Liturgia Diária – Comemoração de Todos os Fiéis Defuntos, Quinta-feira (02/11/2023)

Liturgia Diária de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Quinta-feira, 2 de novembro de 2023.

Confira diariamente a Liturgia Diária dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho do dia e Oração do Dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Jó 19,1.23-27a)

Leitura do Livro de Jó:

1Jó tomou a palavra e disse: 23”Gostaria que minhas palavras fossem escritas e gravadas numa inscrição 24com ponteiro de ferro e com chumbo, cravadas na rocha para sempre! 25Eu sei que o meu redentor está vivo e que, por último, se levantará sobre o pó; 26e depois que tiverem destruído esta minha pele, na minha carne, verei a Deus. 27aEu mesmo o verei, meus olhos o contemplarão, e não os olhos de outros”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 22 (23)

— O Senhor é o pastor que me conduz; não me falta coisa alguma.

— Pelos prados e campinas verdejantes ele me leva a descansar. Para as águas repousantes me encaminha, e restaura as minhas forças. Ele me guia no caminho mais seguro, pela honra do seu nome.

— Mesmo que eu passe pelo vale tenebroso, nenhum mal eu temerei. Estais comigo com bastão e com cajado, eles me dão a segurança!

— Preparais à minha frente uma mesa, bem à vista do inimigo; com óleo vós ungis minha cabeça, e o meu cálice transborda.

— Felicidade e todo bem hão de seguir-me, por toda a minha vida; e, na casa do Senhor, habitarei pelos tempos infinitos.

2ª Leitura

Segunda Leitura (1Cor 15,20-24a.25-28)

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 15,20-24a.25-28

Irmãos: 20Cristo ressuscitou dos mortos como primícias dos que morreram. 21Com efeito, por um homem veio a morte e é também por um homem que vem a ressurreição dos mortos. 22Como em Adão todos morrem, assim também em Cristo todos reviverão. 23Porém, cada qual segundo uma ordem determinada: Em primeiro lugar, Cristo, como primícias; depois, os que pertencem a Cristo, por ocasião da sua vinda. 24aA seguir, será o fim, quando ele entregar a realeza a Deus-Pai. 25Pois é preciso que ele reine até que todos os seus inimigos estejam debaixo de seus pés. 26O último inimigo a ser destruído é a morte. Com efeito, “Deus pôs tudo debaixo de seus pés”. Mas, quando ele disser: “Tudo está submetido”, é claro que estará excluído dessa submissão aquele que submeteu tudo a Cristo. 28E, quando todas as coisas estiverem submetidas a ele, então o próprio Filho se submeterá àquele que lhe submeteu todas as coisas, para que Deus seja tudo em todos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Anúncio do Evangelho (Lc 12,35-40)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— É esta a vontade de quem me enviou que eu não perca nenhum dos que ele me deu, mas que eu os ressuscite no último dia. (Jo 6,39)

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 35Que vossos rins estejam cingidos e as lâmpadas acesas. 36Sede como homens que estão esperando seu senhor voltar de uma festa de casamento, para lhe abrirem, imediatamente, a porta, logo que ele chegar e bater. 37Felizes os empregados que o senhor encontrar acordados quando chegar. Em verdade eu vos digo: Ele mesmo vai cingir-se, fazê-los sentar-se à mesa e, passando, os servirá. 38E caso ele chegue à meia-noite ou às três da madrugada, felizes serão, se assim os encontrar. 39Mas ficai certos: se o dono da casa soubesse a hora em que o ladrão iria chegar, não deixaria que arrombasse a sua casa. 40Vós também, ficai preparados! Porque o Filho do Homem vai chegar na hora em que menos o esperardes”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

A Solenidade de Todos os Santos de ontem deu-nos a oportunidade de celebrar e de nos alegrar pelo fato de inúmeras pessoas que nos precederam e que agora desfrutam das glórias do Céu. Estas almas fiéis viveram vidas fundamentadas na graça de Deus e foram totalmente purificadas de todos os pecados. Eles agora olham para o nosso bom Deus face a face.

Hoje, comemoramos o fato de que muitos que morrem em estado de graça não estão imediatamente prontos para comparecer diante do glorioso trono de Deus e vê-Lo face a face. A única maneira de isso ser possível é se todo pecado e todo apego ao pecado forem expurgados de nossas almas. Não devemos ter nada além de pura caridade viva dentro de nós se quisermos entrar nas glórias eternas do Céu. Mas quantas pessoas morrem nesse estado?

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

A Igreja, na sua sabedoria e santidade, tem ensinado claramente ao longo dos séculos que quando uma pessoa passa deste mundo para o outro enquanto ainda está apegada a um pecado menos grave, ela precisa ser totalmente purificada para entrar no Céu. Isto é o Purgatório. O Catecismo da Igreja Católica afirma: “Todos os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas ainda imperfeitamente purificados, têm de fato a certeza da sua salvação eterna; mas depois da morte passam por uma purificação, para alcançar a santidade necessária para entrar na alegria do céu. A Igreja dá o nome de Purgatório a esta purificação final dos eleitos, que é totalmente diferente da punição dos condenados” (#1030–31a).

Para alguns, o Purgatório pode ser um pensamento assustador e até confuso. Por que Deus, em Sua infinita misericórdia, simplesmente não leva todos os nossos entes queridos que O seguiram direto para o Céu? A resposta é simples. Ele faz! E o caminho para eles para o Céu é esta incrível misericórdia da sua purificação final.

A purificação de todo apego ao pecado dentro de nossa alma é uma misericórdia além do que podemos imaginar. Através desta purificação final, Deus prepara as almas santas que morreram para uma eternidade de alegria. Mas esta purificação é necessária porque Deus, no Seu amor, não quer que nenhuma alma viva eternamente com um pequeno apego ao pecado. Deus quer que todos nós sejamos livres. A verdade é que cada pecado da nossa alma, mesmo o menor, é motivo suficiente para sermos excluídos do Céu. Portanto, o Purgatório deve ser visto como uma misericórdia final de Deus, pela qual Ele alivia até o último fardo que nos impede do amor perfeito, para que a nossa eternidade seja de máxima liberdade e êxtase. Deus quer que sejamos preenchidos apenas com a pureza do amor para sempre. Assim, ao morrermos, somos agraciados para entrar numa purificação final e intensa de todo pecado menor, para que, ao vermos Deus em toda a Sua glória, O vejamos com a perfeição a que somos chamados. O Purgatório é um dom, uma graça, uma misericórdia. Será doloroso passar por isso da mesma forma que é doloroso superar qualquer pecado. Mas o bom fruto da libertação do pecado faz com que cada purificação final que devemos suportar valha cem vezes mais.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Terça-feira (16/04/2024)

Reflita hoje sobre a verdade espiritual de que Deus quer que você seja um santo. Se você está entre os poucos que morrem em um estado em que está purificado de todos os pecados, então tenha certeza de que já completou seu purgatório na terra. Mas se você ou seus entes queridos estão entre os muitos que ainda mantêm algum pequeno apego ao pecado no momento da morte, então alegre-se porque Deus ainda não terminou com você. Antecipe com muita gratidão a purificação final que o aguarda e aguarde a liberdade que em última análise advém dessa purificação.

Oração do Dia

Meu misericordioso Senhor, desejas que a minha alma e a alma de todos os teus fiéis sejam purificadas de todo pecado, mesmo da menor imperfeição. Agradeço-Te pela misericórdia do Purgatório e rezo para que trabalhe continuamente para essa purificação aqui e agora. Rezo também por todos aqueles que me precederam e ainda precisam destes fogos purificadores. Derrama sobre eles a Tua misericórdia para que sejam contados entre os santos no Céu. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Apesar da palavra “liturgia” já ser comum na antiguidade, foi apenas depois dos séculos VIII e IX que a liturgia começou a ser utilizada pela igreja grega e passando a fazer parte da igreja católica alguns séculos depois, por volta de XVI.

A Liturgia Diária é sempre usada nas missas e existe uma liturgia para cada dia do ano. A Liturgia Diária é formada por 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Em alguns dias, também podem haver duas ou mais Leituras.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *