Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Quinta-feira (13/07/2023)

Reflexão do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Quinta-feira, 13 de julho de 2023.

Acompanhe diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Oração do dia e as Liturgias Diárias com reflexão. Leia aqui a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Gênesis 44,18-21.23-29; 45,1-5

Leitura do Livro do Gênesis:

Naqueles dias: 18Judá aproximou-se de José e, cheio de ânimo, disse: ‘Perdão, meu senhor, permite ao teu servo falar com toda a franqueza, sem que se acenda a tua cólera contra mim. Afinal, tu és como um faraó! 19Foi meu senhor quem perguntou a seus servos: ‘Ainda tendes pai ou algum outro irmão?’ 20E nós respondemos ao meu senhor: ‘Temos um pai já velho e um menino nascido em sua velhice, cujo irmão morreu; é o único filho de sua mãe que resta, e seu pai o ama com muita ternura’. 21E tu disseste a teus servos: ‘Trazei-o a mim, para que eu possa vê-lo’. 23b’Se não vier convosco o vosso irmão mais novo, não vereis mais a minha face’. 24Quando, pois, voltamos para junto de teu servo, nosso pai, contamos tudo o que o meu senhor tinha dito. 25Mais tarde disse-nos nosso pai: ‘Voltai e comprai para nós algum trigo’. 26E nós lhe respondemos: ‘Não podemos ir, a não ser que o nosso irmão mais novo vá conosco. De outra maneira, sem ele, não nos podemos apresentar àquele homem’. 27E o teu servo, nosso pai, respondeu: ‘Bem sabeis que minha mulher me deu apenas dois filhos. 28Um deles saiu de casa e eu disse: Um animal feroz o devorou! E até agora não apareceu. 29Se me levardes também este, e lhe acontecer alguma desgraça no caminho, fareis descer de desgosto meus cabelos brancos à morada dos mortos’ ‘. 45,1Então José não pôde mais conter-se diante de todos os que o rodeavam, e gritou: ‘Mandai sair toda a gente!’. E, assim, não ficou mais ninguém com ele, quando se deu a conhecer aos irmãos. 2José rompeu num choro tão forte, que os egípcios ouviram e toda a casa do Faraó. 3E José disse a seus irmãos: ‘Eu sou José! Meu pai ainda vive?’ Mas os irmãos não podiam responder-lhe nada, pois foram tomados de um enorme terror. 4Ele, porém, cheio de clemência, lhes disse: ‘Aproximai-vos de mim’. Tendo-se eles aproximado, disse: ‘Eu sou José, vosso irmão, a quem vendestes para o Egito. 5Entretanto, não vos aflijais, nem vos atormenteis, por me terdes vendido a este país. Porque foi para a vossa salvação que Deus me mandou adiante de vós, para o Egito’.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (19/04/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 104 (105)

– Lembrai as maravilhas do Senhor!

– Mandou vir, então, a fome sobre a terra e os privou de todo pão que os sustentava; um homem enviara à sua frente, José que foi vendido como escravo.

– Apertaram os seus pés entre grilhões e amarraram seu pescoço com correntes, até que se cumprisse o que previra, e a palavra do Senhor lhe deu razão.

– Ordenou, então, o rei que o libertassem, o soberano das nações mandou soltá-lo; fez dele o senhor de sua casa, e de todos os seus bens o despenseiro.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 10, 7-15

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Convertei-vos e crede no evangelho, pois o reino de Deus está chegando! (Mc 1,15);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9Não leveis ouro, nem prata, nem dinheiro nos vossos cintos; 10nem sacola para o caminho, nem duas túnicas, nem sandálias, nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz. l4Se alguém não vos receber, nem escutar vossa palavra, saí daquela casa ou daquela cidade, e sacudi a poeira dos vossos pés. 15Em verdade vos digo, as cidades de Sodoma e Gomorra serão tratadas com menos dureza do que aquela cidade, no dia do juízo.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Lembre-se de como Jesus condenou severamente os fariseus por sua dureza de coração. No Evangelho de Mateus, capítulo 23, Jesus emite sete “ai de vós” condenações desses fariseus por serem hipócritas e guias cegos. Essas condenações eram atos de amor da parte de Jesus, pois tinham o objetivo de chamá-los à conversão. Da mesma forma, no Evangelho de hoje, Jesus dá instruções aos Seus Doze sobre o que devem fazer se pregarem o Evangelho em uma cidade e forem rejeitados. Eles devem “sacudir o pó” de seus pés.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

Esta instrução foi dada no contexto de Jesus enviando os Doze às “ovelhas perdidas da casa de Israel” com a missão de pregar o Evangelho. Naquela época, eles deveriam ir até aqueles que já haviam recebido a mensagem da Lei de Moisés e dos profetas, mas agora deveriam anunciar que o Reino de Deus chegou. Jesus era o Messias prometido, e agora Ele estava aqui. E para aqueles da casa de Israel que rejeitaram Jesus, eles deveriam ser condenados por este ato profético de limpar a poeira de sua cidade dos pés dos apóstolos.

A princípio, isso pode parecer um pouco duro. Pode-se pensar que paciência, discussões contínuas, gentileza e coisas do gênero seriam mais eficazes. E embora esse possa ser o caso em muitas de nossas experiências hoje, permanece o fato de que Jesus deu essa ordem aos Doze.

Assim como a condenação dos fariseus, essa ação profética de enxugar o pó dos pés foi um ato de amor. Certamente, os apóstolos não deveriam fazer isso por uma raiva irracional. Eles não deveriam fazer isso porque seu orgulho foi ferido pela rejeição ou por causa de seu desdém por essas pessoas. Em vez disso, os apóstolos deveriam fazê-lo como uma forma de mostrar as consequências das ações dos habitantes da cidade. Quando essas cidades do povo escolhido rejeitaram o Messias prometido, elas precisavam entender as consequências. Eles precisavam saber que ao rejeitar os mensageiros, eles estavam rejeitando a graça salvadora do Evangelho.

Em primeiro lugar, é importante considerar aqueles de quem Jesus estava falando. Ele falava daqueles que “não querem receber” nem mesmo “escutar” a mensagem do Evangelho. Estes são aqueles que rejeitaram totalmente a Deus e Sua mensagem salvadora. Eles, por sua livre escolha, se separaram de Deus e de Seu santo Evangelho. Eles são teimosos, obstinados e de coração duro. Assim, é neste caso extremo, de fechamento total ao Evangelho, que Jesus instrui os Seus Apóstolos a partirem com este ato profético. Talvez ao ver isso feito, algumas pessoas experimentassem uma certa sensação de perda. Talvez alguns percebam que cometeram um erro. Talvez alguns experimentassem um santo sentimento de culpa e acabassem por abrandar o coração.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

Este ensinamento de Jesus também deve abrir seus olhos. Até que ponto você recebe e escuta a mensagem do Evangelho? Quão atentos estão ao anúncio salvador do Reino de Deus? Na medida em que você está aberto, as comportas da misericórdia de Deus fluem. Mas na medida em que você não é, a experiência da perda é encontrada.

Reflita, hoje, sobre a sua presença em uma dessas cidades. Considere as muitas maneiras pelas quais você tem se fechado para tudo o que Deus quer falar com você. Abra bem o seu coração, escute com a maior atenção, seja humilde diante da mensagem do Evangelho e esteja pronto para recebê-la e mudar a sua vida como você. Comprometa-se a ser um membro do Reino de Deus para que tudo o que Deus falar com você tenha um efeito transformador em sua vida.

Oração do Dia

Meu compassivo Senhor, Sua firmeza e castigos são um ato de Sua maior misericórdia para aqueles que são duros de coração. Por favor, abrande meu coração, querido Senhor, e quando eu for teimoso e fechado, por favor, repreenda-me em Seu grande amor para que eu sempre volte para Ti e Sua mensagem salvadora de todo o meu coração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *