Liturgia Diária – 2º Domingo da Páscoa, Domingo da Divina Misericórdia (16/04/2023)

Liturgia Diária

Liturgia Diária

Liturgia Diária do 2º Domingo da Páscoa, Domingo da Divina Misericórdia, 16 de abril de 2023.

Confira diariamente a Homilia do Evangelho de Hoje dos Católicos em nosso site. Acompanhe a Liturgia de hoje com Primeira Leitura, Evangelho do dia e Oração aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 2,42-47)

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

Os que se haviam convertido 42eram perseverantes em ouvir o ensinamento dos apóstolos, na comunhão fraterna, na fração do pão e nas orações.
43E todos estavam cheios de temor por causa dos numerosos prodígios e sinais que os apóstolos realizavam. 44Todos os que abraçavam a fé viviam unidos e colocavam tudo em comum; 45vendiam suas propriedades e seus bens e repartiam o dinheiro entre todos, conforme a necessidade de cada um.
46Diariamente, todos frequentavam o Templo, partiam o pão pelas casas e, unidos, tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração. 47Louvavam a Deus e eram estimados por todo o povo. E, cada dia, o Senhor acrescentava ao seu número mais pessoas que seriam salvas.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 117 (118)

– Dai graças ao Senhor, porque Ele é bom; eterna é a sua misericórdia!

– A casa de Israel agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” A casa de Aarão agora o diga: “Eterna é a sua misericórdia!” Os que temem o Senhor agora o digam: “Eterna é a sua misericórdia!”

– Empurram-me, tentando derrubar-me, mas veio o Senhor em meu socorro. O Senhor é minha força e o meu canto, e tornou-se para mim o Salvador. “Clamores de alegria e de vitória ressoem pelas tendas dos fiéis”.

– “A pedra que os pedreiros rejeitaram/ tornou-se agora a pedra angular”. Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: Que maravilhas ele fez a nossos olhos! Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos!

2ª Leitura

Segunda Leitura (1Pd 1,3-9)

Leitura da Primeira Carta de São Pedro:

3Bendito seja Deus, Pai de nosso Senhor Jesus Cristo. Em sua grande misericórdia, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, ele nos fez nascer de novo, para uma esperança viva, 4para uma herança incorruptível, que não se mancha nem murcha, e que é reservada para vós nos céus.
5Graças à fé, e pelo poder de Deus, vós fostes guardados para a salvação que deve manifestar-se nos últimos tempos. 6Isto é motivo de alegria para vós, embora seja necessário que agora fiqueis por algum tempo aflitos, por causa de várias provações.
7Deste modo, a vossa fé será provada como sendo verdadeira — mais preciosa que o ouro perecível, que é provado no fogo — e alcançará louvor, honra e glória no dia da manifestação de Jesus Cristo.
8Sem ter visto o Senhor, vós o amais. Sem o ver ainda, nele acreditais. Isso será para vós fonte de alegria indizível e gloriosa, 9pois obtereis aquilo em que acreditais: a vossa salvação.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (28/05/2024)

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 20,19-31)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.
20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.
21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”. 22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.
24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!” Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.
26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.
27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”. 28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!” 29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”
30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e, para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Esse dia é hoje! É a Festa da Divina Misericórdia! A festa de hoje está entre as festas mais recentes em nossa Igreja. Embora o desejo de Jesus de que esta festa fosse celebrada no oitavo dia da Páscoa tenha sido falado à Irmã Maria Faustina Kowolska em 1931, não foi instituído solenemente até o ano 2000. Em 30 de abril daquele ano, o Santo Papa João Paulo II canonizou Santa Faustina e inaugurou a Festa da Divina Misericórdia como festa universal na Igreja. Sendo esta Festa tão recente na Igreja, podemos estar certos de que ainda temos muito a aprender sobre a mensagem desta Solenidade, bem como sobre as inúmeras mensagens sobre a misericórdia de Deus reveladas no Diário de Santa Faustina.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (27/05/2024)

Entre as muitas mensagens contidas em seu Diário, Jesus nos revelou que este domingo, oitavo e último dia da Oitava da Páscoa, é um dia como nenhum outro. Embora a graça e a misericórdia sejam continuamente derramadas do Céu sobre nós, Jesus deixa bem claro que o dia de hoje é único. Hoje, “todo um oceano de graças” é derramado sobre as almas que se aproximam da fonte de Sua misericórdia. Sente-se com essa imagem por um tempo. “Todo um oceano de graças.” O que isso significa?

Simbolicamente falando, um oceano inteiro destina-se a representar o infinito. Tente imaginar como seria ter todo o oceano derramado sobre você – está além da compreensão! Assim, Deus está dizendo que a infinidade da graça é dada hoje. A questão para todos nós refletirmos é esta: quão receptivo eu sou para essas graças infinitas?

Por analogia, imagine que sua vida era como um dedal e um oceano de água foi derramado sobre você. Como um dedal, você não poderia conter tudo o que foi dado. Portanto, devemos perceber que Deus quer ampliar nossa capacidade de receber Sua misericórdia mais abundantemente, ampliando nossa capacidade de misericórdia. E se sua alma fosse como um grande lago? Ainda assim, as águas do oceano não podiam ser contidas dentro daquela lagoa. O que é capaz de receber um oceano inteiro de misericórdia? Apenas um oceano pode conter um oceano. Por essa razão, Deus deseja primeiro preparar nossas almas para receber uma misericórdia infinita, transformando-nos em vasos de capacidade infinita.

Santa Teresa de Ávila, em seu clássico espiritual, “Castelos Interiores”, ensina-nos que a alma é, sim, capaz de uma capacidade infinita pelo simples fato de Deus habitar nela. A alma é como um castelo interior com muitas moradas interligadas pelas quais devemos passar para chegar à câmara central. Ela ensina que o objetivo da vida espiritual é viajar por essas várias moradas até o centro de nossas almas, onde habita o Deus infinito, para que possamos estar presentes a Ele ali. Portanto, devemos entender que nossas almas são de fato capazes de receber as águas infinitas da misericórdia, porque Deus nos criou com essa capacidade quando escolheu viver dentro de nós. A chave para ser capaz de receber plenamente essa plenitude de misericórdia é buscar o Deus infinito que habita dentro de nós. Como isso é feito?

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (29/05/2024)

O coração do caminho traçado no Diário de Santa Faustina é o seguinte: Confessar-se e receber a Sagrada Comunhão para obter o perdão total dos pecados e das penas. No entanto, como explicam muitos dos grandes escritores espirituais, como Santa Teresa de Ávila, existem muitos níveis pelos quais devemos passar em nossa jornada espiritual para poder encontrar Deus em sua plenitude. Isso, é claro, inclui encontrar a misericórdia de Deus dada a nós na Santa Ceia e na Confissão. Quem recebe esses Sacramentos morando apenas nas primeiras moradas, por exemplo, nunca se beneficiará deles tanto quanto quem mora na sétima e central morada onde o Rei habita em plenitude. Assim, a misericórdia é dada em sua plenitude, mas se não fizermos o caminho transformador para Deus através da conversão e purificação de nossas almas, nunca seremos capazes de receber o oceano de graças que Deus concede.

Reflita, hoje, sobre este oceano sendo derramado sobre você. Quanto dessa misericórdia você é capaz de receber agora em sua vida? Ao admitir humildemente sua abertura limitada à graça de Deus, saiba que Deus espera pacientemente por você, habitando em Sua plenitude profundamente dentro de você, esperando que você faça a jornada até Ele. Empenhe-se neste caminho com a oração, o jejum, a penitência, a leitura da Escritura, a celebração dos Sacramentos e a leitura espiritual. Há um oceano de plenitude de vida esperando por você. Mergulhe e permita que Sua misericórdia aprofunde sua capacidade de recebê-Lo plenamente.

Oração do Dia

Meu Senhor, Tu és a Divina Misericórdia, a fonte de toda graça e o Doador desta graça em superabundância. Agradeço-te a infinitude da tua generosidade e rezo para que a minha alma esteja mais plenamente disposta a receber-te. Por favor, expanda a capacidade da minha alma através da minha jornada contínua de purificação e conversão para que eu receba tudo o que Tu desejas conceder. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Para a comunidade católica, a liturgia é uma maneira de renovação do sacrifício de Jesus Cristo pela salvação da humanidade. A Liturgia Diária são as lembranças de Jesus e da salvação trazendo para os católicos, a reflexão que pode fazer parte de suas vidas.

A Liturgia Diária vem do grego derivado de duas palavras. A primeira palavra “Leito” que significa: público. E a segunda “Ergos” que quer dizer: aquele que faz um trabalho público para o povo. A Liturgia é tida como uma cerimônia estabelecida previamente segundo a tradição católica da igreja.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *