Liturgia Diária – 3ª Semana da Quaresma, Terça-feira (14/03/2023)

Liturgia Diária

Liturgia Diária da 3ª Semana da Quaresma, Terça-feira, 14 de março de 2023.

Receba diariamente a Liturgia do Dia dos Católicos em nosso site. Primeira Leitura, Reflexão do Evangelho do Dia com Homilia Diária e Salmo. Leia agora a Liturgia de hoje no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Daniel 3, 25.34-43

Leitura da Profecia de Daniel:

Naqueles dias: 25Azarias, parou e, de pé, começou a rezar; abrindo a boca no meio do fogo, disse: 34’Oh! não nos desampares nunca, nós te pedimos, por teu nome, não desfaças tua aliança 35nem retires de nós tua benevolência, por Abraão, teu amigo, por Isaac, teu servo, e por Israel, teu Santo, 36aos quais prometeste multiplicar a descendência como estrelas do céu e como areia que está na beira do mar; 37Senhor, estamos hoje reduzidos ao menor de todos os povos, somos hoje o mais humilde em toda a terra, por causa de nossos pecados; 38neste tempo estamos sem chefes, sem profetas, sem guia, não há holocausto nem sacrifício, não há oblação nem incenso, não há um lugar para oferecermos em tua presença as primícias, e encontrarmos benevolência; 39mas, de alma contrita e em espírito de humildade, sejamos acolhidos, e como nos holocaustos de carneiros e touros 40e como nos sacrifícios de milhares de cordeiros gordos, assim se efetue hoje nosso sacrifício em tua presença, e tu faças que nós te sigamos até ao fim; não se sentirá frustrado quem põe em ti sua confiança. 41De agora em diante, queremos, de todo o coração, seguir-te, temer-te, buscar tua face; 42não nos deixes confundidos, mas trata-nos segundo a tua clemência e segundo a tua imensa misericórdia; 43liberta-nos com o poder de tuas maravilhas e torna teu nome glorificado, Senhor’.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 24 (25)

– Recordai, Senhor, a vossa compaixão!

– Mostrai-me, ó Senhor, vossos caminhos, e fazei-me conhecer a vossa estrada! Vossa verdade me oriente e me conduza, porque sois o Deus da minha salvação.

Leia mais:  Liturgia Diária – Cátedra de São Pedro, Apóstolo - Festa, Quinta-feira (22/02/2024)

– Recordai, Senhor meu Deus, vossa ternura e a vossa compaixão que são eternas! De mim lembrai-vos, porque sois misericórdia e sois bondade sem limites, ó Senhor!

– O Senhor é piedade e retidão, e reconduz ao bom caminho os pecadores. Ele dirige os humildes na justiça, e aos pobres ele ensina o seu caminho.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 18, 21-35

– Jesus Cristo, sois bendito, sois o ungido de Deus Pai!

– Voltai ao Senhor, vosso Deus; ele é bom, compassivo e clemente (Jl 2,12s);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 21Pedro aproximou-se de Jesus e perguntou: ‘Senhor, quantas vezes devo perdoar, se meu irmão pecar contra mim? Até sete vezes?’ 22Jesus respondeu: ‘Não te digo até sete vezes, mas até setenta vezes sete. 23Porque o Reino dos Céus é como um rei que resolveu acertar as contas com seus empregados. 24Quando começou o acerto, trouxeram-lhe um que lhe devia uma enorme fortuna. 25Como o empregado não tivesse com que pagar, o patrão mandou que fosse vendido como escravo, junto com a mulher e os filhos e tudo o que possuía, para que pagasse a dívida. 26O empregado, porém, caíu aos pés do patrão, e, prostrado, suplicava: `Dá-me um prazo! e eu te pagarei tudo’. 27Diante disso, o patrão teve compaixão, soltou o empregado e perdoou-lhe a dívida. 28Ao sair dali, aquele empregado encontrou um dos seus companheiros que lhe devia apenas cem moedas. Ele o agarrou e começou a sufocá-lo, dizendo: `Paga o que me deves’. 29O companheiro, caindo aos seus pés, suplicava: `Dá-me um prazo! e eu te pagarei’. 30Mas o empregado não quis saber disso. Saiu e mandou jogá-lo na prisão, até que pagasse o que devia. 31Vendo o que havia acontecido, os outros empregados ficaram muito tristes, procuraram o patrão e lhe contaram tudo. 32Então o patrão mandou chamá-lo e lhe disse: `Empregado perverso, eu te perdoei toda a tua dívida, porque tu me suplicaste. 33Não devias tu também, ter compaixão do teu companheiro, como eu tive compaixão de ti?’ 34O patrão indignou-se e mandou entregar aquele empregado aos torturadores, até que pagasse toda a sua dívida. 35É assim que o meu Pai que está nos céus fará convosco, se cada um não perdoar de coração ao seu irmão.’

Leia mais:  Liturgia Diária – 1ª Semana da Quaresma, Sábado (24/02/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

O perdão do outro é difícil. É muito mais fácil ficar com raiva. Esta linha citada acima é a introdução à Parábola do Servo Implacável. Nessa parábola, Jesus deixa claro que, se quisermos receber o perdão de Deus, devemos perdoar os outros. Se retivermos o perdão, podemos ter certeza de que Deus o reterá de nós.

Pedro pode ter pensado que estava sendo bastante generoso em sua pergunta a Jesus. Claramente, Pedro estava considerando os ensinamentos de Jesus sobre o perdão e estava pronto para dar o próximo passo de oferecer esse perdão livremente. Mas a resposta de Jesus a Pedro deixa claro que o conceito de perdão de Pedro empalidecia muito em comparação com o perdão exigido por nosso Senhor.

A parábola que Jesus então conta nos apresenta um homem que foi perdoado de uma dívida enorme. Posteriormente, quando aquele homem encontrou uma pessoa que lhe devia uma pequena dívida, ele falhou em oferecer o mesmo perdão que lhe foi dado. Como resultado, o mestre daquele homem que foi perdoado pela enorme dívida fica indignado e exige mais uma vez o pagamento integral da dívida. E então Jesus termina a parábola com uma declaração chocante. Ele diz: “Então, com raiva, seu mestre o entregou aos torturadores até que pagasse toda a dívida. Assim fará meu Pai celestial com vocês, a menos que cada um de você perdoe seu irmão de coração”.

Leia mais:  Liturgia Diária – 1ª Semana da Quaresma, Sexta-feira (23/02/2024)

Observe que o perdão que Deus espera que ofereçamos aos outros é aquele que vem do coração. E observe que a falta de perdão de nossa parte resultará em sermos entregues “aos torturadores”. Estas são palavras sérias. Por “torturadores” devemos entender que o pecado de não perdoar o outro traz consigo muita dor interior. Quando nos apegamos à raiva, esse ato nos “tortura” de certa forma. O pecado sempre tem esse efeito sobre nós, e é para o nosso bem. É uma maneira pela qual Deus constantemente nos desafia a mudar. Assim, o único caminho para a libertação desta forma interior de tortura pelo nosso pecado é vencer esse pecado e, neste caso, vencer o pecado de negar o perdão.

Reflita, hoje, sobre o chamado que Deus lhe deu para perdoar ao máximo. Se você ainda sente raiva em seu coração em relação a outra pessoa, continue trabalhando nisso. Perdoe mais e mais. Ore por essa pessoa. Abstenha-se de julgá-los ou condená-los. Perdoe, perdoe, perdoe, e a abundante misericórdia de Deus também será dada a você.

Oração do Dia

Meu misericordioso Senhor, agradeço-Te pelas profundezas insondáveis ​​da Tua misericórdia. Eu Te agradeço por Sua disposição de me perdoar repetidas vezes. Por favor, dê-me um coração digno desse perdão, ajudando-me a perdoar todas as pessoas da mesma forma que Você me perdoou. Eu perdôo todos os que pecaram contra mim, querido Senhor. Ajude-me a continuar a fazê-lo do fundo do meu coração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Além da Liturgia Diária, é comum que nas missas o padre faça a Homilia Diária das palavras do Evangelho depois da sua leitura. Esta homilia é feita em geral por livre interpretação do celebrante.

O ponto mais importante da liturgia é o Mistério Pascal, descrevendo a Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo e a sua ascensão ao céus, ao reino de Deus.

Foto de Mundo dos Católicos

Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Não encontrou o que busca?

Faça uma busca abaixo.