Liturgia Diária – 13ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (05/07/2023)

Salmo do Dia

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Quarta-feira, 5 de julho de 2023.

Leia diariamente a Liturgia do Dia aqui no Mundo dos Católicos. Primeira Leitura e o Evangelho do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje e a Oração do aia aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Gênesis 21, 5.8-20

Leitura do Livro do Gênesis:

5Abraão tinha cem anos quando lhe nasceu o filho Isaac. 8Entretanto, o menino cresceu e foi desmamado; e no dia em que o menino foi desmamado, Abraão deu um grande banquete. 9Sara, porém, viu o filho que a egípcia Agar dera a Abraão brincando com Isaac. 10E disse a Abraão: ‘Manda embora essa escrava e seu filho, pois o filho de uma escrava não pode ser herdeiro com o meu filho Isaac’. 11Abraão ficou muito desgostoso com isso, por se tratar de um filho seu. 12Mas Deus lhe disse: ‘Não te aflijas por causa do menino e da tua escrava. Atende a tudo o que Sara te pedir, pois é por Isaac que uma descendência levará o teu nome. 13Mas do filho da escrava farei também um grande povo, por ele ser da tua raça’. 14Abraão levantou-se de manhã, tomou pão e um odre de água e os deu a Agar, colocando-os nos ombros dela: depois, entregou-lhe o menino e despediu-a. Ela foi-se embora e andou vagueando pelo deserto de Bersabéia. 15Tendo acabado a água do odre, largou o menino debaixo de um arbusto, 16e foi sentar-se em frente dele, à distância de um tiro de arco. Pois dizia consigo: ‘Não quero ver o menino morrer’. Assim, ficou sentada defronte ao menino, e pôs-se a gritar e a chorar. 17Deus ouviu o grito do menino e o anjo de Deus chamou do céu a Agar, dizendo: ‘Que tens Agar? Não tenhas medo, pois Deus ouviu a voz do menino do lugar em que está. 18Levanta-te, toma o menino e segura-o bem pela mão, porque farei dele um grande povo’. 19Deus abriu-lhe os olhos, e ela viu um poço de água. Foi então encher o odre e deu de beber ao menino. 20Deus estava com o menino, que cresceu e habitou no deserto. tornando-se um jovem arqueiro.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 33 (34)

– Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido.

– Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido, e o Senhor o libertou de toda angústia. O anjo do Senhor vem acampar ao redor dos que o temem, e os salva.

Leia mais:  Liturgia Diária – Santo Estanislau, bispo e mártir - Memória – Quinta-feira (11/04/2024)

– Respeitai o Senhor Deus, seus santos todos, porque nada faltará aos que o temem. Os ricos empobrecem, passam fome, mas aos que buscam o Senhor não falta nada.

– Meus filhos, vinde agora e escutai-me: vou ensinar-vos o temor do Senhor Deus. Qual o homem que não ama sua vida, procurando ser feliz todos os dias?

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 8, 28-34

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Deus nos gerou pela palavra da verdade como as primícias de suas criaturas (Tg 1,18);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 28Quando Jesus chegou à outra margem do lago, na região dos gadarenos, vieram ao seu encontro dois homens possuídos pelo demônio, saindo dos túmulos. Eram tão violentos, que ninguém podia passar por aquele caminho. 29Eles então gritaram: ‘O que tens a ver conosco, Filho de Deus? Tu vieste aqui para nos atormentar antes do tempo?’ 30Ora, a certa distância deles, estava pastando uma grande manada de porcos. 31Os demônios suplicavam-lhe: ‘Se nos expulsas, manda-nos para a manada de porcos.’ 32Jesus disse: ‘Ide.’ Os demônios saíram, e foram para os porcos. E logo toda a manada atirou-se monte abaixo para dentro do mar, afogando-se nas águas. 33Os homens que guardavam os porcos fugiram e, indo até à cidade, contaram tudo, inclusive o caso dos possuídos pelo demônio. 34Então a cidade toda saiu ao encontro de Jesus. Quando o viram, pediram-lhe que se retirasse da região deles.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Por que “toda a cidade” imploraria a Jesus para deixar seu distrito como resultado de Jesus libertar dois de seus concidadãos dos demônios? Este evento ocorreu na margem nordeste do Mar da Galileia, perto de uma cidade dos gadarenos que não eram de origem judaica, o que explica o fato de haver um grande rebanho de porcos (o povo judeu não comia carne de porco). Dois dos gadarenos estavam possuídos por demônios, e as Escrituras relatam que “eles eram tão selvagens que ninguém podia viajar por aquela estrada”. E quando Jesus os livrou dessa terrível situação, em vez de se regozijar em gratidão, os habitantes da cidade imploraram a Jesus que fosse embora.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (12/04/2024)

São Jerônimo diz que é possível que o povo estivesse realmente agindo com humildade, pois não se considerava digno de estar na presença de alguém tão grande quanto Jesus. Como São Pedro, que caiu aos pés de Jesus e gritou: “Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador” (Lucas 5:8), essas pessoas da cidade podem ter ficado tão maravilhadas com o que Jesus fez por elas. que eles não se consideravam dignos de Sua presença. No entanto, outros Padres da Igreja apontam que é mais provável que essas pessoas da cidade signifiquem aqueles que estão presos em sua vida de pecado e não querem ficar cara a cara com o Evangelho ou com a Pessoa de Jesus. Preferem fechar os ouvidos à verdade e permanecer na sua vida de ignorância e pecado.

Também é útil refletir sobre a relação entre os habitantes da cidade e esses dois endemoninhados. Idealmente, quando os habitantes da cidade vissem esses dois homens completamente livres dos demônios que os atormentavam, eles teriam se regozijado de maneira semelhante à que o pai do filho pródigo se regozijou quando seu filho voltou para ele. Infelizmente, neste caso, parece haver uma tremenda falta de entusiasmo por parte de seus concidadãos sobre a liberdade que esses dois endemoninhados experimentaram. Isso mostra uma clara falta de amor por esses dois homens dentro da cidade. Talvez muitos dos habitantes da cidade tivessem uma forma distorcida de prazer em zombar desses dois homens ao longo dos anos e gostassem de contar histórias sobre como eles eram loucos. Agora, eles se depararam com esses dois homens que haviam mudado completamente e podem ter achado difícil falar bem deles por causa de seu orgulho.

Esse exemplo negativo dado por essas pessoas da cidade nos dá a oportunidade de refletir sobre como pensamos e tratamos aqueles que mudaram seus caminhos e passaram do mal para o bem. Talvez você tenha um membro da família que tentou sinceramente mudar. Ou talvez alguém no trabalho, um vizinho ou algum outro conhecido tenha passado de uma vida de pecado para uma vida em busca da virtude. A verdadeira questão a ponderar é se você se alegra com a bondade dos outros, com sua conversão contínua e busca pela santidade, ou se você luta para expressar verdadeiramente a alegria ao ver pessoas que você conhece mudarem para o bem. Muitas vezes é muito fácil criticar, mas muito mais difícil se alegrar com a santa transformação do outro.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

Reflita, hoje, sobre aqueles em sua vida, aqueles próximos a você e aqueles com quem você é apenas conhecido, que foram libertados por nosso Senhor de alguma forma e passaram de uma vida de pecado para uma vida de virtude. Como você reage a eles? Você é capaz de se alegrar sinceramente com a bondade dos outros? Ou você se vê lutando contra o ciúme, a raiva, a inveja e coisas do gênero? Ao ver a bondade de Deus operando nos outros, tente adotar a mentalidade sugerida por São Jerônimo acima. Permita-se admirar a ação de Deus em suas vidas. Ao fazer isso, humilhe-se diante do poder transformador de Deus, admitindo que você não é digno de testemunhar Seu poder transformador, mas regozije-se em gratidão mesmo assim.

Oração do Dia

Meu Senhor todo-poderoso, Você superou o poder do maligno e expulsou demônios desses dois homens que sofreram com essa opressão por muitos anos. Dê-me os olhos de que preciso para vê-lo trabalhando em nosso mundo e para testemunhar com alegria sua ação transformadora na vida dos outros. Que eu sempre me humilhe diante de Suas ações salvadoras e aprenda a expressar verdadeira gratidão por tudo o que Você faz. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Utilizada nas missas, a Liturgia Diária também pode ser utilizada em outras celebrações. E também pode ser usada em outros momentos como em Grupos de Orações ou para meditar a Palavra do Dia.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é o domingo. É neste dia que os católicos devem ir obrigatoriamente à missa como forma de cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica.

Dessa forma, a Liturgia Diária é a ação do povo de Deus em uniformidade. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária pode ser praticada através de gestos, sinais ou palavras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *