Liturgia Diária – 22ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (04/09/2023)

Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Segunda-feira, 4 de setembro de 2023.

Confira diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho de Hoje e Oração do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Tessalonicenses 4, 13-18

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

13Irmãos, não queremos deixar-vos na incerteza a respeito dos mortos, para que não fiqueis tristes como os outros, que não têm esperança. 14Se Jesus morreu e ressuscitou – e esta é nossa fé – de modo semelhante Deus trará de volta, com Cristo, os que através dele entraram no sono da morte. 15Isto vos declaramos, segundo a palavra do Senhor: nós que formos deixados com vida para a vinda do Senhor não levaremos vantagem em relação aos que morreram. 16Pois o Senhor mesmo, quando for dada a ordem, à voz do arcanjo e ao som da trombeta, descerá do céu e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17Em seguida, nós que formos deixados com vida seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares. E assim estaremos sempre com o Senhor. 18Exortai-vos, pois, uns aos outros, com estas palavras.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 95 (96)

– O Senhor vem julgar nossa terra.

– Cantai ao Senhor Deus um canto novo, manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

– Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses, porque um nada são os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

– O céu se rejubile e exulte a terra, aplauda o mar com o que vive em suas águas; os campos com seus frutos rejubilem e exultem as florestas e as matas.

– Na presença do Senhor, pois ele vem, porque vem para julgar a terra inteira. Governará o mundo todo com justiça, e os povos julgará com lealdade.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 4, 16-30

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– O Espírito do Senhor repousa sobre mim; e enviou-me a anunciar aos pobres o evangelho (Lc 4,18);

Leia mais:  Liturgia Diária – Bem-aventurada Virgem Maria, Mãe da Igreja - Memória, Segunda-feira (20/05/2024)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas:

Naquele tempo: 16Veio Jesus à cidade de Nazaré, onde se tinha criado. Conforme seu costume, entrou na sinagoga no sábado, e levantou-se para fazer a leitura. 17Deram-lhe o livro do profeta Isaías. Abrindo o livro, Jesus achou a passagem em que está escrito: 18’O Espírito do Senhor está sobre mim, porque ele me consagrou com a unção para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos 19e para proclamar um ano da graça do Senhor.’ 20Depois fechou o livro, entregou-o ao ajudante, e sentou-se. Todos os que estavam na sinagoga tinham os olhos fixos nele. 21Então começou a dizer-lhes: ‘Hoje se cumpriu esta passagem da Escritura que acabastes de ouvir.’ 22Todos davam testemunho a seu respeito, admirados com as palavras cheias de encanto que saíam da sua boca. E diziam: ‘Não é este o filho de José?’ 23Jesus, porém, disse: ‘Sem dúvida, vós me repetireis o provérbio: Médico, cura-te a ti mesmo. Faze também aqui, em tua terra, tudo o que ouvimos dizer que fizeste em Cafarnaum.’ 24E acrescentou: ‘Em verdade eu vos digo que nenhum profeta é bem recebido em sua pátria. 25De fato, eu vos digo: no tempo do profeta Elias, quando não choveu durante três anos e seis meses e houve grande fome em toda a região, havia muitas viúvas em Israel. 26No entanto, a nenhuma delas foi enviado Elias, senão a uma viúva que vivia em Sarepta, na Sidônia. 27E no tempo do profeta Eliseu, havia muitos leprosos em Israel. Contudo, nenhum deles foi curado, mas sim Naamã, o sírio.’ 28Quando ouviram estas palavras de Jesus, todos na sinagoga ficaram furiosos. 29Levantaram-se e o expulsaram da cidade. Levaram-no até ao alto do monte sobre o qual a cidade estava construída, com a intenção de lançá-lo no precipício. 30Jesus, porém, passando pelo meio deles, continuou o seu caminho.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

É difícil acreditar que aquelas pessoas que conheceram Jesus, aquelas da cidade onde Ele foi criado, tenham reagido de forma tão severa ao nosso Senhor. Jesus tinha acabado de entrar na sinagoga e leu o profeta Isaías que afirmou que “o Espírito do Senhor” estava sobre ele e que ele tinha vindo para “proclamar liberdade aos cativos”. A missão de Jesus era clara. Ele era o Messias, enviado pelo Pai, em cumprimento dos ensinamentos dos profetas, mas Jesus foi rejeitado a tal ponto que o povo O expulsou da cidade e tentou jogá-Lo de um penhasco perto da cidade para matá-Lo. Novamente, é difícil compreender as emoções extremas que as pessoas experimentaram em relação a Jesus. Alguns passaram a amar Jesus com a mais profunda paixão, outros ficaram indignados com Ele e buscaram Sua vida.

Leia mais:  Liturgia Diária – Solenidade de Pentecostes – Domingo (19/05/2024)

Uma coisa que essas emoções extremas vividas por muitos deveriam nos dizer é que não podemos permanecer indiferentes a Jesus quando realmente ouvimos Suas palavras. A indiferença surge quando Jesus é ignorado. Mas quando Ele é ouvido e compreendido, fica claro que a Sua mensagem exige uma resposta. Se não O aceitarmos plenamente ao ouvirmos a Sua mensagem, seremos tentados a rejeitá-Lo e a tudo o que Ele fala.

Jesus quer fazer o mesmo conosco. Ele quer uma resposta nossa. Primeiro, Ele quer que O ouçamos, compreendamos a natureza radical da Sua mensagem e depois façamos uma escolha. Ele quer que O sigamos com paixão e zelo, que acreditemos em tudo o que Ele ensina e, como resultado, mudemos radicalmente as nossas vidas. E se não mudarmos, então as palavras de Jesus irão desafiar-nos e evocar uma resposta.

Um exemplo disso que é comum hoje em dia é a resposta forte que às vezes vem de um adolescente ou jovem adulto quando um pai amoroso os confronta quando eles começam a se desviar. Quando confrontado com amor e com a verdade, a emoção é muitas vezes evocada e despertada. Mas isso nem sempre é ruim. A tentação por parte dos pais é recuar e fazer concessões. Mas não foi isso que Jesus fez com as pessoas da cidade. Ele falou a verdade em amor e aceitou a resposta deles. Assim é com aqueles em nossas vidas. Às vezes, devemos falar a verdade dura, mas amorosa, que os outros precisam ouvir, mesmo sabendo que eles irão atacar. No final, desafiá-los com compaixão e verdade poderá conquistá-los. Não sabemos o que aconteceu às pessoas da cidade que naquele dia tentaram matar Jesus por raiva, mas é perfeitamente possível que a emoção extrema que experimentaram eventualmente os tenha levado à verdade.

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sábado (18/05/2024)

Reflita hoje sobre a coragem e o amor que Jesus teve ao confrontar e desafiar diretamente os seus próprios habitantes da cidade pela sua falta de fé. Tente entender que o desafio que Jesus lhes fez foi uma misericórdia que Ele lhes ofereceu para tirá-los da indiferença. Em sua vida, existem maneiras pelas quais você precisa ser desafiado? Há coisas às quais você reagiu fortemente e até mesmo com uma forma de raiva? Tente se ver como uma daquelas pessoas da cidade que ficou furiosa com nosso Senhor. Esteja aberto a qualquer maneira pela qual você tenha reagido negativamente ao que Jesus falou com você. Considere, também, quaisquer maneiras pelas quais Jesus possa querer usá-lo para transmitir Sua mensagem clara de amor a outra pessoa, mesmo que você saiba que ela pode não ser recebida imediatamente. Ore por coragem, compaixão, clareza e amor para que você seja capaz de imitar Jesus enquanto Ele procurava tirar aqueles de Sua própria cidade natal da indiferença que estavam experimentando.

Oração do Dia

Meu Senhor desafiador, Você deseja que todos os Seus filhos se voltem para Ti de todo o coração. Seus castigos são atos de misericórdia destinados a nos tirar da indiferença. Por favor, fale comigo as verdades que preciso ouvir hoje e use-me para compartilhar Sua santa palavra com outras pessoas, especialmente com os de minha própria família. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *