos que alguns membros da família extensa de Jesus pensavam que Ele estava louco. Portanto, é possível que estes irmãos estivessem lá para resolver um extenso conflito familiar que estava em erupção quando Jesus iniciou o Seu ministério público.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

A resposta de Jesus não foi uma resposta rude. Isto fica claro pelo fato de que Jesus viveu a perfeição da caridade. Mas a verdadeira caridade está sempre fundamentada na verdade. Jesus falou uma verdade que rompeu com os laços e conflitos meramente humanos que motivavam esses irmãos. Ao dizer: “Minha mãe e meus irmãos são aqueles que ouvem a palavra de Deus e agem de acordo com ela”, Jesus estava desafiando Seus irmãos a pararem de olhar para Ele apenas de uma forma terrena. Todos, inclusive Seus parentes, precisavam aprender a ver Jesus como o Filho do Pai Celestial. Foi o ato de aceitar a identidade divina de Jesus e de se submeter em obediência à vontade do Pai que estabeleceu um vínculo muito mais profundo com Ele. Esse é o relacionamento que Jesus desejava com Seus irmãos terrenos.

A mãe de Jesus, por outro lado, também era perfeita em todos os sentidos. Ela estava livre da desordem do pecado e até sua mente estava clara, cheia de perfeita sabedoria e compreensão. Portanto, quando lhe foi relatado o que Jesus disse, ela teria entendido e acreditado.

São Beda diz que quando ouvimos a palavra de Deus e a obedecemos, tornamo-nos a “mãe” de Jesus, trazendo-O ao mundo através das nossas palavras e ações. Isto também nos torna “irmãos” de Jesus, porque a nossa obediência nos torna todos filhos do Pai Celestial.

Pelo dom da plenitude da graça, a nossa Mãe Santíssima teria compreendido plenamente que a sua unidade com o seu Filho era principalmente o resultado da sua obediência partilhada à vontade do Pai. Ela não só experimentou a concepção do Filho de Deus no seu ventre, mas também teve a profunda experiência de concebê-lo no seu coração através da sua obediência à vontade do Pai. Essa “concepção” de Jesus dentro do seu Coração Imaculado teria sido para ela inequivocamente clara e a causa da sua maior alegria. Por isso, ela teria valorizado esta maternidade espiritual do seu Filho como o maior dom de todos, ainda mais do que o dom da maternidade natural.

Leia mais:  Liturgia Diária – Santo Estanislau, bispo e mártir - Memória – Quinta-feira (11/04/2024)

Reflita hoje sobre o fato de que você também é convidado a ser “mãe” e “irmão” de Jesus. Você participa desses santos chamados por meio da obediência à vontade do Pai. Quanto mais claramente você ouvir Deus falar e mais plenamente você obedecer a tudo o que Ele diz, determinará a profundidade da união espiritual que você terá com Ele. Nosso eu natural deve dar lugar à vida sobrenatural da graça. Faça a escolha, com nossa Mãe Santíssima, de buscar a vida gloriosa da graça para que você conceba o Filho de Deus em seu coração, se torne um verdadeiro filho do Pai Celestial e se torne um irmão ou irmã espiritual de nosso Senhor.

Oração do Dia

Meu divino Senhor, Seu amor por Sua mãe terrena foi perfeito em todos os sentidos. Esse vínculo terreno foi transformado e elevado pela Tua união espiritual com ela, por conta da Tua obediência mútua à vontade do Pai. Por favor, atraia-me para a Tua Família divina, ajudando-me a ouvir e a obedecer tudo o que o Pai fala. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A Liturgia Diária é vista por muitos como o momento formal da missa católica. Mas seu verdadeiro significado é fazer com que os cristãos reflitam as palavras e praticar seus ensinamentos no dia a dia.

A liturgia nos mostra o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, trazendo orientações de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *