Liturgia Diária – São Tomás de Aquino, presbítero e doutor, Sábado (28/01/2023)

Reflexão do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Sábado, 28 de janeiro de 2023.

Confira todos os dias a Liturgia de Hoje dos Católicos em nosso site. Acompanhe as Leituras, o Salmo do dia e o Evangelho Hoje com reflexão. Leia aqui a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (Hb 11,1-2.8-19)

Leitura da Carta aos Hebreus.
Irmãos, 1A fé é um modo de já possuir o que ainda se espera, a convicção acerca de realidades que não se veem. 2Foi a fé que valeu aos antepassados um bom testemunho. 8Foi pela fé que Abraão obedeceu à ordem de partir para uma terra que devia receber como herança, e partiu, sem saber para onde ia. 9Foi pela fé que ele residiu como estrangeiro na terra prometida, morando em tendas com Isaac e Jacó, os coerdeiros da mesma promessa. 10Pois esperava a cidade alicerçada que tem Deus mesmo por arquiteto e construtor. 11Foi pela fé também que Sara, embora estéril e já de idade avançada, se tornou capaz de ter filhos, porque considerou fidedigno o autor da promessa. 12É por isso também que de um só homem, já marcado pela morte, nasceu a multidão “comparável às estrelas do céu e inumerável como a areia das praias do mar”. 13Todos estes morreram na fé. Não receberam a realização da promessa, mas a puderam ver e saudar de longe e se declararam estrangeiros e migrantes nesta terra. 14Os que falam assim demonstram que estão buscando uma pátria, 15e se se lembrassem daquela que deixaram, até teriam tempo de voltar para lá. 16Mas agora, eles desejam uma pátria melhor, isto é, a pátria celeste. Por isto, Deus não se envergonha deles, ao ser chamado o seu Deus. Pois preparou mesmo uma cidade para eles. 17Foi pela fé que Abraão, posto à prova, ofereceu Isaac; ele, o depositário da promessa, sacrificava o seu filho único, 18do qual havia sido dito: “É em Isaac que uma descendência levará o teu nome”. 19Ele estava convencido de que Deus tem poder até de ressuscitar os mortos, e assim recuperou o filho — o que é também um símbolo.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Responsório Lc 1,69-70.71-72.73-75 (R. cf. 68)

— Bendito seja o Senhor Deus de Israel, porque a seu povo visitou e libertou!

— Fez surgir um poderoso Salvador na casa de Davi, seu servidor, como falara pela boca de seus santos, os profetas desde os tempos mais antigos.

— Para salvar-nos do poder dos inimigos e da mão de todos quantos nos odeiam. Assim mostrou misericórdia a nossos pais, recordando a sua santa Aliança.

— E o juramento a Abraão, o nosso pai, de conceder-nos que, libertos do inimigo, a ele nós sirvamos sem temor em santidade e em justiça diante dele, enquanto perdurarem nossos dias.

Evangelho do Dia

Evangelho (Mc 4,35-41)

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Deus o mundo tanto amou, que lhe deu seu próprio Filho, para que todo o que nele crer, encontre vida eterna. (Jo 3,16)

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

35Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse a seus discípulos: “Vamos para a outra margem!” 36Eles despediram a multidão e levaram Jesus consigo, assim como estava na barca. Havia ainda outras barcas com ele. 37Começou a soprar uma ventania muito forte e as ondas se lançavam dentro da barca, de modo que a barca já começava a se encher. 38Jesus estava na parte de trás, dormindo sobre um travesseiro. Os discípulos o acordaram e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” 39Ele se levantou e ordenou ao vento e ao mar: “Silêncio! Cala-te!” O vento cessou e houve uma grande calmaria. 40Então Jesus perguntou aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” 41Eles sentiram um grande medo e diziam uns aos outros: “Quem é este, a quem até o vento e o mar obedecem?”

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (19/04/2024)

— Palavra da Salvação

— Glória a vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Ao longo de nossas vidas, podemos ter certeza de que em algum momento enfrentaremos uma tempestade. Não apenas uma tempestade física, mas espiritual. Pode vir na forma de um evento trágico, uma ferida profunda infligida por outro, os efeitos de nosso próprio pecado ou alguma outra experiência dolorosa. E para muitas pessoas, isso acontecerá mais de uma vez.

Quando tal “tempestade” é encontrada na vida, pode parecer que Jesus está “dormindo” e não está prontamente disponível para nos ajudar. Quando isso acontece, a mensagem do Evangelho acima é muito útil para ponderar em oração.

Na continuação desta passagem do Evangelho, lemos que os discípulos, em pânico, acordaram Jesus e disseram: “Mestre, estamos perecendo e tu não te importas?” Jesus levantou-se, dirigiu-se à tempestade e disse: “Silêncio! Cala-te!” e tudo estava calmo. Ele então disse aos discípulos: “Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?” Os discípulos ficaram maravilhados.

A chave é a fé. Quando enfrentamos uma tempestade na vida, devemos ter fé. Mas o que isso significa? Significa que devemos saber, com profunda certeza, que Jesus, de fato, está sempre conosco. Devemos saber, com profunda certeza, que se nEle colocarmos toda a nossa confiança e esperança, Ele nunca nos abandonará. Devemos saber, com profunda certeza, que toda tempestade acabará por passar e que a paz e a calma virão.

Enfrentar as tempestades da vida com fé é transformador. E muitas vezes Jesus parece estar dormindo por um motivo. A razão é que Ele quer que confiemos. Muitas vezes voltamos nossos olhos para a própria tempestade e permitimos que o medo e a ansiedade dominem nossas vidas. Mas toda tempestade que encontramos é uma oportunidade de confiar Nele em um nível novo e mais profundo. Se a vida fosse sempre fácil e consoladora, teríamos poucos motivos para confiar profundamente. Portanto, toda tempestade deve ser vista como uma oportunidade para uma tremenda graça, pois colocamos toda a nossa confiança em Jesus, apesar de como as coisas aparecem imediatamente.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

Reflita, hoje, sobre quão profunda e sustentadora é sua própria fé em Cristo. Você confia Nele, não importa o quê? Você é capaz de confiar nEle quando tudo parece perdido, quando a vida é difícil e quando a confusão o tenta? Prepare-se, agora, para a próxima tempestade que você pode enfrentar e resolva usar essa oportunidade como um momento em que sua fé se manifesta e se torna a força estabilizadora de sua vida.

Oração do Dia

Meu Senhor adormecido, ajude-me a sempre colocar toda a minha confiança em Ti, não importa quais sejam as circunstâncias da minha vida a cada momento. Fortaleça minha fé, especialmente durante os momentos em que enfrento desafios e tentações. Que eu nunca duvide que Tu estás comigo, guiando-me e mantendo-me perto do Teu misericordioso Coração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até o século XVI não existia uma padronização para a liturgia diária, portanto, não tinha uma norma que caracterizava a sua obrigatoriedade. Porém, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E foi através do Concílio Vaticano II que a Liturgia teve a sua mais recente atualização.

A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura. A liturgia é formada pela primeira e segunda leitura, salmo e o evangelho do dia, fazendo parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *