Liturgia Diária – 5º Domingo da Quaresma (26/03/2023)

Homilia de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária do 5º Domingo da Quaresma, 26 de março de 2023.

Receba a Liturgia do Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Homilia Diária Hoje do evangelho e Oração do dia. Leia aqui a Liturgia de hoje no site Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Ezequiel 37, 12-14

Leitura da Profecia de Ezequiel:

12Assim fala o Senhor Deus: Ó meu povo, vou abrir as vossas sepulturas e conduzir-vos para a terra de Israel; 13e quando eu abrir as vossas sepulturas e vos fizer sair delas, sabereis que eu sou o Senhor. 14Porei em vós o meu espírito, para que vivais e vos colocarei em vossa terra. Então sabereis que eu, o Senhor, digo e faço – oráculo do Senhor’.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 129 (130)

– No Senhor, toda graça e redenção!

– Das profundezas eu clamo a vós, Senhor, escutai a minha voz! Vossos ouvidos estejam bem atentos ao clamor da minha prece!

– Se levardes em conta nossas faltas, quem haverá de subsistir? Mas em vós se encontra o perdão, eu vos temo e em vós espero.

– No Senhor ponho a minha esperança, espero em sua palavra. A minh’alma espera no Senhor mais que o vigia pela aurora.

– Espere Israel pelo Senhor, pois no Senhor se encontra toda graça e copiosa redenção. Ele vem libertar a Israel de toda a sua culpa.

2ª Leitura

Segunda leitura: Romanos 8, 8-11

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 8Os que vivem segundo a carne não podem agradar a Deus. 9Vós não viveis segundo a carne, mas segundo o Espírito, se realmente o Espírito de Deus mora em vós. Se alguém não tem o Espírito de Cristo, não pertence a Cristo. 10Se, porém, Cristo está em vós, embora vosso corpo esteja ferido de morte por causa do pecado, vosso espírito está cheio de vida, graças à justiça. 11E, se o Espírito daquele que ressuscitou Jesus dentre os mortos mora em vós, então aquele que ressuscitou Jesus Cristo dentre os mortos vivificará também vossos corpos mortais por meio do seu Espírito que mora em vós.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São João 11, 1-45

– Glória a vós, ó Cristo, Verbo de Deus.

– Eu sou a ressurreição, eu sou a vida. Quem crê em mim não morrerá eternamente (Jo 11,25s).

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São João:

Naquele tempo: 1Havia um doente, Lázaro, que era de Betânia, o povoado de Maria e de Marta, sua irmã. 2Maria era aquela que ungira o Senhor com perfume e enxugara os pés dele com seus cabelos. O irmão dela, Lázaro, é que estava doente. 3As irmãs mandaram então dizer a Jesus: ‘Senhor, aquele que amas está doente.’ 4Ouvindo isto, Jesus disse: ‘Esta doença não leva à morte; ela serve para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por ela.’ 5Jesus era muito amigo de Marta, de sua irmã Maria e de Lázaro. 6Quando ouviu que este estava doente, Jesus ficou ainda dois dias no lugar onde se encontrava. 7Então, disse aos discípulos: ‘Vamos de novo à Judéia.’8Os discípulos disseram-lhe: Mestre, ainda há pouco os judeus queriam apedrejar-te, e agora vais outra vez para lá?’ 9Jesus respondeu: ‘O dia não tem doze horas? Se alguém caminha de dia, não tropeça, porque vê a luz deste mundo. 10Mas se alguém caminha de noite, tropeça, porque lhe falta a luz’. 11Depois acrescentou: ‘O nosso amigo Lázaro dorme. Mas eu vou acordá-lo.’ 12Os discípulos disseram: ‘Senhor, se ele dorme, vai ficar bom.’ 13Jesus falava da morte de Lázaro, mas os discípulos pensaram que falasse do sono mesmo. 14Então Jesus disse abertamente: ‘Lázaro está morto. 15Mas por causa de vós, alegro-me por não ter estado lá, para que creiais. Mas vamos para junto dele’. 16Então Tomé, cujo nome significa Gêmeo, disse aos companheiros: ‘Vamos nós também para morrermos com ele’. 17Quando Jesus chegou, encontrou Lázaro sepultado havia quatro dias. 18Betânia ficava a uns três quilômetros de Jerusalém. 19Muitos judeus tinham vindo à casa de Marta e Maria para as consolar por causa do irmão. 20Quando Marta soube que Jesus tinha chegado, foi ao encontro dele. Maria ficou sentada em casa. 21Então Marta disse a Jesus: ‘Senhor, se tivesses estado aqui, meu irmão não teria morrido. 22Mas mesmo assim, eu sei que o que pedires a Deus, ele to concederá.’ 23Respondeu-lhe Jesus: ‘Teu irmão ressuscitará.’ 24Disse Marta: ‘Eu sei que ele ressuscitará na ressurreição, no último dia.’ 25Então Jesus disse: ‘Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, mesmo que morra, viverá. 26E todo aquele que vive e crê em mim, não morrerá jamais. Crês isto?’ 27Respondeu ela: ‘Sim, Senhor, eu creio firmemente que tu és o Messias, o Filho de Deus, que devia vir ao mundo.’ 28Depois de ter dito isto, ela foi chamar a sua irmã, Maria, dizendo baixinho: ‘O Mestre está aí e te chama’. 29Quando Maria ouviu isso, levantou-se depressa e foi ao encontro de Jesus. 30Jesus estava ainda fora do povoado, no mesmo lugar onde Marta se tinha encontrado com ele. 31Os judeus que estavam em casa consolando-a, quando a viram levantar-se depressa e sair, foram atrás dela, pensando que fosse ao túmulo para ali chorar. 32Indo para o lugar onde estava Jesus, quando o viu, caiu de joelhos diante dele e disse-lhe: ‘Senhor, se tivesses estado aqui, o meu irmão não teria morrido.’33Quando Jesus a viu chorar, e também os que estavam com ela, estremeceu interiormente, ficou profundamente comovido, 34e perguntou: ‘Onde o colocastes?’ Responderam: ‘Vem ver, Senhor.’ 35E Jesus chorou. 36Então os judeus disseram: ‘Vede como ele o amava!’ 37Alguns deles, porém, diziam: ‘Este, que abriu os olhos ao cego, não podia também ter feito com que Lázaro não morresse?’ 38De novo, Jesus ficou interiormente comovido. Chegou ao túmulo. Era uma caverna, fechada com uma pedra. 39Disse Jesus: ‘Tirai a pedra’! Marta, a irmã do morto, interveio: ‘Senhor, já cheira mal. Está morto há quatro dias.’ 40Jesus lhe respondeu: ‘Não te disse que, se creres, verás a glória de Deus?’ 41Tiraram então a pedra. Jesus levantou os olhos para o alto e disse: ‘Pai, eu te dou graças porque me ouviste. 42Eu sei que sempre me escutas. Mas digo isto por causa do povo que me rodeia, para que creia que tu me enviaste.’ 43Tendo dito isso, exclamou com voz forte: ‘Lázaro, vem para fora!’ 44O morto saiu, atado de mãos e pés com os lençóis mortuários e o rosto coberto com um pano. Então Jesus lhes disse: ‘Desatai-o e deixai-o caminhar!’ 45Então, muitos dos judeus que tinham ido à casa de Maria e viram o que Jesus fizera, creram nele.

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sábado (18/05/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

A morte de Lázaro pode ser vista como uma representação simbólica da alma que morreu de pecado mortal. Isso é semelhante ao fato de que a lepra, doenças físicas e semelhantes também são símbolos do pecado. Por essa razão, as reações iniciais de Jesus revelam como devemos responder ao pecado grave em nossas vidas. Quando Jesus enfrentou a morte de Lázaro, “ele ficou perturbado e profundamente perturbado”, “Jesus chorou”, Ele ficou “perturbado de novo” e “clamou em alta voz”. Embora Jesus fosse Deus, Ele livremente escolheu assumir a natureza humana e experimentar emoções e paixões humanas para nos ensinar como devemos reagir. Neste caso, Ele escolheu ficar perturbado, profundamente perturbado, chorar e clamar para nos mostrar como devemos reagir ao pecado grave. O pecado grave mata o espírito. Como resultado, devemos ser profundamente afetados se cometermos ou testemunharmos um pecado grave.

Uma lição que podemos tirar dessa passagem é que quando você ou um ente querido cai em pecado grave, isso não deve ser ignorado. A impenitência final é um pecado pelo qual uma pessoa deixa de ter o remorso apropriado pelo pecado e reage a ele de maneira indiferente e casual. Esta não pode ser a nossa reação. Comece considerando o grande valor de levar o pecado a sério, reagindo a ele com paixão e emoção e clamando a Deus por perdão.

Leia mais:  Liturgia Diária – Solenidade de Pentecostes – Domingo (19/05/2024)

Quando Jesus clamou, ordenando a Lázaro que saísse da tumba, foram acrescentados os detalhes de que Lázaro saiu, mas ainda estava amarrado “de mãos e pés com faixas funerárias, e seu rosto estava envolto em um pano”. Santo Agostinho ensina que, em parte, isso simboliza todo o processo de confissão e perdão dos pecados. Primeiro, ninguém é capaz de confessar seus pecados por esforço próprio. Deve ser que eles são movidos pela graça e pelo comando de nosso Senhor para se mostrarem em seu estado vinculado a Deus. A obediência de Lázaro ao mandamento de Jesus simboliza a resposta do cristão a Deus quando chamado ao arrependimento. Quando nosso Senhor diz: “Desate-o e deixe-o ir”, isso simboliza o efeito imerecido do Sacramento da Confissão e o poder que ele tem de libertar uma pessoa não apenas de seus pecados, mas também dos efeitos contínuos desses pecados.

Nossa Igreja ensina que o pecado tem uma dupla consequência. Primeiro, ela nos impede da salvação eterna. Este efeito é remediado através da Confissão e do perdão. No entanto, há um segundo efeito chamado “punição temporal” (veja o Catecismo da Igreja Católica #1471–1473). Este “castigo” não é de Deus, mas do pecado. Significa que, quando pecamos, mesmo de forma menos grave, apegamo-nos a esse pecado e fortalecemos a permanente tentação de voltar a ele. Assim, a conversão contínua também significa que ouvimos nosso Senhor dizer: “Desamarre-o e deixe-o ir”. Isso é alcançado especialmente pela contínua conversão e crescimento na virtude.

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (17/05/2024)

Reflita, hoje, sobre o rico simbolismo encontrado na história da ressurreição de Lázaro dentre os mortos. Ao fazer isso, ouça a voz apaixonada de Jesus que chama você: “Saia!” De qual pecado Jesus está chamando você para se livrar? Identifique esse pecado e arrependa-se dele com a mesma paixão que nosso Senhor demonstra. A partir daí, considere qualquer tentação contínua com a qual você luta e qualquer apego que ainda tenha em relação a um pecado específico. Jesus deseja que você seja completamente desatado e liberto. Esteja aberto a essa graça e faça tudo o que puder para aceitá-la.

Oração do Dia

Meu misericordioso e apaixonado Senhor, Tu me ordenas, em amor, sair de todo pecado. E quando eu respondo, Tu ordenas que os efeitos dos meus pecados passados ​​sejam removidos. Por favor, liberte-me, querido Senhor, de tudo o que me prende, para que eu possa ser colocado firmemente no caminho glorioso da virtude que conduz à alegria eterna. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A Liturgia Diária é vista por muitos como o momento formal da missa católica. Mas seu verdadeiro significado é fazer com que os cristãos reflitam as palavras e praticar seus ensinamentos no dia a dia.

A liturgia nos mostra o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo, trazendo orientações de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *