Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (19/06/2023)

Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Segunda-feira, 19 de junho de 2023.

Confira diariamente o Evangelho do Dia Comentado dos Católicos em nosso site. Receba a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Coríntios 6, 1-10

Leitura da segunda carta de São Paulo aos Coríntios:

Irmãos, 1como colaboradores de Cristo, nós vos exortamos a não receberdes em vão a graça de Deus, 2pois ele diz: “No momento favorável, eu te ouvi e, no dia da salvação, eu te socorri”. É agora o momento favorável, é agora o dia da salvação. 3Não damos a ninguém nenhum motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja desacreditado. 4Mas em tudo nos recomendamos como ministros de Deus, com muita paciência, em tribulações, em necessidades, em angústias, 5em açoites, em prisões, em tumultos, em fadigas, em insônias, em jejuns, 6em castidade, em compreensão, em longanimidade, em bondade, no Espírito Santo, em amor sincero, 7em palavras verdadeiras, no poder de Deus, em armas de justiça, ofensivas e defensivas, 8em honra e desonra, em má ou boa fama; considerados sedutores, sendo, porém, verazes; 9como desconhecidos, sendo, porém, bem conhecidos; como moribundos, embora vivamos; como castigados, mas não mortos; 10como aflitos, mas sempre alegres; como pobres, mas enriquecendo muitos; como quem nada possui, mas tendo tudo.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 97 (98)

– O Senhor fez conhecer a salvação.

– Cantai ao Senhor Deus um canto novo, porque ele fez prodígios! Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

– O Senhor fez conhecer a salvação, e às nações, sua justiça; recordou o seu amor sempre fiel pela casa de Israel.

– Os confins do universo contemplaram a salvação do nosso Deus. Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, alegrai-vos e exultai!

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (12/04/2024)

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 5, 38-42

– Aleluia, Aleluia, Aleluia.

– Vossa Palavra é uma luz para os meus passos e uma lâmpada luzente em meu caminho (Sl 118,105);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 38″Ouvistes o que foi dito: ‘Olho por olho e dente por dente!’ 39Eu, porém, vos digo, não enfrenteis quem é malvado! Pelo contrário, se alguém te dá um tapa na face direita, oferece-lhe também a esquerda! 40Se alguém quiser abrir um processo para tomar a tua túnica, dá-lhe também o manto! 41Se alguém te forçar a andar um quilômetro, caminha dois com ele! 42Dá a quem te pedir e não vires as costas a quem te pede emprestado”.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

À medida que a fé de Israel se desenvolveu ao longo dos séculos, antes da vinda de Cristo, houve vários estágios de avanço na moralidade. Antes do estabelecimento das leis morais no Antigo Testamento, era comum que as famílias infligissem vingança severa a outras famílias quando lhes causavam dano. Isso causou violência e rixas contínuas. Mas avanços foram feitos quando a lei da retaliação foi estabelecida, que dizia: “Quando um homem causar uma desfiguração em seu próximo, assim como ele fez, será feito a ele, fratura por fratura, olho por olho, dente por dente; assim como desfigurou um homem, desfigurar-se-á” (Levítico 24:19–20). Essa era uma nova forma de justiça que proibia que a vingança fosse mais severa do que o crime contra o qual se retaliava. Na época, isso ajudou a acabar com as rixas familiares que aumentavam continuamente.

É esta lei da retaliação que Jesus aborda em nosso Evangelho de hoje. A nova e muito mais elevada forma de moralidade que Jesus ensinou chamou Seus discípulos a “não oferecer resistência a quem é mau” e a dar a outra face quando o mal lhes foi feito. Embora a justiça estrita exija satisfação pelo pecado, o novo ensinamento de Jesus era que a misericórdia paga todas as dívidas. Primeiro, Sua misericórdia concedida a nós, para o perdão de nossos pecados, paga a dívida de nossos pecados quando verdadeiramente nos arrependemos e mudamos. Mas se desejamos que nossas dívidas para com Deus sejam perdoadas e pagas por nossos pecados, devemos fazer o mesmo com os outros, não tendo nada contra eles.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

Mas Jesus vai ainda mais longe. Na passagem citada acima, Jesus exorta seus discípulos a uma nova e radical forma de caridade e generosidade. Este novo código moral era como os filhos do Reino de Deus agora eram chamados a agir. Não bastava apenas perdoar e esquecer a dívida que alguém tem com você por causa do pecado. A misericórdia agora exige que “dê a quem pede” e caminhe “duas milhas” com aquele que apenas pede que você caminhe uma milha com eles. Em outras palavras, a caridade cristã excede em muito todo conceito de justiça estrita e vai além do perdão básico. Este foi certamente um ensinamento novo e radical de nosso Senhor.

Pense nesta nova lei moral em sua própria vida. Em que nível de “justiça” você vive com mais frequência? Quando alguém faz mal a você, você vive como aqueles que viviam antes das leis do Antigo Testamento, procurando vingar-se deles em um grau ainda maior do que o dano causado a você? Você vive pela lei que busca a igualdade de justiça de olho por olho? Você procura perdoar e oferecer misericórdia como pagamento pela dívida que outro incorreu pelo pecado que cometeu contra você? Ou, idealmente, você se esforça para ir além do ato de perdoar e conceder misericórdia de maneira nova, generosa e superabundante? Este último nível de amor é difícil de obter e viver, mas é a forma como o nosso Senhor nos trata e é a forma que Ele nos chama a tratar os outros.

Leia mais:  Liturgia Diária – Santo Estanislau, bispo e mártir - Memória – Quinta-feira (11/04/2024)

Reflita, hoje, sobre qualquer dor com a qual você possa estar lutando no momento. E considere a maneira como você tem lidado com essa mágoa. Enquanto você procura entender esta nova lei de amor e misericórdia dada por nosso Senhor, ore a Ele para que Ele lhe dê a graça que você precisa para dar aos outros o mesmo nível de misericórdia que Deus dá a você.

Oração do Dia

Meu generoso Senhor, Tu ofereces Tua misericórdia em superabundância. Você não apenas perdoa quando nos arrependemos, mas também nos restaura a alturas de santidade muito maiores do que poderíamos merecer. Dê-me a graça de que preciso, querido Senhor, para oferecer esse mesmo nível de misericórdia e amor àqueles que pecaram contra mim. Eu perdoo todos que me machucaram. Por favor, ajude-me a também amá-los de todo o coração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até o século XVI não existia uma norma ou regra que indicava a obrigatoriedade da liturgia diária, no entanto, foram Pio V e Clemente III que implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais importância à Sagrada Escritura na liturgia.

A liturgia é formada pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e é parte de toda missa da Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, para cada dia, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura neste mesmo dia.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *