Liturgia Diária – 4ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (30/01/2023)

Liturgia Diária

Liturgia Diária da 4ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira, 30 de janeiro de 2023.

Receba diariamente a Liturgia Diária Católica em nosso site. Acompanhe o Evangelho comentado de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Hebreus 11, 32-40

Leitura da Carta aos Hebreus:

Irmãos: 32Que mais devo dizer? Não teria tempo de falar mais sobre Gedeão, Barac, Sansão, Jefté, Davi, Samuel e os profetas. 33Estes, pela fé, conquistaram reinos, praticaram a justiça, foram contemplados com promessas, amordaçaram a boca dos leões, 34extinguiram o poder do fogo, escaparam do fio da espada, recobraram saúde na doença, mostraram-se valentes na guerra, repeliram os exércitos estrangeiros. 35Mulheres reencontraram os seus mortos pela ressurreição. Outros foram esquartejados, ou recusaram o resgate, para chegar a uma ressurreição melhor. 36Outros ainda sofreram a provação dos escárnios, experimentaram o açoite, as correntes, as prisões. 37Foram apedrejados, foram serrados, ou morreram a golpes de espada. Levaram vida errante, vestidos com pele de carneiro ou pêlos de cabra; oprimidos e atribulados, sofreram privações. 38Eles, de quem o mundo não era digno, erravam pelos desertos e pelas montanhas, pelas grutas e cavernas da terra. 39E, no entanto, todos eles, se bem que pela fé tenham recebido um bom testemunho, apesar disso não obtiveram a realização da promessa. 40Pois Deus estava prevendo, para nós, algo melhor. Por isso não convinha que eles chegassem à plena realização sem nós.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 30 (31)

– Fortalecei os corações, vós que ao Senhor vos confiais!

– Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, que reservastes para aqueles que vos temem! Para aqueles que em vós se refugiam, mostrando, assim, o vosso amor perante os homens.

– Na proteção de vossa face os defendeis bem longe das intrigas dos mortais. No interior de vossa tenda os escondeis, protegendo-os contra as línguas maldizentes.

– Seja bendito o Senhor Deus, que me mostrou seu grande amor numa cidade protegida!

– Eu que dizia quando estava perturbado: ‘Fui expulso da presença do Senhor!’ Vejo agora que ouvistes minha súplica, quando a vós eu elevei o meu clamor.

Leia mais:  Liturgia Diária – 1ª Semana da Quaresma, Sexta-feira (23/02/2024)

– Amai o Senhor Deus, seus santos todos, ele guarda com carinho seus fiéis, mas pune os orgulhosos com rigor.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 5, 1-20

– Aleluia, Aleluia, Aleluia.

– Um grande profeta surgiu entre nós, e Deus visitou o seu povo, aleluia (Lc 7,16);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo: 1Jesus e seus discípulos chegaram à outra margem do mar, na região dos gerasenos. 2Logo que saiu da barca, um homem possuído por um espírito impuro, saindo de um cemitério, foi ao seu encontro. 3Esse homem morava no meio dos túmulos e ninguém conseguia amarrá-lo, nem mesmo com correntes. 4Muitas vezes tinha sido amarrado com algemas e correntes, mas ele arrebentava as correntes e quebrava as algemas. E ninguém era capaz de dominá-lo. 5Dia e noite ele vagava entre os túmulos e pelos montes, gritando e ferindo-se com pedras. 6Vendo Jesus de longe, o endemoninhado correu, caiu de joelhos diante dele 7e gritou bem alto: ‘Que tens a ver comigo, Jesus, Filho do Deus altíssimo? Eu te conjuro por Deus, não me atormentes!’ 8Com efeito, Jesus lhe dizia: ‘Espírito impuro, sai desse homem!’ 9Então Jesus perguntou: ‘Qual é o teu nome?’ O homem respondeu: ‘Meu nome é ‘Legião’, porque somos muitos.’ 10E pedia com insistência para que Jesus não o expulsasse da região. 11Havia aí perto uma grande manada de porcos, pastando na montanha. 12O espírito impuro suplicou, então: ‘Manda-nos para os porcos, para que entremos neles.’ 13Jesus permitiu. Os espíritos impuros saíram do homem e entraram nos porcos. E toda a manada – mais ou menos uns dois mil porcos – atirou-se monte abaixo para dentro do mar, onde se afogou. 14Os homens que guardavam os porcos saíram correndo e espalharam a notícia na cidade e nos campos. E as pessoas foram ver o que havia acontecido. 15Elas foram até Jesus e viram o endemoninhado sentado, vestido e no seu perfeito juízo, aquele mesmo que antes estava possuído pela Legião. E ficaram com medo. 16Os que tinham presenciado o fato explicaram-lhes o que havia acontecido com o endemoninhado e com os porcos. 17Então começaram a pedir que Jesus fosse embora da região deles. 18Enquanto Jesus entrava de novo na barca, o homem que tinha sido endemoninhado pediu-lhe que o deixasse ficar com ele. 19Jesus, porém, não permitiu. Entretanto, lhe disse: ‘Vai para casa, para junto dos teus e anuncia-lhes tudo o que o Senhor, em sua misericórdia, fez por ti.’ 20Então o homem foi embora e começou a pregar na Decápole tudo o que Jesus tinha feito por ele. E todos ficavam admirados.

Leia mais:  Liturgia Diária – 1ª Semana da Quaresma, Quarta-feira (21/02/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Para a maioria das pessoas, tal encontro seria aterrorizante. Este homem cujas palavras estão registradas acima estava possuído por uma multidão de demônios. Ele morava nas encostas entre várias cavernas à beira-mar e ninguém queria chegar perto dele. Ele era um homem violento, gritando dia e noite, e todos os habitantes da cidade tinham medo dele. Mas quando este homem viu Jesus à distância, algo surpreendente aconteceu. Em vez de Jesus ficar apavorado com o homem, a multidão de demônios que possuía o homem ficou apavorada com Jesus. Jesus então ordenou aos muitos demônios que deixassem o homem e entrassem em um rebanho de cerca de dois mil porcos. O porco imediatamente desceu a colina para o mar e se afogou. O homem possuído voltou ao normal, ficando vestido e em seu juízo perfeito. Todos os que o viram ficaram maravilhados.

Claramente, este breve resumo da história não explica adequadamente o terror, trauma, confusão, sofrimento, etc., que este homem suportou durante os anos de sua possessão diabólica. E não explica adequadamente o grave sofrimento da família e amigos deste homem, bem como a desordem causada aos habitantes da cidade em decorrência de sua posse. Assim, para entender melhor essa história, é útil comparar o antes e o depois da experiência de todos os envolvidos. Era muito difícil para todos compreender como esse homem podia passar de possesso e louco para calmo e racional. Por essa razão, Jesus disse ao homem: “Vá para casa, para sua família e anuncie a eles tudo o que o Senhor em sua compaixão fez por você”. Imagine a mistura de alegria, confusão e descrença que sua família teria experimentado.

Leia mais:  Liturgia Diária – Cátedra de São Pedro, Apóstolo - Festa, Quinta-feira (22/02/2024)

Se Jesus pôde transformar a vida desse homem completamente possuído por uma legião de demônios, então ninguém jamais ficará sem esperança. Muitas vezes, especialmente dentro de nossas famílias e entre velhos amigos, existem aqueles que consideramos irredimíveis. Há aqueles que se desviaram tanto que parecem sem esperança. Mas uma coisa que essa história nos diz é que a esperança nunca se perde para ninguém – nem mesmo para aqueles completamente possuídos por uma multidão de demônios.

Reflita, hoje, sobre qualquer pessoa em sua vida que você tenha descartado. Talvez eles tenham machucado você repetidas vezes. Ou talvez tenham escolhido uma vida de pecado grave. Olhe para aquela pessoa à luz deste Evangelho e saiba que sempre há esperança. Esteja aberto para Deus agindo através de você de uma forma profunda e poderosa para que até mesmo a pessoa aparentemente mais irredimível que você conhece receba esperança através de você.

Oração do Dia

Meu Senhor mais poderoso, eu ofereço a você, neste dia, a pessoa que eu lembro que mais precisa de sua graça redentora. Que eu nunca perca a esperança em Tua capacidade de transformar suas vidas, de perdoar seus pecados e de trazê-los de volta a Ti. Usa-me, querido Senhor, para ser um instrumento da Tua misericórdia, para que eles venham a Te conhecer e experimentem a liberdade que Tu tanto desejas que eles recebam. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Nas missas, a Liturgia Diária também pode ser usada em outras celebrações da igreja, além de outros momentos como em Grupos de Orações por exemplo.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é a missa de domingo. Neste dia, os católicos devem ir à missa para cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica que diz “Ouvir Missa inteira nos domingos e festas de guarda”.

Deste modo, a Liturgia Diária é a ação do povo em uniformidade com Deus. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária pode ser praticada através de palavras, gestos ou sinais.

Foto de Mundo dos Católicos

Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não encontrou o que busca?

Faça uma busca abaixo.