Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (17/05/2024)

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Sexta-feira, 17 de maio de 2024.

Receba diariamente a Liturgia Diária Comentada dos Católicos em nosso portal. Acompanhe as Leituras de Evangelho do dia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 25,13b-21)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 13bo rei Agripa e Berenice chegaram a Cesaréia e foram cumprimentar Festo. 14Como ficassem alguns dias aí, Festo expôs ao rei o caso de Paulo, dizendo: “Está aqui um homem que Félix deixou como prisioneiro. 15Quando eu estive em Jerusalém, os sumos sacerdotes e os anciãos dos judeus apresentaram acusações contra ele e pediram-me que o condenasse. 16Mas eu lhes respondi que os romanos não costumam entregar um homem antes que o acusado tenha sido confrontado com os acusadores e possa defender-se da acusação.

17Eles vieram para cá e, no dia seguinte, sem demora, sentei-me no tribunal e mandei trazer o homem. 18Seus acusadores compareceram diante dele, mas não trouxeram nenhuma acusação de crimes de que eu pudesse suspeitar. 19Tinham somente certas questões sobre a sua própria religião e a respeito de um certo Jesus que já morreu, mas que Paulo afirma estar vivo. 20Eu não sabia o que fazer para averiguar o assunto. Perguntei então a Paulo se ele preferia ir a Jerusalém, para ser julgado lá. 21Mas Paulo fez uma apelação para que a sua causa fosse reservada ao juízo do Augusto Imperador. Então ordenei que ficasse preso até que eu pudesse enviá-lo a César”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 102 (103)

— O Senhor pôs o seu trono lá nos céus.

— Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e todo o meu ser, seu santo nome! Bendize, ó minha alma, ao Senhor, não te esqueças de nenhum de seus favores!

— Quanto os céus por sobre a terra se elevam, tanto é grande o seu amor aos que o temem; quanto dista o nascente do poente, tanto afasta para longe nossos crimes.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11º Domingo do Tempo Comum (16/06/2024)

— O Senhor pôs o seu trono lá nos céus, e abrange o mundo inteiro seu reinado. Bendizei ao Senhor Deus, seus anjos todos, valorosos que cumpris as suas ordens.

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 21,15-19)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— O Espírito Santo, o Paráclito, haverá de lembrar-vos de tudo o que tenho falado. (Jo 14,26)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Jesus manifestou-se aos seus discípulos 15e, depois de comerem, perguntou a Simão Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?” Pedro respondeu: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse: “Apascenta os meus cordeiros”.

16E disse de novo a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro disse: “Sim, Senhor, tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas”. 17Pela terceira vez, perguntou a Pedro: “Simão, filho de João, tu me amas?” Pedro ficou triste, porque Jesus perguntou três vezes se ele o amava. Respondeu: “Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo”. Jesus disse-lhe: “Apascenta as minhas ovelhas. 18Em verdade, em verdade te digo: quando eras jovem, tu te cingias e ias para onde querias. Quando fores velho, estenderás as mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres ir”.

19Jesus disse isso, significando com que morte Pedro iria glorificar a Deus. E acrescentou: “Segue-me”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Nisto, na terceira vez que Jesus apareceu aos Seus discípulos, Jesus inicia um tríplice discurso com Pedro. Cada vez que Jesus pergunta a Pedro se ele O ama, Pedro responde que sim. E Jesus responde todas as vezes: “Apascenta os meus cordeiros”, “Cuide de minhas ovelhas” e “Alimente minhas ovelhas”. A passagem citada acima conclui o discurso de Jesus com Pedro usando uma linguagem muito poderosa. Jesus diz a Pedro que quando ele envelhecer, “outra pessoa irá vesti-lo e levá-lo aonde você não quer ir”. Esta foi a maneira de Jesus dizer a Pedro que ele acabaria por expressar o seu amor por Jesus morrendo por Ele. Como sabemos, a tradição afirma que Pedro foi finalmente crucificado. E a pedido de Pedro, ele foi crucificado de cabeça para baixo porque se sentia indigno de morrer exatamente da mesma forma que Jesus morreu.

Leia mais:  Liturgia Diária – 10ª Semana do Tempo Comum, Sábado (15/06/2024)

Ao considerarmos esta conversa entre Jesus e Pedro, fica claro que a compreensão de Jesus sobre o amor é muito diferente da forma como muitos outros o entendem hoje. Jesus não estava apenas dizendo a Pedro que ele morreria por Jesus, mas Jesus estava claramente oferecendo Sua aprovação a esse ato de amor que Pedro um dia ofereceria. Na maioria das vezes, quando amamos alguém, faremos tudo o que pudermos para mantê-lo longe de tal destino. Na verdade, quando um ente querido sofre, muitas vezes fazemos tudo o que podemos para procurar uma forma de aliviá-lo desse sofrimento. Então, qual abordagem é mais amorosa?

Claramente, Jesus vê o sofrimento de forma diferente da maioria de nós. Para Jesus, o sofrimento não se opõe ao amor quando o sofrimento é livremente abraçado para um propósito superior. O sofrimento por si só não tem valor. Mas quando o sofrimento é abraçado sacrificialmente por amor ao outro, ele é capaz de assumir um poder tremendo. E quando Jesus ofereceu o Seu claro apoio a Pedro, que um dia morreria por amor a Jesus, Jesus estava se concentrando no mérito eterno que seria conquistado pela cruz de Pedro. O fato de Jesus não se esquivar do futuro sofrimento sacrificial de Pedro é um dos sinais mais claros do amor mais perfeito de Jesus por Pedro.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (17/06/2024)

Reflita hoje sobre sua atitude em relação aos sofrimentos que seus entes queridos enfrentam. Você acha que seu objetivo principal é livrá-los de seus sofrimentos? Ou você entende que até mesmo seus sofrimentos têm o potencial de se tornarem fonte de sua própria santidade e fonte de graça para os outros? Esforce-se para ver o sofrimento como Jesus o vê. Veja o amor sacrificial que se torna possível quando os seus entes queridos unem os seus sofrimentos à Cruz de Cristo e tente comprometer-se com a missão de ajudá-los a abraçar esse dom sagrado do amor.

Oração do Dia

Meu compassivo Jesus, em Teu grande amor por todos nós, desejas que unamos nossos sofrimentos à Tua Cruz para que todos os que sofrem compartilhem do Teu amor redentor. Dê-me a graça que preciso não apenas para abraçar meus próprios sofrimentos na vida por amor a Ti, mas também para ajudar aqueles a quem amo a viver sacrificialmente, abraçando as cruzes que carregam por amor. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A palavra “liturgia” já era comum nos tempos antigos, mas foi apenas depois dos séculos VIII e IX que a liturgia começou a ser usada pela igreja grega e passando a fazer parte da igreja católica alguns séculos a seguir.

A Liturgia Diária é sempre usada nas missas e existe uma liturgia para cada dia do ano. A Liturgia Diária é dividida em 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Em alguns dias, podem haver duas ou mais Leituras também.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *