Liturgia Diária – 6º Domingo do Tempo Comum (12/02/2023)

Homilia do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária do 6º Domingo do Tempo Comum, 12 de fevereiro de 2023.

Acompanhe diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Confira as Leituras com a Reflexão do Evangelho de Hoje e Salmo do dia. Acompanhe a Liturgia do dia no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Eclesiástico 15,16-21

Leitura do Livro do Eclesiástico:

16Se quiseres observar os mandamentos, eles te guardarão; se confias em Deus, tu também viverás. 17Diante de ti, Ele colocou o fogo e a água; para o que quiseres, tu podes estender a mão. 18Diante do homem estão a vida e a morte, o bem e o mal; ele receberá aquilo que preferir. 19A sabedoria do Senhor é imensa, ele é forte e poderoso e tudo vê continuamente. 20Os olhos do Senhor estão voltados para os que o temem. Ele conhece todas as obras do homem. 21Não mandou a ninguém agir como ímpio e a ninguém deu licença de pecar.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 118 (119)

– Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo!

– Feliz o homem sem pecado em seu caminho, que na lei do Senhor Deus vai progredindo! Feliz o homem que observa seus preceitos, e de todo o coração procura a Deus!

– Os vossos mandamentos vós nos destes, para serem fielmente observados. Oxalá seja bem firme a minha vida em cumprir vossa vontade e vossa lei!

– Sede bom com vosso servo, e viverei, e guardarei vossa palavra, ó Senhor. Abri meus olhos, e então contemplarei as maravilhas que encerra a vossa lei!

– Ensinai-me a viver vossos preceitos; quero guardá-los fielmente até o fim! Dai-me o saber, e cumprirei a vossa lei, e de todo o coração a guardarei.

2ª Leitura

Segunda leitura: Coríntios 2, 6-10

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos: 6Entre os perfeitos nós falamos de sabedoria, não da sabedoria deste mundo nem da sabedoria dos poderosos deste mundo, que, afinal, estão votados à destruição. 7Falamos, sim, da misteriosa sabedoria de Deus, sabedoria escondida, que, desde a eternidade, Deus destinou para nossa glória. 8Nenhum dos poderosos deste mundo conheceu essa sabedoria. Pois, se a tivessem conhecido, não teriam crucificado o Senhor da glória. 9Mas, como está escrito, ‘o que Deus preparou para os que o amam é algo que os olhos jamais viram nem os ouvidos ouviram nem coração algum jamais pressentiu’. 10A nós Deus revelou esse mistério através do Espírito. Pois o Espírito esquadrinha tudo, mesmo as profundezas de Deus.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (27/05/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5, 17-37

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

-Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra: os mistérios do teu reino aos pequenos, Pai, revelas (Mt 11,25)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 17Não penseis que vim abolir a Lei e os Profetas. Não vim para abolir, mas para dar-lhes pleno cumprimento. 18Em verdade, eu vos digo: antes que o céu e a terra deixem de existir, nem uma só letra ou vírgula serão tiradas da Lei, sem que tudo se cumpra. 19Portanto, quem desobedecer a um só destes mandamentos, por menor que seja, e ensinar os outros a fazerem o mesmo, será considerado o menor no Reino dos Céus. Porém, quem os praticar e ensinar será considerado grande no Reino dos Céus. 20Porque eu vos digo: Se a vossa justiça não for maior que a justiça dos mestres da Lei e dos fariseus, vós não entrareis no Reino dos Céus. 21Vós ouvistes o que foi dito aos antigos: ‘Não matarás! Quem matar será condenado pelo tribunal’. 22Eu, porém, vos digo: todo aquele que se encoleriza com seu irmão será réu em juízo; quem disser ao seu irmão: ‘patife!’ será condenado pelo tribunal; quem chamar o irmão de ‘tolo’ será condenado ao fogo do inferno. 23Portanto, quando tu estiveres levando a tua oferta para o altar, e ali te lembrares que teu irmão tem alguma coisa contra ti, 24deixa a tua oferta ali diante do altar, e vai primeiro reconciliar-te com o teu irmão. Só então vai apresentar a tua oferta. 25Procura reconciliar-te com teu adversário, enquanto caminha contigo para o tribunal. Senão o adversário te entregará ao juiz, o juiz te entregará ao oficial de justiça, e tu serás jogado na prisão. 26Em verdade eu te digo: dali não sairás, enquanto não pagares o último centavo. 27Ouvistes o que foi dito: ‘Não cometerás adultério’. 28Eu, porém, vos digo: Todo aquele que olhar para uma mulher, com o desejo de possuí-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. 29Se o teu olho direito é para ti ocasião de pecado, arranca-o e joga-o para longe de ti! De fato, é melhor perder um de teus membros, do que todo o teu corpo ser jogado no inferno. 30Se a tua mão direita é para ti ocasião de pecado, corta-a e joga-a para longe de ti! De fato, é melhor perder um dos teus membros, do que todo o teu corpo ir para o inferno. 3lFoi dito também: ‘Quem se divorciar de sua mulher, dê-lhe uma certidão de divórcio’. 32Eu, porém, vos digo: Todo aquele que se divorcia de sua mulher, a não ser por motivo de união irregular, faz com que ela se torne adúltera; e quem se casa com a mulher divorciada comete adultério. 33Vós ouvistes também o que foi dito aos antigos: ‘Não jurarás falso’, mas ‘cumprirás os teus juramentos feitos ao Senhor’. 34Eu, porém, vos digo: Não jureis de modo algum: nem pelo céu, porque é o trono de Deus; 35nem pela terra, porque é o suporte onde apóia os seus pés; nem por Jerusalém, porque é a cidade do Grande Rei. 36Não jures tão pouco pela tua cabeça, porque tu não podes tornar branco ou preto um só fio de cabelo. 37Seja o vosso ‘sim’: ‘Sim’, e o vosso ‘não’: ‘Não’. Tudo o que for além disso vem do Maligno.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (29/05/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Os escribas e fariseus eram mestres da Antiga Lei. Agora que o Messias havia chegado, eles não estavam dispostos a ir mais fundo e ir além dos ensinamentos do Antigo Testamento que muitas vezes deturpavam. Eles preferiam uma abordagem de preto e branco à moralidade que os acompanhava há séculos e não queriam mudar quando se deparavam com o novo e mais elevado chamado de Jesus.

O Evangelho de hoje continua o Sermão da Montanha de Jesus, que começou com as bem-aventuranças. Na porção de hoje do sermão de Jesus, somos ensinados sobre raiva, adultério e juramentos. Em todos os casos, Jesus se refere à Lei como foi ensinada no Antigo Testamento, mas depois a eleva a um nível totalmente novo. A linha citada acima deixa claro que a única forma de aceitar esses novos ensinamentos de Jesus era superar a “justiça” dos escribas e fariseus. E o terrível resultado de não superar sua retidão foi a perda do Reino dos Céus.

Jesus começa lembrando o mandamento do Antigo Testamento: “Não matarás”. Mas então Ele leva esse mandamento adiante, dizendo que “todo aquele que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento”. Claro, matar continua sendo um pecado grave. Mas agora Jesus explica que a atitude interior de cólera, mesmo que não seja posta em prática, é pecado. Ele passa a ensinar uma lição semelhante sobre adultério e juramentos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (28/05/2024)

É útil entender esses novos ensinamentos no contexto da abordagem que os escribas e fariseus adotaram em relação ao Antigo Testamento. Sobre isso, Jesus diz: “Não penseis que vim revogar a lei ou os profetas. Eu vim não para abolir, mas para cumprir”. Assim, o principal problema com os escribas e fariseus não é que eles falharam em ensinar a Lei do Antigo Testamento corretamente. O problema principal é que agora que o Messias chegou e deu início a um novo tempo de cumprimento e retidão, eles não iriam mais fundo e não abraçariam o cumprimento da Lei de Deus. Eles não estão dispostos a crescer em santidade e abraçar o cumprimento de tudo o que foi ensinado antes.

Reflita, hoje, sobre o chamado dado a você pelos novos e gloriosos ensinamentos de nosso Senhor. Se você deseja verdadeiramente abraçar o Evangelho de nosso Senhor e viver em Sua Nova Lei da graça, então você deve estar disposto a ir fundo, tornar-se verdadeiramente radical em sua fé e permitir que Deus transforme cada parte de sua vida. A Nova Lei é a plenitude do amor, da misericórdia, da entrega, do zelo, da conversão e da transformação. Comprometa-se a superar a velha e limitada justiça dos escribas e fariseus, e Deus fará coisas gloriosas em sua vida.

Oração do Dia

Senhor de toda a graça, Tu viestes e não apenas nos ensinou sobre as alturas da santidade, mas também a viveu e nos concedeu tudo o que precisamos para imitar todas as suas virtudes. Por favor, encha-me com Sua misericórdia e força para que eu possa viver uma nova justiça da plenitude do amor. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *