Liturgia Diária – 32º Domingo do Tempo Comum (12/11/2023)

Homilia do Evangelho de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Domingo, 12 de novembro de 2023.

Acompanhe diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso site. Confira as Leituras com a Reflexão do Evangelho de Hoje e Oração do dia. Acompanhe a Liturgia do dia no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Sabedoria 6, 12-16

Leitura do Livro da Sabedoria:

12A Sabedoria é resplandecente e sempre viçosa. Ela é facilmente contemplada por aqueles que a amam, e é encontrada por aqueles que a procuram. 13Ela até se antecipa, dando-se a conhecer aos que a desejam. 14Quem por ela madruga não se cansará, pois a encontrará sentada à sua porta. 15Meditar sobre ela é a perfeição da prudência; e quem ficar acordado por causa dela em breve há de viver despreocupado. 16Pois ela mesma sai à procura dos que a merecem, cheia de bondade, aparece-lhes nas estradas e vai ao seu encontro em todos os seus projetos.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 62 (63)

– A minha alma tem sede de vós, e vos deseja, ó Senhor.

– Sois vós, ó Senhor, o meu Deus! Desde a aurora ansioso vos busco! A minha alma tem sede de vós, minha carne também vos deseja, como terra sedenta e sem água!

– Venho, assim, contemplar-vos no templo, para ver vossa glória e poder. Vosso amor vale mais do que a vida: e por isso meus lábios vos louvam.

– Quero, pois vos louvar pela vida, e elevar para vós minhas mãos! A minha alma será saciada, como em grande banquete de festa; cantará a alegria em meus lábios.

– Penso em vós no meu leito, de noite, nas vigílias suspiro por vós! Para mim fostes sempre um socorro; de vossas asas à sombra eu exulto!

2ª Leitura

Tessalonicenses 4, 13-18

Leitura da Primeira Carta de São Paulo aos Tessalonicenses:

13Irmãos, não queremos deixar-vos na incerteza a respeito dos mortos, para que não fiqueis tristes como os outros, que não têm esperança. 14Se Jesus morreu e ressuscitou – e esta é nossa fé – de modo semelhante Deus trará de volta, com Cristo, os que através dele entraram no sono da morte. 15Isto vos declaramos, segundo a palavra do Senhor: nós que formos deixados com vida para a vinda do Senhor não levaremos vantagem em relação aos que morreram. 16Pois o Senhor mesmo, quando for dada a ordem, à voz do arcanjo e ao som da trombeta, descerá do céu e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. 17Em seguida, nós que formos deixados com vida seremos arrebatados com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor, nos ares. E assim estaremos sempre com o Senhor. 18Exortai-vos, pois, uns aos outros, com estas palavras.

Leia mais:  Liturgia Diária – 16º Domingo do Tempo Comum (21/07/2024)

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 25, 1-13

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

– É preciso vigiar e ficar de prontidão; em que dia o Senhor há de vir, não sabeis, não! (Mt 24,42.44);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo, disse Jesus, a seus discípulos, esta parábola: 1’O Reino dos Céus é como a história das dez jovens que pegaram suas lâmpadas de óleo e saíram ao encontro do noivo. 2Cinco delas eram imprevidentes, e as outras cinco eram previdentes. 3As imprevidentes pegaram as suas lâmpadas, mas não levaram óleo consigo. 4As previdentes, porém, levaram vasilhas com óleo junto com as lâmpadas. 5O noivo estava demorando e todas elas acabaram cochilando e dormindo. 6No meio da noite, ouviu-se um grito: `O noivo está chegando. Ide ao seu encontro!’ 7Então as dez jovens se levantaram e prepararam as lâmpadas. 8As imprevidentes disseram às previdentes: `Dai-nos um pouco de óleo, porque nossas lâmpadas estão se apagando.’ 9As previdentes responderam: `De modo nenhum, porque o óleo pode ser insuficiente para nós e para vós. É melhor irdes comprar aos vendedores’. 10Enquanto elas foram comprar óleo, o noivo chegou, e as que estavam preparadas entraram com ele para a festa de casamento. E a porta se fechou. 11Por fim, chegaram também as outras jovens e disseram: `Senhor! Senhor! Abre-nos a porta!’ 12Ele, porém, respondeu: `Em verdade eu vos digo: Não vos conheço!’ 13Portanto, ficai vigiando, pois não sabeis qual será o dia, nem a hora.

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Pode-se dizer que nossos cinco sentidos são uma janela para nossas almas. Com os nossos sentidos percebemos o mundo que nos rodeia, colocamo-lo na mente e no coração e envolvemo-lo de acordo com as decisões que tomamos. Vários Padres da Igreja dizem que as cinco virgens sábias na parábola de hoje representam aqueles que usam os seus cinco sentidos de acordo com a vontade de Deus, enquanto as cinco virgens tolas são aquelas que entregam os seus cinco sentidos a uma vida de pecado.

Leia mais:  Liturgia Diária – 16ª Semana do Tempo Comum, Terça-feira (23/07/2024)

Curiosamente, São João da Cruz ensina que a forma mais elevada de comunicação com Deus ocorre quando os nossos cinco sentidos são silenciados e tudo o que aprendemos através deles é obscurecido para que Deus possa comunicar-se conosco de forma direta e espiritual. Mas até atingirmos esse nível de perfeição espiritual, alcançado por várias purificações da nossa alma, devemos confiar nos nossos sentidos como fonte de conhecimento, especialmente no nosso conhecimento de Deus.

Com os nossos olhos somos chamados a perceber a beleza da presença de Deus na criação, especialmente nas outras pessoas. Com os nossos ouvidos ouvimos a Palavra de Deus proclamada que ressoa em nós, inspirando o dom da fé. Nossos sentidos de olfato, paladar e tato também nos ensinarão de várias maneiras, levando-nos às delícias do Reino de Deus ou às indulgências do mundo caído.

Se as cinco virgens sábias representam o uso sagrado dos cinco sentidos, então devemos ver a ligação entre elas e o óleo para as suas lâmpadas. Muitos Padres da Igreja veem o óleo como um símbolo de boas obras ou caridade. A caridade é necessária para chegar ao Céu, para o encontro do Esposo quando Ele aparece num momento inesperado. A pessoa que se dedica à caridade é aquela que usa os dons naturais dados por Deus para Sua glória. Seus cinco sentidos estão constantemente buscando maneiras de glorificar a Deus e de realizar Sua santa vontade.

Os cinco sentidos também podem facilmente nos levar à busca egoísta dos prazeres carnais. Quando isto acontece, o óleo da caridade seca dentro de nós e não estamos preparados para o momento da nossa morte, quando o Esposo regressa.

Pense em você mesmo sendo uma virgem sábia ou tola, considerando como você usa seus cinco sentidos. O que você olha regularmente com os olhos? Você busca a presença de Deus em nosso mundo? Você O vê nos pobres, nos vulneráveis, nos solitários e nos necessitados? Ou você olha para os muitos males ao seu redor e se apaixona por eles, permitindo-se ser atraído pelas suas práticas?

Leia mais:  Liturgia Diária – Santa Maria Madalena, Segunda-feira (22/07/2024)

Com os ouvidos você escuta atentamente a Palavra de Deus? Ou você se sente atraído pelo mundo da fofoca, da difamação e de outras palavras pecaminosas que são ditas? Você satisfaz seus sentidos de tato, olfato e paladar, escolhendo um excesso de prazer, tornando-se excessivamente apegado? Ou você busca a temperança e o autocontrole, negando a si mesmo prazeres prejudiciais à saúde e pecaminosos?

Reflita hoje sobre os poderes naturais da sua própria alma, especialmente o dom dos seus cinco sentidos. Ao fazer isso, examine as maneiras como você os usa, o que você olha, ouve e se entrega. Seus sentidos são apenas uma janela para sua alma e a primeira maneira pela qual Deus fala com você e entra em seu coração. Mantenha a guarda dos seus sentidos e permita apenas a entrada das coisas boas do Céu. Fazer isso produzirá o óleo da caridade dentro de si e permitirá que você esteja perpetuamente pronto para a vinda de nosso Senhor.

Oração do Dia

Senhor da caridade perfeita, desejas falar comigo e revelar-te a mim de muitas maneiras. Oro para que eu sempre perceba Você com meus olhos e ouvidos e use todos os meus cinco sentidos para Sua glória. Por favor, liberte-me de todo apego desordenado e doentio para que eu esteja livre para me apegar completamente a Ti. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Até meados do século XVI não havia para a liturgia diária uma padronização ou norma que caracterizava a sua obrigatoriedade, no entanto, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo mais relevância à Sagrada Escritura na liturgia da palavra.

A liturgia é composta pela primeira leitura, segunda leitura, além do salmo do dia e o evangelho, e faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica. A Liturgia Diária é única para cada dia do ano, portanto, naquele dia determinado, todas as igrejas católicas se fazem da mesma leitura.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.