Liturgia Diária – São Roque González, Santo Afonso Rodriguez e São João de Castilho, Sábado (19/11/2022)

Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Sábado, 19 de novembro de 2022.

Confira diariamente o Evangelho do Dia Comentado dos Católicos em nosso site. Receba a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Ap 11,4-12)

Leitura do Livro do Apocalipse de São João.

Disseram a mim, João: 4Essas duas testemunhas são as duas oliveiras e os dois candelabros, que estão diante do Senhor da terra. 5Se alguém quiser fazer-lhes mal, um fogo sairá da boca delas e devorará seus inimigos. Sim, se alguém quiser fazer-lhes mal, é assim que vai morrer. 6Elas têm o poder de fechar o céu, de modo que não caia chuva alguma enquanto durar a sua missão profética. Elas têm também o poder de transformar as águas em sangue. E quantas vezes elas quiserem, podem ferir a terra com todo o tipo de praga. 7Quando elas terminarem o seu testemunho, a besta que sobe do Abismo vai combater contra elas, vai vencê-las e matá-las. 8E os cadáveres das duas testemunhas vão ficar expostos na praça da grande cidade, que se chama, simbolicamente, Sodoma e Egito, e na qual foi crucificado também o Senhor delas. 9Gente de todos os povos, raças, línguas e nações, verão seus cadáveres durante três dias e meio, e não deixarão que os corpos sejam sepultados. 10Os habitantes da terra farão festa pela morte das testemunhas; felicitar-se-ão e trocarão presentes, pois estes dois profetas estavam incomodando os habitantes da terra. 11Depois dos três dias e meio, um sopro de vida veio de Deus, penetrou nos dois profetas e eles ficaram de pé. Todos aqueles que os contemplavam, ficaram com muito medo. 12Ouvi então uma voz forte vinda do céu e chamando os dois: “Subi para aqui!” Eles subiram ao céu, na nuvem, enquanto os inimigos ficaram olhando.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3º Domingo da Páscoa (14/04/2024)

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Salmos 143

Bendito seja o Senhor, meu rochedo!

— Bendito seja o Senhor, meu rochedo, que adestrou minhas mãos para a luta, e os meus dedos treinou para a guerra!

— Ele é meu amor, meu refúgio, libertador, fortaleza e abrigo; é meu escudo: é nele que espero, ele submete as nações a meus pés.

— Um canto novo, meu Deus, vou cantar-vos, nas dez cordas da harpa louvar-vos, a vós que dais a vitória aos reis e salvais vosso servo Davi.

Evangelho do Dia

Evangelho (Lc 20,27-40)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Jesus Cristo Salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis. (2Tm 1,10)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 27aproximaram-se de Jesus alguns saduceus, que negam a ressurreição, 28e lhe perguntaram: “Mestre, Moisés deixou-nos escrito: se alguém tiver um irmão casado e este morrer sem filhos, deve casar-se com a viúva a fim de garantir a descendência para o seu irmão. 29Ora, havia sete irmãos. O primeiro casou e morreu, sem deixar filhos. 30Também o segundo 31e o terceiro se casaram com a viúva. E assim os sete: todos morreram sem deixar filhos. 32Por fim, morreu também a mulher. 33Na ressurreição, ela será esposa de quem? Todos os sete estiveram casados com ela”.

34Jesus respondeu aos saduceus: “Nesta vida, os homens e as mulheres casam-se, 35mas os que forem julgados dignos da ressurreição dos mortos e de participar da vida futura, nem eles se casam nem elas se dão em casamento; 36e já não poderão morrer, pois serão iguais aos anjos, serão filhos de Deus, porque ressuscitaram.

Leia mais:  Liturgia Diária – 2ª Semana da Páscoa – Sábado (13/04/2024)

37Que os mortos ressuscitam, Moisés também o indicou na passagem da sarça, quando chama o Senhor ‘o Deus de Abraão, o Deus de Isaac e o Deus de Jacó’. 38Deus não é Deus dos mortos, mas dos vivos, pois todos vivem para ele”. 39Alguns doutores da Lei disseram a Jesus: “Mestre, tu falaste muito bem”. 40E ninguém mais tinha coragem de perguntar coisa alguma a Jesus.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

E os saduceus apresentam a Jesus um cenário difícil para prendê-lo. Eles apresentam a história de sete irmãos que morrem sem deixar filhos. Depois que cada um morre, o próximo toma a esposa do primeiro irmão como sua. A pergunta que eles fazem é esta: “Na ressurreição, de quem será esta mulher?” Eles perguntam isso para enganar Jesus porque, como afirma a passagem acima, os saduceus negam a ressurreição dos mortos.

Jesus, claro, dá-lhes a resposta explicando que o casamento é desta era e não da era da Ressurreição. Sua resposta enfraquece sua tentativa de prendê-lo, e os escribas, que acreditam na ressurreição dos mortos, aplaudem sua resposta.

Uma coisa que esta história nos revela é que a Verdade é perfeita e não pode ser superada. A Verdade sempre vence! Jesus, ao afirmar a verdade, desmascara a insensatez dos saduceus. Ele mostra que nenhuma artimanha humana pode minar a Verdade.

Esta é uma lição importante para aprendermos, pois se aplica a todos os aspectos da vida. Podemos não ter a mesma pergunta que os saduceus, mas não há dúvida de que, ao longo da vida, nos depararemos com perguntas difíceis. Nossas perguntas podem não estar ali como forma de prender Jesus ou desafiá-lo, mas inevitavelmente as teremos.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Segunda-feira (15/04/2024)

Esta história do Evangelho deve nos assegurar de que não importa sobre o que estejamos confusos, há uma resposta. Não importa o que deixamos de entender, se buscarmos a Verdade, descobriremos a Verdade.

Reflita, hoje, sobre o que mais o desafia em sua jornada de fé. Talvez seja uma questão sobre a vida após a morte, ou sobre sofrimento, ou criação. Talvez seja algo profundamente pessoal. Ou talvez você não tenha gasto tempo suficiente ultimamente para fazer perguntas ao nosso Senhor. Seja qual for o caso, busque a Verdade em todas as coisas e peça ao Senhor sabedoria para que você possa entrar cada dia mais profundamente na fé.

Oração do Dia

Senhor, desejo saber tudo o que revelaste. Desejo entender as coisas que são mais confusas e desafiadoras na vida. Ajude-me a cada dia a aprofundar minha fé em Ti e minha compreensão de Sua Verdade. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até o século XVI não existia uma norma ou regra que indicava a obrigatoriedade da liturgia diária, no entanto, foram Pio V e Clemente III que implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais importância à Sagrada Escritura na liturgia.

A liturgia é formada pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e é parte de toda missa da Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, para cada dia, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura neste mesmo dia.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *