Liturgia Diária – 18ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (09/08/2023)

Salmo de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Quarta-feira, 9 de agosto de 2023.

Receba diariamente a Liturgia do Dia em nosso site. Confira as Leituras das Homilias de Hoje e Evangelho do dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Números 13, 1-2.25-14,1.26-30.34-35

Leitura do Livro dos Números:

Naqueles dias: 1O Senhor falou a Moisés, no deserto de Faran, dizendo: 2’Envia alguns homens para explorar a terra de Canaã, que vou dar aos filhos de Israel. Enviarás um homem de cada tribo, e que todos sejam chefes’. 25Ao fim de quarenta dias, eles voltaram do reconhecimento do país, 26e apresentaram-se a Moisés, a Aarão e a toda a comunidade dos filhos de Israel, em Cades, no deserto de Fará. E, falando a eles e a toda a comunidade, mostraram os frutos da terra, 27e fizeram a sua narração, dizendo: ‘Entramos no país, ao qual nos enviastes, que de fato é uma terra onde corre leite e mel, como se pode reconhecer por estes frutos. 28Porém, os habitantes são fortíssimos, e as cidades grandes e fortificadas. Vimos lá descendentes de Enac; 29os amalecitas vivem no deserto do Negueb; os hititas, jebuseus e amorreus, nas montanhas; mas os cananeus, na costa marítima e ao longo do Jordão’. 30Entretanto Caleb, para acalmar o povo revoltado, que se levantava contra Moisés, disse: ‘Subamos e conquistemos a terra, pois somos capazes de fazê-lo’. 31Mas os homens que tinham ido com ele disseram: ‘Não podemos enfrentar esse povo, porque é mais forte do que nós’. 32E, diante dos filhos de Israel, começaram a difamar a terra que haviam explorado, dizendo: ‘A terra que fomos explorar é uma terra que devora os seus habitantes: o povo que aí vimos é de estatura extraordinária. 33Lá vimos gigantes, filhos de Enac, da raça dos gigantes; comparados com eles parecíamos gafanhotos’. 14,1Então, toda a comunidade começou a gritar, e passou aquela noite chorando. 26O Senhor falou a Moisés e Aarão, e disse: 27’Até quando vai murmurar contra mim esta comunidade perversa? Eu ouvi as queixas dos filhos de Israel. 28Dize-lhes, pois: ‘Por minha vida, diz o Senhor, juro que vos farei assim como vos ouvi dizer! 29Neste deserto ficarão estendidos os vossos cadáveres. Todos vós que fostes recenseados, da idade de vinte anos para cima, e que murmurastes contra mim, 34Carregareis vossa culpa durante quarenta anos, que correspondem aos quarenta dias em que explorastes a terra, isto é, um ano para cada dia; e experimentareis a minha vingança’. 35Eu, o Senhor, assim como disse, assim o farei com toda essa comunidade perversa, que se insurgiu contra mim: nesta solidão será consumida e morrerá’.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3º Domingo da Páscoa (14/04/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 105

Lembrai-vos de nós, ó Senhor, segundo o amor para com vosso povo!

– Pecamos como outrora nossos pais, praticamos a maldade e fomos ímpios; no Egito nossos pais não se importaram com os vossos admiráveis grandes feitos.

– Mas bem depressa esqueceram suas obras, não confiaram nos projetos do Senhor. No deserto deram largas à cobiça, na solidão eles tentaram o Senhor.

– Esqueceram-se do Deus que os salvara, que fizera maravilhas no Egito; no país de Cam fez tantas obras admiráveis, no Mar Vermelho, tantas coisas assombrosas.

– Até pensava em acabar com sua raça, não se tivesse Moisés, o seu eleito, interposto, intercedendo junto a ele, para impedir que sua ira os destruísse.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 15, 21-28

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Um grande profeta surgiu entre nós e Deus visitou o seu povo, aleluia (Lc 7,16);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 21Jesus retirou-se para a região de Tiro e Sidônia. 22Eis que uma mulher cananéia, vindo daquela região, pôs-se a gritar: ‘Senhor, filho de Davi, tem piedade de mim: minha filha está cruelmente atormentada por um demônio!’ 23Mas, Jesus não lhe respondeu palavra alguma. Então seus discípulos aproximaram-se e lhe pediram: ‘Manda embora essa mulher, pois ela vem gritando atrás de nós.’ 24Jesus respondeu: ‘Eu fui enviado somente às ovelhas perdidas da casa de Israel.’ 25Mas, a mulher, aproximando-se, prostrou-se diante de Jesus, e começou a implorar: ‘Senhor, socorre-me!’ 26Jesus lhe disse: ‘Não fica bem tirar o pão dos filhos para jogá-lo aos cachorrinhos.’ 27A mulher insistiu: ‘É verdade, Senhor; mas os cachorrinhos também comem as migalhas que caem da mesa de seus donos!’ 28Diante disso, Jesus lhe disse: ‘Mulher, grande é a tua fé! Seja feito como tu queres!’ E desde aquele momento sua filha ficou curada.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

O distrito de Tiro e Sidônia era território não-judaico. Dizia-se que as pessoas ali eram descendentes de Caim, filho de Adão e Eva, que matou seu irmão, Abel, e foi banido. Ele e seus descendentes se estabeleceram na área de Tiro e Sidônia e não eram herdeiros da fé dada por Abraão, Moisés e os profetas, tornando-os gentios. Jesus e seus discípulos viajaram cerca de 40 milhas a pé até este distrito da Galileia para fugir de Herodes e dos fariseus que procuravam matá-lo. Enquanto estava lá, Jesus pretendia manter um perfil discreto, mas a notícia de Sua presença se espalhou, e esta mulher cananéia veio a Ele para implorar que Ele curasse sua filha.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Segunda-feira (15/04/2024)

A princípio, é surpreendente que Jesus tenha permanecido em silêncio. Ela veio a Ele com profunda fé e confiança, e Ele não respondeu a ela a princípio. Seus discípulos queriam que ela parasse de incomodá-los, e o próprio Jesus finalmente respondeu a ela afirmando que Sua missão durante Seu ministério público era para as “ovelhas perdidas da casa de Israel”, ou seja, para os judeus. Certamente, mais tarde Jesus expandiria Sua missão confiada aos Apóstolos para incluir os gentios. Mas, a princípio, a missão de Jesus era para os descendentes de Abraão.

Ao lermos esta história hoje, fica claro que foi pela providência de Deus que esta mulher veio a Jesus como ela o fez. O Pai a atraiu para Si, e Jesus participou desse discurso, não para ser rude ou desdenhoso, mas para permitir que ela manifestasse uma fé que claramente faltava na vida de muitos.

Em nossas vidas, às vezes Deus parece silencioso. Mas se Ele está em silêncio, devemos saber que é por um bom motivo. Deus nunca nos ignora; ao contrário, Seu silêncio é uma forma de nos aproximar ainda mais Dele do que se Ele fosse imediatamente “alto e claro”, por assim dizer. O silêncio de Deus não é necessariamente um sinal de Seu desfavor. Muitas vezes é um sinal de Sua ação purificadora nos levando a uma manifestação muito mais plena de nossa fé.

Quanto à mulher gentia, ao contrário de muitos judeus, ela manifestou fé no fato de que Jesus era o Messias. Isso fica evidente quando ela o chama de “Filho de Davi”. Sua confiança na capacidade de Jesus para curar sua filha foi expressa em palavras muito simples e claras. Ela não precisava se apresentar como digna de Sua ajuda, porque sua confiança Nele era tudo o que era necessário. Além disso, ela perseverou em sua oração. Primeiro, Jesus está em silêncio. Então, Seus discípulos tentam dispensá-la. E então, Jesus dá a impressão de recusar o pedido dela. Tudo isso resulta não em seu desânimo, mas em perseverança e esperança. E essa esperança também era extraordinariamente humilde. O objetivo de Jesus de permitir que ela aprofundasse sua fé e manifestá-la para que todos pudessem ver foi cumprido.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

Reflita, hoje, sobre as qualidades da oração desta mulher. Tente imitá-la reconhecendo primeiro a verdade de quem é Jesus. Ele é o Messias, o Filho de Davi, o Salvador do Mundo, Deus Encarnado e muito mais. Chamar a atenção para a verdadeira identidade de Jesus é uma maneira maravilhosa de começar a orar. A partir daí, faça sua oração simples, clara e humilde. Não apresente seus desejos, apresente suas necessidades. O que você precisa do Salvador do Mundo? Claro que Deus sabe do que precisamos mais do que nós, mas pedir é um ato de confiança, então faça. Por fim, persista. Não desanime na oração. Seja fervoroso, implacável e inabalável. Humilhe-se diante do poder onipotente e da misericórdia de Deus e faça isso sem cessar e Deus sempre responderá à sua oração de acordo com a Sua santa vontade.

Oração do Dia

Meu Senhor Salvador, Tu és verdadeiramente o Messias, o Filho de Davi, o Filho de Deus. Você e somente você merece toda honra, glória e louvor. Ao conhecê-lo como Tu és, por favor, encha-me com uma confiança profunda e uma fé inabalável em Ti. Que eu persevere em todas as coisas e nunca deixe de colocar toda a minha esperança em Ti. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Utilizada nas missas, a Liturgia Diária também pode ser utilizada em outras celebrações. E também pode ser usada em outros momentos como em Grupos de Orações ou para meditar a Palavra do Dia.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é o domingo. É neste dia que os católicos devem ir obrigatoriamente à missa como forma de cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica.

Dessa forma, a Liturgia Diária é a ação do povo de Deus em uniformidade. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária pode ser praticada através de gestos, sinais ou palavras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *