Liturgia Diária – Santo Estanislau, bispo e mártir – Memória – Quinta-feira (11/04/2024)

Homilia de Hoje

Liturgia Diária de Quinta-feira, 11 de abril de 2024.

Leia a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Evangelho e Oração do dia. Receba a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 5,27-33)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 27 eles levaram os apóstolos e os apresentaram ao Sinédrio. O sumo sacerdote começou a interrogá-los, 28 dizendo: “Nós tínhamos proibido expressamente que vós ensinásseis em nome de Jesus. Apesar disso, enchestes a cidade de Jerusalém com a vossa doutrina. E ainda nos quereis tornar responsáveis pela morte desse homem!”

29 Então Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens. 30 O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz. 31 Deus, por seu poder, o exaltou, tornando-o Guia Supremo e Salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. 32 E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que a Ele obedecem”. 33 Quando ouviram isto, ficaram furiosos e queriam matá-los.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmo 33 (34)

— Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido.

— Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, seu louvor estará sempre em minha boca. Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!

— Mas ele volta a sua face contra os maus, para da terra apagar sua lembrança. Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta e de todas as angústias os liberta.

— Do coração atribulado ele está perto e conforta os de espírito abatido. Muitos males se abatem sobre os justos, mas o Senhor de todos eles os liberta.

Evangelho do Dia

Evangelho (Jo 3,31-36)

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (28/05/2024)

— Aleluia, Aleluia, Aleluia.

— Acreditaste, Tomé, porque me viste. Felizes os que creem sem ter visto. (Jo 20,29)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

31 “Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32 Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33 Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 34 De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida.

35 O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36 Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

É interessante notar que as palavras do Evangelho de hoje parecem ser de São João Batista, uma vez que se inserem no contexto do seu testemunho de Jesus. Alguns comentaristas, porém, sugerem que se tratam de palavras realmente proferidas por Jesus e que o Evangelista as insere aqui como continuação do testemunho do Batista, atribuindo-as a São João. Independentemente de quem realmente pronunciou essas palavras, a frase citada acima nos dá muito sobre o que refletir, pois nos dá uma visão do próprio significado e da prática do amor verdadeiro.

O que é o amor? É um sentimento? Uma emoção? Um impulso ou desejo por algo ou alguém? É claro que a compreensão secular do amor é muito diferente da compreensão divina do amor. Muitas vezes a visão secular do amor é mais egocêntrica. “Amar” alguém ou algo é querer possuir essa pessoa ou objeto. O “amor” de uma visão secular concentra-se na atração e no desejo. Mas o amor verdadeiro, de uma perspectiva divina, é muito diferente.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (29/05/2024)

A frase citada acima nos diz duas coisas: Primeiro, somos informados de que “O Pai ama o Filho…” Mas depois nos é dada uma definição desse amor. Dizem-nos que o amor, neste caso, resulta na entrega do Pai “tudo” ao Filho. Quando consideramos a palavra “tudo” nesta passagem, fica claro que isso só pode se referir ao Pai se entregando ao Filho em totalidade. Dentro da vida do Pai, tudo significa Sua própria essência, Seu ser, Sua personalidade, todo o Seu eu divino. O Pai não diz: “Eu quero”; antes, o Pai diz: “Eu dou”. E o Filho recebe tudo o que o Pai é.

Embora esta seja uma linguagem profunda e mística, torna-se muito prática para as nossas vidas quando entendemos que o amor divino não se trata de querer, receber, desejar, sentir, etc. É sobre doar-se ao outro. E não se trata apenas de dar um pouco de si, trata-se de dar “tudo”.

Se o Pai deu tudo ao Filho, isso significa que o Pai não tem mais nada? Certamente não. A bela natureza do amor divino é que ele nunca acaba. Quanto mais alguém se entrega, mais ele tem. Assim, o dom da vida do Pai ao Filho é infinito e eterno. O Pai nunca deixa de dar e o Filho nunca deixa de receber. E quanto mais o Pai se entrega ao Filho, mais o Pai se torna a essência do próprio amor.

O mesmo acontece em nossas vidas. É fácil cair na armadilha de pensar que o amor só deve ir até certo ponto. Mas se quisermos nos esforçar para imitar e participar do amor que o Pai tem pelo Filho, então devemos também compreender que o amor consiste em dar, não em receber, e que dar deve ser uma dádiva de tudo, sem reter nada. Devemos nos entregar aos outros sem contar o custo e sem exceção.

Leia mais:  Liturgia Diária – 8ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (27/05/2024)

Reflita hoje sobre sua visão do amor. Olhe para isso de uma perspectiva prática ao pensar nas pessoas a quem você é especialmente chamado a amar com um amor divino. Você entende seu dever de se entregar completamente a eles? Você percebe que se entregar não resultará na perda de sua vida, mas na realização dela? Reflita sobre o amor divino que o Pai tem pelo Filho e faça hoje a escolha radical e santa de se esforçar para imitar e participar desse mesmo amor.

Oração do Dia

Meu amoroso Senhor, o Pai deu tudo a Você, e Você, por sua vez, deu tudo ao Pai. O amor que Você compartilha é infinito e eterno, transbordando na vida de todas as Suas criaturas. Atraia-me para esse amor divino, querido Senhor, e ajude-me a imitar e compartilhar Seu amor, entregando plenamente minha vida aos outros. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

A Liturgia Diária é vista por muitos como sendo um rito que traz uma certa formalização da missa, mas o verdadeiro significado é exatamente o contrário. A liturgia vem para fazer com que os cristãos reflitam as palavras e busquem trazê-las para a sua vida e para os seu dia a dia como forma de viver a Palavra de Deus não apenas na missa mas também na vida cotidiana.

A liturgia vem mostrar o Mistério Pascal da Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. A liturgia vem nos trazer orientações de como devemos pensar e agir conforme a Palavra de Deus.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *