Liturgia Diária – 4º Domingo da Quaresma (10/03/2024)

Homilia

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Domingo, 10 de março de 2024.

Confira diariamente a Liturgia do Dia dos Católicos em nosso site. Veja a Leitura e Homilia de Hoje do evangelho do dia e Oração do dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (2Cr 36,14-16.19-23)

Leitura do Segundo Livro das Crônicas:

Naqueles dias, 14 todos os chefes dos sacerdotes e o povo multiplicaram suas infidelidades, imitando as práticas abomináveis das nações pagãs, e profanaram o templo que o Senhor tinha santificado em Jerusalém.

15 Ora, o Senhor Deus de seus pais dirigia-lhes frequentemente a palavra por meio de seus mensageiros, admoestando-os com solicitude todos os dias, porque tinha compaixão do seu povo e da sua própria casa.

16 Mas eles zombavam dos enviados de Deus, desprezavam as suas palavras, até que o furor do Senhor se levantou contra o seu povo e não houve mais remédio.

19 Os inimigos incendiaram a casa de Deus e deitaram abaixo os muros de Jerusalém, atearam fogo a todas as construções fortificadas e destruíram tudo o que havia de precioso.

20 Nabucodonosor levou cativos para a Babilônia, todos os que escaparam à espada, e eles tornaram-se escravos do rei e de seus filhos, até que o império passou para o rei dos persas.

21 Assim se cumpriu a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias: “Até que a terra tenha desfrutado de seus sábados, ela repousará durante todos os dias da desolação, até que se completem setenta anos”.

22 No primeiro ano do reinado de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor pronunciada pela boca de Jeremias, o Senhor moveu o espírito de Ciro, rei da Pérsia, que mandou publicar em todo o seu reino, de viva voz e por escrito, a seguinte proclamação:

23 “Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, deu-me todos os reinos da terra, e encarregou-me de lhe construir um templo em Jerusalém, que está no país de Judá. Quem dentre vós todos pertence ao seu povo? Que o Senhor, seu Deus, esteja com ele, e que se ponha a caminho”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 136 (137)

— Que se prenda a minha língua ao céu da boca, se de ti, Jerusalém, eu me esquecer!

— Junto aos rios da Babilônia nos sentávamos chorando, com saudades de Sião. Nos salgueiros por ali penduramos nossas harpas.

— Pois foi lá que os opressores nos pediram nossos cânticos; nossos guardas exigiam alegria na tristeza: “Cantai hoje para nós algum canto de Sião!”

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sábado (20/04/2024)

— Como havemos de cantar os cantares do Senhor numa terra estrangeira? Se de ti, Jerusalém, algum dia eu me esquecer, que resseque a minha mão!

— Que se cole a minha língua e se prenda ao céu da boca, se de ti não me lembrar! Se não for Jerusalém minha grande alegria!

2ª Leitura

Segunda Leitura (Ef 2,4-10)

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios:

Irmãos: 4 Deus é rico em misericórdia. Por causa do grande amor com que nos amou, 5 quando estávamos mortos por causa das nossas faltas, ele nos deu a vida com Cristo. É por graça que vós sois salvos!

6 Deus nos ressuscitou com Cristo e nos fez sentar nos céus, em virtude de nossa união com Jesus Cristo. 7 Assim, pela bondade que nos demonstrou em Jesus Cristo, Deus quis mostrar, através dos séculos futuros, a incomparável riqueza de sua graça.

8 Com efeito, é pela graça que sois salvos, mediante a fé. E isso não vem de vós; é dom de Deus! 9 Não vem das obras, para que ninguém se orgulhe. 10 Pois é ele quem nos fez; nós fomos criados em Jesus Cristo para as obras boas, que Deus preparou de antemão, para que nós as praticássemos.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Anúncio do Evangelho (Jo 3,14-21)

— Louvor e honra a vós, Senhor Jesus.

— Tanto Deus amou o mundo, que lhe deu seu Filho único; todo aquele que crer nele, há de ter a vida eterna. (Jo 3,16)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a Nicodemos: 14 “Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15 para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. 16 Pois Deus amou tanto o mundo, que deu o seu Filho unigênito, para que não morra todo o que nele crer, mas tenha a vida eterna.

17 De fato, Deus não enviou o seu Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por ele.

18 Quem nele crê, não é condenado, mas, quem não crê, já está condenado, porque não acreditou no nome do Filho unigênito.

19 Ora, o julgamento é este: a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque suas ações eram más.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (19/04/2024)

20 Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima da luz, para que suas ações não sejam denunciadas. 21 Mas, quem age conforme a verdade, aproxima-se da luz, para que se manifeste que suas ações são realizadas em Deus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

A linha citada acima conclui um diálogo que Jesus teve com Nicodemos, um fariseu e membro do Sinédrio. Esta é a primeira das três vezes que Nicodemos é mencionado no Evangelho de João. A segunda vez que ele aparece é quando lembra aos outros membros do Sinédrio que um homem deve ser ouvido primeiro antes de ser condenado. A terceira vez foi quando Jesus foi morto e Nicodemos trouxe uma mistura de mirra e aloés para preparar o corpo de Jesus para o sepultamento.

Jesus não foi aceito pela maioria dos fariseus e dentro do Sinédrio. Por esse motivo, Nicodemos corria um risco ao ir até ele à noite para conversar. Mas Jesus sente claramente a fé no coração de Nicodemos, e é por isso que quando Nicodemos pergunta a Jesus sobre o Seu ensino, Jesus lhe responde. Ao contrário dos outros fariseus, Nicodemos não estava tentando armar uma armadilha para nosso Senhor; ele sinceramente queria entender.

No início deste diálogo entre Jesus e Nicodemos, Nicodemos professa o início da fé em Jesus quando diz: “Rabi, sabemos que és um mestre que veio de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes. se Deus não estiver com ele” (João 3:2). Curiosamente, Jesus então fala com Nicodemos em figuras de linguagem, dizendo que alguém só pode entrar no Reino de Deus quando “nasce do alto” e “nasce da água e do Espírito”. Nicodemos tenta entender, mas não consegue. Jesus então o repreende gentilmente, dizendo: “Você é o mestre de Israel e não entende isso?” (João 3:10). Jesus então prossegue falando em linguagem simbólica e figuras de linguagem, concluindo com o início do Evangelho de hoje citado acima, quando Ele fala de forma velada sobre Sua crucificação vindoura.

Uma coisa que é importante compreender deste diálogo entre Jesus e Nicodemos é que a linguagem de Jesus está velada numa linguagem simbólica porque, embora Nicodemos estivesse no caminho certo, ele ainda não estava pronto para a revelação plena do Evangelho. Ele ainda não conseguia compreender completamente tudo o que nosso Senhor veio revelar. Assim, Jesus falou em linguagem velada e convidou Nicodemos a continuar buscando o seu significado oculto.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

Em nossas próprias vidas, podemos chegar a Deus e querer que Ele fale conosco de forma clara e definitiva, revelando Sua vontade perfeita para nossas vidas. Mas muitas vezes Ele não o faz. Por que? Porque Deus sabe que ainda não estamos prontos para a verdade plena. Quando Ele fala conosco e quando obtemos discernimento de uma forma ou de outra, isso é bom e revela que estamos no caminho certo. Mas o Evangelho, na sua plenitude, é tão radical e tão exigente que a maioria das pessoas ainda não está preparada para a verdade plena. Portanto, em Sua compaixão, Deus nos dá apenas aquilo com que podemos lidar no momento. Mas esta humilde verdade deveria encorajar-nos, como fez com Nicodemos, a não desistir e a continuar a abrir-nos à plenitude da Palavra de Deus.

Reflita hoje sobre o quão aberto você está à plenitude da Palavra de Deus. O que aconteceria se Deus revelasse a você, por meio de uma revelação pessoal imediata do conhecimento divino, tudo o que estava em Sua mente sagrada? Seria demais para você aguentar? Sim, seria. Mas essa humilde admissão é um passo importante em direção a esse objetivo. Humilhe-se, hoje, mais plenamente diante da misteriosa Palavra de Deus e ore para que você continue a ser mudado e aberto para que a clareza da verdade de Deus penetre mais plenamente em sua alma.

Oração do Dia

Meu ensinamento, Senhor, Sua sagrada Verdade é tão profunda, tão profunda e tão transformadora que ainda é demais para eu compreender e abraçar completamente. Por essa razão, agradeço-te pela misericórdia de falar comigo de forma velada, de modo a me aprofundar continuamente na minha fé e no conhecimento de ti. Por favor, continue a abrir minha mente e coração para Você para que, um dia, eu entenda Sua Verdade mais plenamente. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A Liturgia Diária é vista por muitos como sendo um rito que traz uma certa formalização da missa, mas o verdadeiro significado é exatamente o contrário. A liturgia vem para fazer com que os cristãos reflitam as palavras e busquem trazê-las para a sua vida e para os seu dia a dia como forma de viver a Palavra de Deus não apenas na missa mas também na vida cotidiana.

A liturgia vem mostrar o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. A liturgia vem nos trazer orientações de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *