Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa, Quinta-feira (25/05/2023)

Homilia

Liturgia Diária

Liturgia Diária da 7ª Semana da Páscoa, Quinta-feira, 25 de maio de 2023.

Acompanhe a Liturgia Diária Comentada de Hoje em nosso site. Confira a Liturgia de hoje completa com as Leituras, Evangelho do dia e Oração aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Atos dos Apóstolos 22, 30; 23, 6-11

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Naqueles dias: 30Querendo saber com certeza por que Paulo estava sendo acusado pelos judeus, o tribuno soltou-o e mandou reunir os chefes dos sacerdotes e todo o conselho dos anciãos. Depois fez trazer Paulo e colocou-o diante deles. 23,6Sabendo que uma parte dos presentes eram saduceus e a outra parte eram fariseus, Paulo exclamou no conselho dos anciãos: ‘Irmãos, eu sou fariseu e filho de fariseus. Estou sendo julgado por causa da nossa esperança na ressurreição dos mortos.’ 7Apenas falou isso, armou-se um conflito entre fariseus e saduceus e a assembléia se dividiu. 8Com efeito, os saduceus dizem que não há ressurreição, nem anjo, nem espírito, enquanto os fariseus sustentam uma coisa e outra. 9Houve, então, uma enorme gritaria. Alguns doutores da Lei, do partido dos fariseus, levantaram-se e começaram a protestar, dizendo: ‘Não encontramos nenhum mal neste homem. E se um espírito ou anjo tivesse falado com ele?’ 10E o conflito crescia cada vez mais. Receando que Paulo fosse despedaçado por eles, o comandante ordenou que os soldados descessem e o tirassem do meio deles, levando-o de novo para o quartel. 11Na noite seguinte, o Senhor aproximou-se de Paulo e lhe disse: ‘Tem confiança. Assim como tu deste testemunho de mim em Jerusalém, é preciso que tu sejas também minha testemunha em Roma.’

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 15 (16)

– Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio!

– Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! Digo ao Senhor: ‘Somente vós sois meu Senhor. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, meu destino está seguro em vossas mãos!

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (12/04/2024)

– Eu bendigo o Senhor, que me aconselha, e até de noite me adverte o coração. Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, pois se o tenho a meu lado não vacilo.

– Eis por que meu coração está em festa, minha alma rejubila de alegria, e até meu corpo no repouso está tranquilo; pois não haveis de me deixar entregue à morte, nem vosso amigo conhecer a corrupção.

– Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado!

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 17, 20-26

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Para que todos sejam um, diz o Senhor, como tu estás em mim e eu em ti, para que o mundo possa crer que me enviaste (Jo 17, 21)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos ao céu e rezou, dizendo: Pai Santo, 20eu não te rogo somente por eles, mas também por aqueles que vão crer em mim pela sua palavra, 21para que todos sejam um como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, e para que eles estejam em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste. 22Eu dei-lhes glória que tu me deste, para que eles sejam um, como nós somos um: 23eu neles e tu em mim, para que assim eles cheguem à unidade perfeita e o mundo reconheça que tu me enviaste e os amaste, como me amaste a mim. 24Pai, aqueles que me deste, quero que estejam comigo onde eu estiver, para que eles contemplem a minha glória, glória que tu me deste porque me amaste antes da fundação do universo. 25Pai justo, o mundo não te conheceu, mas eu te conheci, e estes também conheceram que tu me enviaste. 26Eu lhes fiz conhecer o teu nome, e o tornarei conhecido ainda mais, para que o amor com que me amaste esteja neles, e eu mesmo esteja neles’.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Nas últimas semanas, lemos continuamente os capítulos 14 a 17 do Evangelho de João. Esses capítulos contêm os Discursos da Última Ceia de Jesus e nos fornecem o último sermão de Jesus, por assim dizer. O capítulo 17, que lemos na semana passada, nos apresenta a oração final de Jesus por seus discípulos e por todos nós “que creremos” nele por meio da pregação dos discípulos. Cada vez que lemos o capítulo 17, o Lecionário começa a leitura com a frase “Levantando os olhos ao céu, Jesus orou dizendo…” Essa linha é uma adaptação do capítulo 17:1, mas é usada para introduzir as várias partes da oração de Jesus cada vez que é lida na Missa.

É interessante que Jesus olhasse para o céu quando orava. Claro, o Céu não está fisicamente no céu, porque o Céu é uma realidade espiritual. O Pai não está localizado em algum lugar no céu, mas é onipresente, ou seja, presente em todos os lugares e em todos os tempos. E, no entanto, Jesus levanta os olhos quando reza ao Pai. Há uma grande lição nisso.

Nossa disposição física é importante, às vezes. Por exemplo, quando alguém a quem devemos respeito entra em uma sala, geralmente nos levantamos e o cumprimentamos. Nesse caso, seria desrespeitoso permanecer deitado em uma cama ou sofá. E na Missa, não nos sentamos de pernas cruzadas durante a Consagração; em vez disso, nos ajoelhamos em adoração. E quando cumprimentamos alguém pela primeira vez, não olhamos para o chão; em vez disso, nós os olhamos nos olhos.

O ato de Jesus de “levantar os olhos para o céu” não foi feito porque Ele pensou que poderia ver o Pai no céu; pelo contrário, foi feito por respeito e amor e como forma de reconhecer a dignidade do Pai. Isso deve nos ensinar sobre nossa própria disposição corporal e a mensagem que comunicamos aos outros, especialmente a Deus em oração.

Leia mais:  Liturgia Diária – Santo Estanislau, bispo e mártir - Memória – Quinta-feira (11/04/2024)

Quando você ora, o que você faz? Embora você possa orar a qualquer hora e em qualquer disposição, é uma prática excelente falar com Deus não apenas por suas palavras, mas também pela disposição que você toma. Ajoelhar-se, levantar as mãos em oração, prostrar-se diante de seu Senhor, sentar-se ereto com atenção, etc., são maneiras pelas quais você comunica a Deus seu amor.

Reflita, hoje, sobre esta imagem de Jesus orando. Observe como Ele teria sido atencioso ao erguer Seus olhos sagrados como um gesto físico em homenagem ao glorioso e todo-poderoso Pai Celestial. Tente imaginar a devoção, intensidade, respeito e amor ardente de Jesus. Imite este gesto sagrado de oração e atenção ao Pai e lembre-se da importância de expressar seu amor de forma corporal.

Oração do Dia

Meu santíssimo Pai Celestial, uno-me ao Teu Filho, Jesus, elevando meus olhos, meu coração e toda a minha vida a Ti em honra, amor e respeito. Que eu esteja sempre atento a Ti e mostre sempre a devoção devida à Tua grandeza. Meu querido Jesus, obrigado por Teu amor ao Pai Celestial. Dá-me a graça de que preciso para imitar a Ti e ao Teu amor perfeito em minha vida. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A Liturgia Diária é vista por muitos como sendo o momento de formalização da missa, mas o seu verdadeiro significado é exatamente o contrário. A liturgia diária faz com que os cristãos reflitam as palavras e procurem trazê-las para o seu dia a dia como meio de vivenciar a Palavra de Deus em suas vidas.

A liturgia vem nos trazer ensinamentos de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus. A liturgia nos mostra o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *