Liturgia Diária – 6ª Semana da Páscoa, Sexta-feira (19/05/2023)

Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária da 6ª Semana da Páscoa, Sexta-feira, 19 de maio de 2023.

Confira diariamente o Evangelho do Dia Comentado dos Católicos em nosso site. Receba a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 18,9-18)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Estando Paulo em Corinto, 9uma noite, o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus.

12Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”.

14Paulo ia tomar a palavra, quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15Mas, como é questão de palavras, de nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16E Galião mandou-os sair do tribunal.

17Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencréia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 46 (47)

— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— Povos todos do universo, batei palmas, gritai a Deus aclamações de alegria! Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

— Os povos sujeitou ao nosso jugo e colocou muitas nações aos nossos pés. Foi ele que escolheu a nossa herança, a glória de Jacó, seu bem-amado.

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sexta-feira (12/07/2024)

— Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta. Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 16,20-23a)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos, para entrar em sua glória. (Lc 24,46.26)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20“Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo.

22Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23aNaquele dia, não me perguntareis mais nada”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Essa verdade certamente pode ser estendida a qualquer forma de angústia que experimentamos por um bom motivo. Observe que a dor sentida no parto é dor por uma boa e sagrada razão. Portanto, a dor é, de certo modo, esquecida quando a mãe vê e segura o filho recém-nascido. Esse sofrimento é esquecido no sentido de que se transforma em alegria com o nascimento de um filho.

Há muita coisa na vida que pode causar angústia. No Evangelho de hoje, Jesus continua a dizer aos seus discípulos: “Assim também vós estais angustiados”. Ele diz isso porque havia acabado de falar com eles sobre Sua vinda para o Pai e sobre o sofrimento que todos experimentariam na forma de perseguição. Mas então Ele diz a eles que depois que Ele partir e eles não O virem mais, eles O verão novamente e se alegrarão. E Ele diz: “Naquele dia, não me perguntareis mais nada”. Esta é uma linha importante para entender.

Leia mais:  Liturgia Diária – 15º Domingo do Tempo Comum (14/07/2024)

A angústia, ou qualquer forma de sofrimento, pode nos tentar a questionar nossas vidas e até a questionar Deus. É claro que depois que Jesus foi morto, os discípulos questionaram tudo. Eles estavam confusos e assustados. Tudo parecia estar perdido. Então, em menor grau, depois que Jesus ascendeu ao céu e antes de enviar o Espírito Santo, os discípulos também teriam experimentado confusão. Por que Jesus os deixou? Por que Ele não ficou mais tempo? Quem iria liderá-los agora? Essas e muitas outras perguntas semelhantes teriam surgido em suas mentes.

Assim também conosco, quando as coisas não saem como planejado, ou quando as coisas tomam um rumo doloroso em nossas vidas, podemos imediatamente questionar e até mesmo duvidar do plano perfeito de Deus. Se as coisas desmoronam por causa do nosso pecado, então o arrependimento é o remédio. Mas se as coisas desmoronam, no sentido de que a vida se torna difícil, então devemos ouvir especialmente as palavras de Jesus hoje.

Quando a angústia na vida acontece porque estamos cumprindo a vontade de Deus, devemos ver essa angústia como um meio para um bem muito maior. Assim como as dores do parto levam à dádiva de um filho, as dores de trazer à tona a vontade de Deus em nossas vidas levarão à presença do próprio Deus. A resistência do paciente é uma virtude especialmente importante neste caso. Por exemplo, a angústia de vencer um vício, ou de orar quando não temos vontade de orar, ou de perdoar alguém que nos feriu, são exemplos de angústias que se transformam em bênçãos. Muitas vezes, é difícil combater nossa própria vontade egoísta. Mas o fruto de tal batalha dentro de nós é a alegria. Há alegria encontrada na vitória sobre o pecado. A alegria é encontrada na perseverança na oração. A alegria é encontrada em cada dificuldade que enfrentamos pelo Reino de Deus. Mas a alegria nem sempre é nossa primeira experiência. Só é experimentado quando suportamos pacientemente a situação.

Leia mais:  Liturgia Diária – 14ª Semana do Tempo Comum, Sábado (13/07/2024)

Reflita, hoje, sobre qualquer forma de angústia que você está enfrentando atualmente para a glória de Deus, ou qualquer coisa que você esteja evitando porque parece difícil de fazer. Não fuja dessas dificuldades. Veja-os como um meio para um fim glorioso. Suporte as “dores de parto” da purificação e da missão para a qual Deus está chamando você, olhando além das dificuldades que você experimenta inicialmente, para que você veja o resultado final que o espera.

Oração do Dia

Meu glorioso Senhor, Tu suportaste sua paixão com virtude perfeita. Nunca vacilaste em cumprir a vontade do Pai, e o fruto da Tua perseverança foi a glória da Ressurreição. Por favor, ajuda-me a suportar pacientemente as cruzes da minha vida e dá-me esperança de ver que delas produzirás o bom fruto da alegria eterna. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até o século XVI não existia uma norma ou regra que indicava a obrigatoriedade da liturgia diária, no entanto, foram Pio V e Clemente III que implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais importância à Sagrada Escritura na liturgia.

A liturgia é formada pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e é parte de toda missa da Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, para cada dia, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura neste mesmo dia.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.