Liturgia Diária – Oitava da Páscoa – Sexta-feira (05/04/2024)

Salmo do Dia

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Sexta-feira, 5 de abril de 2024.

Leia diariamente a Liturgia do Dia aqui no Mundo dos Católicos. Primeira Leitura e o Evangelho do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje e a Oração do aia aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 4,1-12)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, depois que o paralítico fora curado, 1 Pedro e João ainda estavam falando ao povo, quando chegaram os sacerdotes, o chefe da guarda do Templo e os saduceus. 2 Estavam irritados porque os apóstolos ensinavam o povo e anunciavam a ressurreição dos mortos na pessoa de Jesus.

3 Eles prenderam Pedro e João e os colocaram na prisão até o dia seguinte, porque já estava anoitecendo. 4 Todavia, muitos daqueles que tinham ouvido a pregação acreditaram. E o número dos homens chegou a uns cinco mil.

5 No dia seguinte, reuniram-se em Jerusalém os chefes, os anciãos e os mestres da Lei. 6 Estavam presentes o sumo Sacerdote Anás, e também Caifás, João, Alexandre, e todos os que pertenciam às famílias dos sumos sacerdotes. 7 Fizeram Pedro e João comparecer diante deles e os interrogavam: “Com que poder ou em nome de quem vós fizestes isso?”

8 Então, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse-lhes: “Chefes do povo e anciãos: 9 hoje estamos sendo interrogados por termos feito o bem a um enfermo e pelo modo como foi curado. 10 Ficai, pois, sabendo todos vós e todo o povo de Israel: é pelo nome de Jesus Cristo, de Nazaré, aquele que vós crucificastes e que Deus ressuscitou dos mortos — que este homem está curado, diante de vós. 11 Jesus é a pedra, que vós, os construtores, desprezastes, e que se tornou a pedra angular.

12 Em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome dado aos homens pelo qual possamos ser salvos”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Responsório (Sl 117,1-27a)

— A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular.

— Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!” A casa de Israel agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” Os que temem o Senhor agora o digam: “Eterna é a sua misericórdia!”

— “A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!

Leia mais:  Liturgia Diária – 15ª Semana do Tempo Comum, Sábado (20/07/2024)

— Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação, ó Senhor, dai-nos também prosperidade!” Bendito seja, em nome do Senhor, aquele que em seus átrios vai entrando! Desta casa do Senhor vos bendizemos. Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 21,1-14)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos! (Sl 117)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1 Jesus apareceu de novo aos discípulos, à beira do mar de Tiberíades. A aparição foi assim: 2 Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros discípulos de Jesus.

3 Simão Pedro disse a eles: “Eu vou pescar”. Eles disseram: “Também vamos contigo”. Saíram e entraram na barca, mas não pescaram nada naquela noite. 4 Já tinha amanhecido, e Jesus estava de pé na margem. Mas os discípulos não sabiam que era Jesus. 5 Então Jesus disse: “Moços, tendes alguma coisa para comer?” Responderam: “Não”.

6 Jesus disse-lhes: “Lançai a rede à direita da barca, e achareis”. Lançaram pois a rede e não conseguiam puxá-la para fora, por causa da quantidade de peixes. 7 Então, o discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: “É o Senhor!” Simão Pedro, ouvindo dizer que era o Senhor, vestiu uma roupa, pois estava nu, e atirou-se ao mar.

8 Os outros discípulos vieram com a barca, arrastando a rede com os peixes. Na verdade, não estavam longe da terra, mas somente a cerca de cem metros. 9 Logo que pisaram a terra, viram brasas acesas, com peixe em cima, e pão. 10 Jesus disse-lhes: “Trazei alguns dos peixes que apanhastes”.

11 Então Simão Pedro subiu ao barco e arrastou a rede para a terra. Estava cheia de cento e cinquenta e três grandes peixes; e, apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. 12 Jesus disse-lhes: “Vinde comer”. Nenhum dos discípulos se atrevia a perguntar quem era ele, pois sabiam que era o Senhor.

13 Jesus aproximou-se, tomou o pão e distribuiu-o por eles. E fez a mesma coisa com o peixe. 14 Esta foi a terceira vez que Jesus, ressuscitado dos mortos, apareceu aos discípulos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 16º Domingo do Tempo Comum (21/07/2024)

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

As aparições de Jesus após Sua Ressurreição foram envoltas em mistério. Não é um mistério de confusão, mas um mistério de profundidade e admiração. Sobre isso, na terceira vez que Jesus apareceu aos Seus discípulos, Jesus lhes falou pela primeira vez da costa, depois de terem pescado a noite toda sem pegar nada. Ele lhes disse para tentarem novamente e lançarem a rede pelo lado direito do barco. Fizeram-no sem sequer perceberem que era Jesus quem lhes falava. Mas ao pegarem mais do que podiam aguentar, perceberam que era o Senhor.

O “mistério” presente nesta aparição da ressurreição tem muitos aspectos. Por que os discípulos não reconheceram Jesus a princípio? Por que Jesus os instruiu a lançar a rede do lado direito do barco? Por que Jesus foi dado a conhecer através desta captura de cento e cinquenta e três peixes grandes? Por que Jesus estava preparando o café da manhã para os discípulos na praia? E por que João registrou que “nenhum dos discípulos se atreveu a perguntar-lhe: ‘Quem é você?’” Embora todos esses mistérios tenham respostas que foram oferecidas ao longo dos séculos pelos santos e grandes comentaristas das Escrituras, é útil também simplesmente pondere o fato de que as aparições da ressurreição de Jesus foram, de fato, envoltas em mistério.

Em um romance de mistério, o leitor recebe várias pistas vagas para ajudá-lo a tentar descobrir o mistério e resolvê-lo. As pistas são vagas intencionalmente para tornar a resolução mais agradável e desafiadora. No entanto, quando se trata de um “mistério da fé”, tal como o mistério da fé que envolve as aparições da ressurreição de Jesus, o mistério é de um tipo totalmente diferente. Nestes casos, o mistério é profundo e amplo e é algo que tem o potencial de nos atrair cada vez mais profundamente para a natureza infinita de Deus e para a Sua ação salvadora.

Tomemos, por exemplo, esta linha citada acima: “E nenhum dos discípulos se atreveu a perguntar-lhe: ‘Quem é você?’ porque perceberam que era o Senhor.” Parece que os discípulos se reuniram em torno de Jesus enquanto Ele preparava o café da manhã na praia e ficaram ali maravilhados com Ele. A admiração silenciosa que demonstram por Ele nesta aparição revela que as palavras não são suficientes. Normalmente, quando você vê alguém que você fica feliz em ver, você o cumprimenta e começa a conversar, perguntando como ele está, etc. Mas aqui, os discípulos permaneceram neste santo temor, ouvindo-o, recebendo esta refeição e meditando sobre o mistério de Sua presença ressuscitada.

Leia mais:  Liturgia Diária – 15ª Semana do Tempo Comum, Sexta-feira (19/07/2024)

Reflita hoje sobre as maneiras pelas quais nosso Senhor vem até você. É fácil sentir falta Dele, pois Sua presença contínua em nossas vidas também é misteriosa. Imagine se os discípulos tivessem ignorado o chamado de Jesus para “lançar a rede para o lado direito do barco…”. Se eles tivessem ignorado essa ordem, talvez nunca tivessem percebido que era o Senhor. Reflita sobre as maneiras pelas quais nosso Senhor fala com você. Você responde? Você O reconhece? Você se permite ser atraído por esse temor santo de Sua presença divina? Siga o exemplo dos discípulos e esteja atento à presença contínua de nosso Senhor ao seu redor.

Oração do Dia

Meu divino Senhor, Tu estás constantemente presente para mim, dia e noite, e ainda assim muitas vezes não Te consigo perceber e Te adorar. Ajude-me a me tornar mais consciente da Sua presença em minha vida. Ao fazê-lo, ajude-me a entrar mais profundamente nestes mistérios sagrados com amor, devoção e admiração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Utilizada nas missas, a Liturgia Diária também pode ser utilizada em outras celebrações. E também pode ser usada em outros momentos como em Grupos de Orações ou para meditar a Palavra do Dia.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é o domingo. É neste dia que os católicos devem ir obrigatoriamente à missa como forma de cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica.

Dessa forma, a Liturgia Diária é a ação do povo de Deus em uniformidade. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária pode ser praticada através de gestos, sinais ou palavras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.