Liturgia Diária – 19ª Semana do Tempo Comum, Sábado (19/08/2023)

Liturgia Diária

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Sábado, 19 de agosto de 2023.

Confira diariamente o Evangelho do Dia Comentado dos Católicos em nosso site. Receba a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Josué 24, 14-29

Leitura do Livro de Josué:

Naqueles dias, Josué disse a todo o povo: 14Agora, pois, temei ao Senhor e servi-o com um coração íntegro e sincero, e lançai fora os deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia e no Egito, e servi ao Senhor. 15Contudo, se vos parece mal servir ao Senhor, escolhei hoje a quem quereis servir: se aos deuses a quem vossos pais serviram na Mesopotâmia, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Quanto a mim e à minha família, nós serviremos ao Senhor’. 16E o povo respondeu, dizendo: ‘Longe de nós abandonarmos o Senhor, para servir a deuses estranhos. 17Porque o Senhor, nosso Deus, ele mesmo, é quem nos tirou, a nós e a nossos pais, da terra do Egito, da casa da escravidão. Foi ele quem realizou esses grandes prodígios diante de nossos olhos, e nos guardou por todos os caminhos por onde peregrinamos, e no meio de todos os povos pelos quais passamos. 18O Senhor expulsou diante de nós todas as nações, especialmente os amorreus, que habitavam a terra em que entramos. Portanto, nós também serviremos ao Senhor, porque ele é o nosso Deus’. 19Então Josué disse ao povo: ‘Não podeis servir ao Senhor, pois ele é um Deus santo, um Deus ciumento, que não suportará vossas transgressões e pecados. 20Se abandonardes o Senhor e servirdes a deuses estranhos, ele se voltará contra vós, e vos tratará mal e vos aniquilará, depois de vos ter tratado bem’. 21O povo, porém, respondeu a Josué: ‘Não! É ao Senhor que serviremos’. 22Josué então disse ao povo: ‘Sois testemunhas contra vós mesmos de que escolhestes o Senhor para servi-lo’. E eles responderam: ‘Sim! Somos testemunhas!’ 23’Sendo assim’, disse Josué, ‘tirai do meio de vós os deuses estranhos e inclinai os vossos corações para o Senhor, Deus de Israel’. 24O povo disse a Josué: ‘Serviremos ao Senhor, nosso Deus, e seremos obedientes aos seus preceitos’. 25Naquele dia, Josué estabeleceu uma aliança com o povo, e lhes propôs preceitos e leis em Siquém. 26Josué escreveu estas palavras no Livro da Lei de Deus. A seguir, tomou uma grande pedra e levantou-a ali, debaixo do carvalho que havia no santuário do Senhor. 27Então Josué disse a todo o povo: ‘Esta pedra que estás vendo servirá de testemunha contra vós, pois ela ouviu todas as palavras que o Senhor vos disse, para que depois não possais renegar o Senhor, vosso Deus’. 28Em seguida, Josué despediu o povo, para que fosse cada um para suas terras. 29Depois desses acontecimentos, morreu Josué, filho de Nun, servo do Senhor, com a idade de cento e dez anos.

Leia mais:  Liturgia Diária – Solenidade de Pentecostes – Domingo (19/05/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 15 (16)

– O Senhor é a porção da minha herança!

– Guardai-me, ó Deus, porque em vós me refugio! Digo ao Senhor: ‘Somente vós sois meu Senhor. Ó Senhor, sois minha herança e minha taça, meu destino está seguro em vossas mãos!

– Eu bendigo o Senhor, que me aconselha, e até de noite me adverte o coração. Tenho sempre o Senhor ante meus olhos, pois se o tenho a meu lado não vacilo.

– Vós me ensinais vosso caminho para a vida; junto a vós, felicidade sem limites, delícia eterna e alegria ao vosso lado!

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 19, 13-15

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 13Levaram crianças a Jesus, para que impusesse as mãos sobre elas e fizesse uma oração. Os discípulos, porém, as repreendiam. 14Então Jesus disse: ‘Deixai as crianças, e não as proibais de virem a mim, porque delas é o Reino dos Céus.’ 15E depois de impôr as mãos sobre elas, Jesus partiu dali.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

No Catecismo do Concílio de Trento, promulgado pelo Papa São Pio V, esta passagem está ligada ao batismo infantil. Afirma: “Além disso, não se deve supor que Cristo, o Senhor, teria negado o Sacramento e a graça do Batismo às crianças, das quais Ele disse: Deixai as crianças, e não as proibais de virem a mim…” (II , 2, 32). Este ensinamento indica claramente uma das melhores maneiras pelas quais esta passagem é cumprida hoje. Convidar até mesmo as crianças antes de atingirem a idade da razão para receber o Sacramento do Batismo cumpre este mandamento amoroso de Jesus: “Deixai vir a mim as crianças…”

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sábado (18/05/2024)

As crianças pequenas não têm a capacidade de compreender racionalmente o amor em sua forma mais pura. Isso vem com a idade da razão, que tradicionalmente se entende por volta dos sete anos de idade. Mas as crianças, e até os bebês, são capazes de receber nosso amor e são capazes de receber o amor de Deus, mesmo que ainda não compreendam plenamente este dom.

À medida que a criança cresce, ela aprende o que significa o amor ao testemunhá-lo e experimentá-lo, especialmente por meio da mediação de seus pais. Isso ajuda a formar suas consciências de modo que se tornem capazes de fazer sua própria escolha livre de amar à medida que amadurecem. Mas para que uma criança se torne um adulto amoroso, ela precisa de mais do que apenas um bom exemplo, ela precisa de graça. A graça do Batismo é a fonte primária dessa graça em suas vidas.

É fácil para muitos ver o Batismo apenas como uma bela cerimônia para dar as boas-vindas à criança recém-nascida na família de Deus. E embora isso seja verdade, é muito mais. O Catecismo da Igreja Católica afirma que o Batismo confere uma marca indelével que “permanece para sempre no cristão como disposição positiva para a graça, promessa e garantia da proteção divina, e como vocação ao culto divino e ao serviço da Igreja ” (CCC nº 1121). Em outras palavras, o Batismo confere à alma um dom que nunca pode ser removido e se torna uma fonte permanente de graça. E quando uma criança é batizada, é como se essa passagem bíblica acima se perpetuasse por toda a vida dessa pessoa. Por causa dessa graça sacramental, Jesus diz continuamente a essa alma batizada: “Vinde a mim”.

Além da graça do Batismo, todos devemos imitar a ação de Jesus de acolhida e aceitação não só dos filhos, mas de todo filho de Deus. Embora os discípulos inicialmente tentassem impedir que as crianças viessem ao nosso Senhor, nós não devemos. Devemos entender que existe uma tentação real dentro de nossa natureza humana caída tanto para negar o amor de Deus aos outros quanto para impedir que outros venham a Deus. A raiva, o orgulho, a inveja, o ciúme e coisas semelhantes podem fazer com que nos oponhamos à conversão dos outros e ao fato de Deus acolhê-los para Si mesmo. Quando essa tentação se instala, devemos ouvir Jesus nos dizer: “Deixai vir a mim as crianças” e “não as impeçais”.

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (17/05/2024)

Reflita, hoje, sobre essas palavras gentis e convidativas de Jesus. Ao fazer isso, tente lembrar-se de qualquer um que você possa tentar impedir de vir ao nosso Senhor. Você deseja a santidade de todas as pessoas? Existe alguém em sua vida que você acha difícil encorajar a vir a Jesus para ser abraçado e abençoado? Aceite o coração de Jesus e veja como seu dever abraçar os outros como Ele abraçou essas crianças. Quanto mais você se tornar um instrumento do amor de Cristo, mais você se regozijará diariamente nas bênçãos de Deus à medida que são concedidas aos outros.

Oração do Dia

Meu terno Senhor, Tu acolhes todas as pessoas para compartilhar em Sua graça. Tu acolhes cada criança e cada filho de Deus para compartilhar em Seu abraço amoroso. Por favor, dê-me as boas-vindas e ajude-me a aceitar este presente do Seu amor infinito. E ajuda-me a ser um instrumento melhor do Teu amor para com os outros, nunca interferindo ou impedindo-os de se voltarem para Ti. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até o século XVI não existia uma norma ou regra que indicava a obrigatoriedade da liturgia diária, no entanto, foram Pio V e Clemente III que implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais importância à Sagrada Escritura na liturgia.

A liturgia é formada pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e é parte de toda missa da Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, para cada dia, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura neste mesmo dia.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *