Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (12/04/2024)

Homilia do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária de Sexta-feira, 12 de abril de 2024.

Acompanhe diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Confira as Leituras com a Reflexão do Evangelho de Hoje e Oração do dia. Acompanhe a Liturgia do dia no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 5,34-42)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 34 um fariseu chamado Gamaliel, levantou-se no Sinédrio. Era mestre da Lei e todo o povo o estimava. Gamaliel mandou que os acusados saíssem por um instante.

35 Depois disse: “Homens de Israel, vede bem o que estais para fazer contra esses homens. 36 Algum tempo atrás apareceu Teudas, que se fazia passar por uma pessoa importante, e a ele se juntaram cerca de quatrocentos homens. Depois ele foi morto e todos os que o seguiam debandaram, e nada restou.

37 Depois dele, no tempo do recenseamento, apareceu Judas, o galileu, que arrastou o povo atrás de si. Contudo, também ele morreu e todos os seus seguidores se dispersaram. 38 Quanto ao que está acontecendo agora, dou-vos um conselho: não vos preocupeis com esses homens e deixai-os ir embora. Porque, se este projeto ou esta atividade é de origem humana será destruído. 39 Mas, se vem de Deus, vós não conseguireis eliminá-los. Cuidado para não vos pordes em luta contra Deus!” E os membros do Sinédrio aceitaram o parecer de Gamaliel.

40 Chamaram então os apóstolos, mandaram açoitá-los, proibiram que eles falassem em nome de Jesus, e depois os soltaram. 41 Os apóstolos saíram do Conselho muito contentes por terem sido considerados dignos de injúrias, por causa do nome de Jesus. 42 E cada dia, no Templo e pelas casas, não cessavam de ensinar e anunciar o evangelho de Jesus Cristo.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 26 (27)

— Ao Senhor eu peço apenas uma coisa: habitar no santuário do Senhor.

— O Senhor é minha luz e salvação; de quem eu terei medo? O Senhor é a proteção da minha vida; perante quem eu temerei?

— Ao Senhor eu peço apenas uma coisa, e é só isto que eu desejo: habitar no santuário do Senhor por toda a minha vida; saborear a suavidade do Senhor e contemplá-lo no seu templo.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (29/05/2024)

— Sei que a bondade do Senhor eu hei de ver na terra dos viventes. Espera no Senhor e tem coragem, espera no Senhor!

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 6,1-15)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— O homem não vive somente de pão, mas de toda palavra da boca de Deus. (Mt 4,4b)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 1 Jesus foi para o outro lado do mar da Galileia, também chamado de Tiberíades. 2 Uma grande multidão o seguia, porque via os sinais que ele operava a favor dos doentes. 3 Jesus subiu ao monte e sentou-se aí, com seus discípulos. 4 Estava próxima a Páscoa, a festa dos judeus.

5 Levantando os olhos, e vendo que uma grande multidão estava vindo ao seu encontro, Jesus disse a Filipe: “Onde vamos comprar pão para que eles possam comer?” 6 Disse isso para pô-lo à prova, pois ele mesmo sabia muito bem o que ia fazer. 7Filipe respondeu: “Nem duzentas moedas de prata bastariam para dar um pedaço de pão a cada um”.

8 Um dos discípulos, André, o irmão de Simão Pedro, disse: 9 “Está aqui um menino com cinco pães de cevada e dois peixes. Mas o que é isso para tanta gente?” 10 Jesus disse: “Fazei sentar as pessoas”. Havia muita relva naquele lugar, e lá se sentaram, aproximadamente, cinco mil homens.

11 Jesus tomou os pães, deu graças e distribuiu-os aos que estavam sentados, tanto quanto queriam. E fez o mesmo com os peixes. 12 Quando todos ficaram satisfeitos, Jesus disse aos discípulos: “Recolhei os pedaços que sobraram, para que nada se perca!”

13 Recolheram os pedaços e encheram doze cestos com as sobras dos cinco pães, deixadas pelos que haviam comido. 14 Vendo o sinal que Jesus tinha realizado, aqueles homens exclamavam: “Este é verdadeiramente o Profeta, aquele que deve vir ao mundo”. 15 Mas, quando notou que estavam querendo levá-lo para proclamá-lo rei, Jesus retirou-se de novo, sozinho, para o monte.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (27/05/2024)

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

O Evangelho de João está repleto de muito significado simbólico. A passagem acima conclui a história do milagre da multiplicação dos pães e dos peixes. Depois de alimentar a multidão com apenas cinco pães de cevada e dois peixes, conseguiram encher doze cestos de vime com o que restou. Qual foi o motivo do extra?

Santo Agostinho, ao comentar esta passagem, explica que Jesus forneceu mais do que o povo podia comer, como forma de representar simbolicamente verdades espirituais que estavam além do que as vastas multidões podiam compreender. Assim, os ensinamentos de Jesus nutriram espiritualmente as multidões a ponto de elas ficarem plenamente satisfeitas. Mas embora as multidões em geral estivessem satisfeitas com o que Jesus lhes ensinou, ainda havia muito mais que Ele tinha para ensinar. Estas verdades espirituais mais profundas são representadas pelas doze cestas extras.

Os doze cestos representam os Doze Discípulos. Foram eles especialmente escolhidos por Jesus para receber muito mais. Lembre-se dos tempos em que Jesus ensinava as multidões por meio de parábolas e, mais tarde, explicava o significado aos Doze em particular. Ele revelou-lhes certas verdades que a maioria das pessoas não conseguia compreender e aceitar.

É útil considerar três grupos diferentes de pessoas neste milagre e aplicar esses agrupamentos a nós hoje. O primeiro grupo de pessoas são aqueles que nem sequer estiveram presentes no milagre. Aqueles que não fizeram a jornada para estar com Jesus no deserto. Este é o maior grupo de pessoas dentro da sociedade que vivem suas vidas diárias sem sequer buscar o mínimo alimento de nosso Senhor.

O segundo grupo de pessoas é esta “grande multidão” que seguiu Jesus até o lado remoto do Mar da Galileia para estar com Ele. Estes representam aqueles que buscam diligentemente nosso Senhor todos os dias. São aqueles que são fiéis à celebração da Missa, à leitura das Escrituras, à oração e ao estudo diários. A este grupo de pessoas, Nosso Senhor ensina muitas coisas, e elas são nutridas pela Sua santa Palavra e Sacramentos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (28/05/2024)

O terceiro grupo de pessoas, os Doze Discípulos que são representados pelos Doze cestos de vime que sobraram, são aqueles que são excepcionalmente fiéis ao nosso Senhor e continuam a ser nutridos por Ele de forma superabundante. Estes são aqueles que procuram compreender e abraçar as verdades espirituais mais profundas para serem nutridos e transformados no nível mais profundo.

Reflita hoje sobre o fato de que o alimento espiritual que nosso Senhor deseja lhe oferecer é, na maioria das vezes, muito mais do que você pode aceitar e consumir imediatamente. Mas compreender esse fato é o primeiro passo para se preparar para receber ainda mais. Ao refletir sobre esta superabundância de alimento espiritual de nosso Senhor, comprometa-se novamente especialmente a buscar os “doze cestos de vime” restantes de verdades espirituais. Se o fizer, descobrirá que realmente não há fim para as profundezas transformadoras dos dons da graça que nosso Senhor deseja conceder a você.

Oração do Dia

Meu mais generoso Senhor, você não apenas dá alimento espiritual ao seu povo, você o dá em superabundância. À medida que te busco diariamente e estou cheio de Tua misericórdia, ajuda-me a nunca me cansar de festejar com o dom superabundante de Tua graça. Por favor, alimente-me, querido Senhor, e ajude-me a consumir Sua santa Palavra. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *