Liturgia Diária – Santos André de Soveral, Ambrósio Francisco e companheiros, mártires – Memória, Terça-feira (03/10/2023)

Evangelho do Dia

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Terça-feira, 3 de outubro de 2023.

Confira diariamente a Liturgia do Dia dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho do Dia e Oração do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Zc 8,20-23)

Leitura da Profecia de Zacarias.

20Isto diz o Senhor dos exércitos: Virão ainda povos e habitantes de cidades grandes,21dizendo os habitantes de uma para os de outra cidade: ‘Vamos orar na presença do Senhor, vamos visitar o Senhor dos exércitos; eu irei também’. 22Virão muitos povos e nações fortes visitar o Senhor dos exércitos e orar na presença do Senhor. 23Isto diz o Senhor dos exércitos: Naqueles dias, dez homens de todas as línguas faladas entre as nações vão segurar pelas bordas da roupa um homem de Judá, dizendo: ‘Nós iremos convosco; porque ouvimos dizer que Deus está convosco’.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 86 (87)

— Nós temos ouvido que Deus está convosco.

— O Senhor ama a cidade que fundou no Monte santo; ama as portas de Sião mais que as casas de Jacó. Dizem coisas gloriosas da Cidade do Senhor.

— “Lembro o Egito e Babilônia entre os meus veneradores. Na Filisteia ou em Tiro ou no país da Etiópia, este ou aquele ali nasceu”. De Sião, porém, se diz: “Nasceu nela todo homem; Deus é sua segurança”.

— Deus anota no seu livro, onde inscreve os povos todos: “Foi ali que estes nasceram”. E por isso todos juntos a cantar se alegrarão; e, dançando, exclamarão: “Estão em ti as nossas fontes!”

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

Evangelho do Dia

Evangelho (Lc 9,51-56)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Veio o Filho do Homem, a fim de servir e dar sua vida em resgate por muitos. (Mc 10,45)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

51Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém 52e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. 53Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. 54Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: “Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?” 55Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. 56E partiram para outro povoado.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Pouco depois de Jesus ter falado aos Seus discípulos sobre o Seu sofrimento, morte e ressurreição pendentes, lemos que Jesus “tomou a firme decisão de partir para Jerusalém”. Há muito sobre o que refletir nessa breve declaração.

Em primeiro lugar, Jerusalém era o lugar do Templo onde os sacrifícios de animais do Antigo Testamento aconteciam como uma prefiguração do único e último sacrifício que estava por vir. Jesus veio a este mundo como o Cordeiro de Deus, a vítima sacrificial que morreria pelos nossos pecados. Ele conhecia Seu fim último neste mundo e sabia que isso exigiria muito sofrimento. Este conhecimento do Seu sofrimento futuro é o contexto fundamental desta passagem hoje.

À medida que o sofrimento e a morte de Jesus se aproximavam, Ele tornou-se cada vez mais determinado, na Sua vontade humana, a cumprir a vontade do Pai, entregando a Sua vida. É claro que Jesus sempre cumpriu a vontade do Pai, mas pouco a pouco a manifestação humana da determinação de Jesus tornou-se cada vez mais pronunciada. A virtude humana específica que lentamente se manifestou foi a coragem. Coragem espiritual é a capacidade sobrenatural de abraçar a vontade do Pai quando Sua vontade leva uma pessoa a uma vida de sacrifício. Dentro da nossa natureza humana decaída, tendemos a evitar o sacrifício. Muitas vezes trabalhamos para evitar conflitos e sofrimento e para abraçar o caminho mais fácil da vida. Portanto, ficar cara a cara com algum sofrimento futuro traz à tona a tentação do medo – e esse medo requer coragem para superá-lo. À medida que Seu sofrimento se aproximava, a tentação de temer tornou-se mais forte e, como resultado, Sua perfeita virtude de coragem tornou-se mais manifesta. Observe que Jesus não apenas decidiu ir a Jerusalém para oferecer Sua vida em sacrifício, como também “decidiu resolutamente” fazê-lo. Não houve vacilação, nem dúvida sobre a vontade do Pai, nem hesitação, nem medo. Seu amor sacrificial perfeito tornou-se lentamente manifesto para todos verem.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (19/04/2024)

Outra razão pela qual Jesus se tornou resoluto na Sua determinação de viajar para Jerusalém foi para testemunhar o Seu amor aos Seus discípulos. Eles próprios precisavam de coragem. Assim, ao ouvirem Jesus falar sobre o que estava por vir em Jerusalém e ao testemunharem Sua determinação inabalável, eles também foram encorajados e fortalecidos para superar as tentações do medo. É claro que eles só aperfeiçoaram essa virtude mais tarde em suas vidas, quando também seguiram os passos de nosso Senhor, entregando suas próprias vidas como mártires.

Reflita hoje sobre aquilo que causa medo e ansiedade em sua vida. Se esse sofrimento for causado por você mesmo, procure retificá-lo. Mas se esse sofrimento é uma cruz que Nosso Senhor está chamando você a abraçar com amor, faça-o com sacrifício e muita determinação. Não se deixe intimidar pelo peso da cruz que você recebeu na vida. As cruzes que somos chamados a abraçar são sempre capazes de se transformar em graça. Permita que a coragem cresça dentro de você e permita que o testemunho de nosso Senhor o encoraje enquanto você procura imitar Seu amor sacrificial.

Oração do Dia

Meu corajoso Senhor, enfrentaste Teu sofrimento com muita coragem, força, entrega e esperança. Você viu o valor do Seu abraço gratuito ao Seu sofrimento e o escolheu com todo o poder da sua alma. Dá-me a graça de que preciso, querido Senhor, para também me decidir resolutamente a caminhar em direção à cruz que sou chamado a abraçar na vida, para que o abraço livre da minha cruz me una mais plenamente a Ti. Jesus eu confio em vós.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

A Liturgia Diária para os Católicos

Além da Liturgia Diária, é comum que nas missas o padre ou celebrante na ocasião, faça uma reflexão das palavras do Evangelho do Dia logo após a sua leitura. Esta reflexão é feita em geral por livre interpretação, não seguindo um texto pré-definido.

O ponto principal da liturgia é o Mistério Pascal, descrevendo a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo e a sua ascensão ao céus, ao reino de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *