Liturgia Diária – 29º Domingo do Tempo Comum (22/10/2023)

Evangelho do Dia de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Domingo, 22 de outubro de 2023.

Receba diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso portal. Saiba aqui qual o Evangelho de Hoje e leia a reflexão da Liturgia aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Isaías 45, 1.4-6

Leitura do Livro do Profeta Isaías:

1Isto diz o Senhor sobre Ciro, seu Ungido: ‘Tomei-o pela mão para submeter os povos ao seu domínio, dobrar o orgulho dos reis, abrir todas as portas à sua marcha, e para não deixar trancar os portões. 4Por causa de meu servo Jacó, e de meu eleito Israel, chamei-te pelo nome; reservei-te, e não me reconheceste. 5Eu sou o Senhor, não existe outro: fora de mim não há deus. Armei-te guerreiro, sem me reconheceres, 6para que todos saibam, do oriente ao ocidente, que fora de mim outro não existe. Eu sou o Senhor, não há outro.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 95 (96)

– Ó família das nações, dai ao Senhor poder e glória!

– Cantai ao Senhor Deus um canto novo, cantai ao Senhor Deus, ó terra inteira! manifestai a sua glória entre as nações, e entre os povos do universo seus prodígios!

– Pois Deus é grande e muito digno de louvor, é mais terrível e maior que os outros deuses, porque um nada sóo os deuses dos pagãos. Foi o Senhor e nosso Deus quem fez os céus.

– Ó família das nações, dai ao Senhor, ó nações, dai ao Senhor poder e glória, dai-lhe a glória que é devida ao seu nome! Oferecei um sacrifício nos seus átrios.

– Adorai-o no esplendor da santidade, terra inteira, estremecei diante dele! Publicai entre as nações: ‘Reina o Senhor!’ pois os povos ele julga com justiça.

2ª Leitura

Segunda leitura: Tessalonicenses 1, 1-5

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

1Paulo, Silvano e Timóteo, à igreja dos tessalonicenses, reunida em Deus Pai e no Senhor Jesus Cristo: a vós, graça e paz! 2Damos graças a Deus por todos vós, lembrando-vos sempre em nossas orações. 3Diante de Deus, nosso Pai, recordamos sem cessar a atuação da vossa fé, o esforço da vossa caridade e a firmeza da vossa esperança em nosso Senhor Jesus Cristo. 4Sabemos, irmãos amados por Deus, que sois do número dos escolhidos. 5bPorque o nosso evangelho não chegou até vós somente por meio de palavras, mas também mediante a força que é o Espírito Santo; e isso, com toda a abundância.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 22, 15-21

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– Como astros no mundo, vós resplandeçais, mensagem de vida ao mundo anunciando; da vida a Palavra, com fé, proclameis, quais astros luzentes no mundo brilheis (Fl 2,15s);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 15Os fariseus fizeram um plano para apanhar Jesus em alguma palavra. 16Então mandaram os seus discípulos, junto com alguns do partido de Herodes, para dizerem a Jesus: ‘Mestre, sabemos que és verdadeiro e que, de fato, ensinas o caminho de Deus. Não te deixas influenciar pela opinião dos outros, pois não julgas um homem pelas aparências. 17Dize-nos, pois, o que pensas: É lícito ou não pagar imposto a César?’ 18Jesus percebeu a maldade deles e disse: ‘Hipócritas! Por que me preparais uma armadilha? 19Mostrai-me a moeda do imposto!’ Trouxeram-lhe então a moeda. 20E Jesus disse: ‘De quem é a figura e a inscrição desta moeda?’ 21Eles responderam: ‘De César.’ Jesus então lhes disse: ‘Dai pois a César o que é de César, e a Deus o que é de Deus.’

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Já foi dito que “o inimigo do meu inimigo é meu amigo”. Em outras palavras, duas pessoas que são inimigas uma da outra muitas vezes se unirão se virem uma oportunidade de atacar conjuntamente um inimigo ainda maior. Isto é o que estava acontecendo no Evangelho de hoje. Jesus era considerado o maior inimigo dos fariseus e dos herodianos, e ambos os grupos se uniram numa conspiração para prender Jesus, embora não gostassem muito um do outro.

Os fariseus eram muito nacionalistas e observadores rigorosos da Lei de Moisés. A opinião deles era que o povo não deveria pagar impostos aos romanos, e muitas pessoas concordaram. Os herodianos apoiavam os romanos e, portanto, apoiavam Herodes, o governante judeu nomeado pelo imperador romano. Uma das responsabilidades de Herodes era obter impostos dos judeus para uso do governo romano. Aqueles que se opunham ao pagamento de impostos aos romanos poderiam até ser condenados à morte.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

Este questionamento conjunto de Jesus tinha um objetivo: colocá-lo em apuros. Se Jesus dissesse que era ilegal pagar impostos a César, os soldados de Herodes poderiam prendê-lo. Se Jesus dissesse que o povo deveria pagar impostos a César, os fariseus poderiam virar o povo contra Ele. Parecia ser uma questão de perder ou perder colocada a Jesus. É claro que a resposta de Jesus foi perfeita. Sem violar a Lei de Deus, Ele também se absteve de violar a lei civil. Ao ouvir Sua resposta, todos os que O ouviram “ficaram maravilhados e, deixando-o, foram embora”.

A lição aprendida nesta passagem é especialmente importante para ser aplicada à vida familiar. É muito comum que surjam conflitos de vez em quando entre pessoas próximas. Quando isso acontece, muitas vezes podemos tentar encurralar a outra pessoa e enganá-la com nosso raciocínio enganoso. Quando isso acontece entre duas pessoas, a conversa muitas vezes se transforma em uma disputa de gritos, com cada parte buscando apenas criticar a outra. A solução para tais situações é simples. Todo conflito deve ser resolvido pela verdade. Jesus fez isso perfeitamente. Ele não atacou quando foi atacado. Ele não se defendeu irracionalmente. Ele não se esquivou do confronto. Ele não manipulou a verdade em seu próprio benefício. Em vez disso, Ele falou aberta e honestamente toda a verdade e recusou-se a envolver seus oponentes em suas trapaças.

Considere esta questão. E se você estivesse na posição de Jesus e os fariseus viessem até você e lhe fizessem esta pergunta? O que você ficaria tentado a responder? Muito provavelmente, você tentaria respondê-los de uma forma que os apaziguasse. Você pode sussurrar: “Não deveríamos pagar os impostos, mas não diga isso aos herodianos”. E se os herodianos lhe fizessem essa pergunta, você poderia ficar tentado a dar uma resposta diferente que os acalmasse.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Sexta-feira (19/04/2024)

Muitas vezes, quando sentimos que outra pessoa está tentando nos prender, nos condenar ou nos desafiar, ficamos mais preocupados com a nossa defesa do que com a verdade honesta. Podemos ficar com medo de dizer qualquer coisa que lhes dê motivos para nos atacar. Seremos tentados a distorcer as nossas respostas em vez de falar francamente com sinceridade e honestidade. Isso nunca resolverá um conflito. A única maneira de resolver qualquer coisa é com a verdade.

Reflita hoje sobre como você trabalha para resolver conflitos quando eles surgem. Você é mais parecido com os fariseus e herodianos, cujo único objetivo era enganar, armadilhar e vencer? Você vê o outro como inimigo nesses momentos? Ou você se esforça para ser como Jesus, que não se esquivou da conversa, respondendo de forma honesta e direta? É claro que a verdade foi fácil para Jesus, pois Ele não tinha culpa alguma. Nas nossas vidas, a verdade pode exigir que admitamos o nosso pecado e peçamos desculpa quando confrontados. No entanto, se a verdade, a verdade plena e nada mais que a verdade for o nosso objetivo, então as nossas conversas imitarão Jesus e, na maioria das vezes, uma resolução pacífica resultará.

Oração do Dia

Meu verdadeiro Senhor, Sua sabedoria é perfeita e Suas palavras são a verdade. Por favor, dê-me os dons da sabedoria e de toda a verdade, especialmente quando surgirem conflitos. Nesses momentos, por favor, evite que eu reaja de forma raivosa e defensiva para que eu possa sempre ser um instrumento da unidade que Tu desejas. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Por volta do século XVI, a liturgia diária não tinha uma padronização ou norma, mas, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo toda a sua importância à Sagrada Escritura.

A liturgia é definida pela primeira leitura, segunda leitura, além do evangelho e salmo do dia. A Liturgia do Dia faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica e é única para cada dia do ano. Sendo assim, todas as igrejas católicas realizam a mesma leitura naquele dia determinado.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *