Liturgia Diária – 4º Domingo da Páscoa (21/04/2024)

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Domingo, 21 de abril de 2024.

Confira diariamente a Homilia do Evangelho do Dia dos Católicos em nosso site. Acompanhe a Primeira Leitura, Evangelho do dia e Homilia do Evangelho de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Leitura dos Atos dos Apóstolos 4,8-12

Naqueles dias, Pedro, cheio do Espírito Santo, disse: “Chefes do povo e anciãos: hoje estamos sendo interrogados por termos feito o bem a um enfermo e pelo modo como foi curado. Ficai, pois, sabendo todos vós e todo o povo de Israel: é pelo nome de Jesus Cristo, de Nazaré, — aquele que vós crucificastes e que Deus ressuscitou dos mortos — que este homem está curado, diante de vós. Jesus é a pedra, que vós, os construtores, desprezastes, e que se tornou a pedra angular. Em nenhum outro há salvação, pois não existe debaixo do céu outro nome dado aos homens, pelo qual possamos ser salvos”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

– A pedra que os pedreiros rejeitaram, tornou-se agora a pedra angular.

Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! *
“Eterna é a sua misericórdia!”
É melhor buscar refúgio no Senhor, *
do que pôr no ser humano a esperança;
é melhor buscar refúgio no Senhor, *
do que contar com os poderosos deste mundo! R.

Dou-vos graças, ó Senhor, porque me ouvistes *
e vos tornastes para mim o Salvador!
A pedra que os pedreiros rejeitaram, *
tornou-se agora a pedra angular.
Pelo Senhor é que foi feito tudo isso: *
Que maravilhas ele fez a nossos olhos!

Bendito seja, em nome do Senhor, *
aquele que em seus átrios vai entrando!
Vós sois meu Deus, eu vos bendigo e agradeço! *
Vós sois meu Deus, eu vos exalto com louvores!
Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! *
“Eterna é a sua misericórdia!”

2ª Leitura

Leitura da Primeira Carta de São João 3,1-2

Caríssimos: Vede que grande presente de amor o Pai nos deu: de sermos chamados filhos de Deus! E nós o somos! Se o mundo não nos conhece, é porque não conheceu o Pai. Caríssimos, desde já somos filhos de Deus, mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é.

Leia mais:  Liturgia Diária – 10ª Semana do Tempo Comum, Sábado (15/06/2024)

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Aclamação ao Evangelho Jo 10,14

R. Aleluia, Aleluia, Aleluia.

V. Eu sou o bom pastor, diz o Senhor; eu conheço minhas ovelhas e elas me conhecem a mim.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo ♱ segundo João 10,11-18

Naquele tempo, disse Jesus: “Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida por suas ovelhas. O mercenário, que não é pastor e não é dono das ovelhas, vê o lobo chegar, abandona as ovelhas e foge, e o lobo as ataca e dispersa. Pois ele é apenas um mercenário e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor. Conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai. Eu dou minha vida pelas ovelhas. Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil: também a elas devo conduzir; escutarão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor. É por isso que o Pai me ama, porque dou a minha vida, para depois recebê-la novamente. Ninguém tira a minha vida, eu a dou por mim mesmo; tenho poder de entregá-la e tenho poder de recebê-la novamente; esta é a ordem que recebi do meu Pai”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Hoje, no Quarto Domingo da Páscoa, celebramos o Domingo do Bom Pastor. É um dia em que refletimos sobre a terna imagem de Jesus como Pastor de todos nós. É também um dia reservado para orar por mais pastores dentro da nossa Igreja que pastorearão o rebanho de Deus com o Coração de Cristo.

Nossa passagem do evangelho vem de João 10 que, em parte, é um comentário do capítulo anterior que inclui a longa e detalhada história da cura do cego. Lembre-se de que Jesus curou este homem que era cego de nascença. Ele fez esta cura “para que as obras de Deus se tornassem visíveis através dele”. Como resultado da cura deste homem, os fariseus expulsaram o cego da sinagoga, não acreditando que a cura de Jesus vinha de Deus. Depois que o homem foi expulso da sinagoga, Jesus voltou a falar com ele e ele professou a sua profunda fé em Jesus, o verdadeiro Pastor. O cego curado disse: “Eu creio, Senhor”. Então ele adorou Jesus. Assim, a maior cura deste homem foi que ele se tornou membro do rebanho de Deus, aceitando Jesus como seu verdadeiro Pastor.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11º Domingo do Tempo Comum (16/06/2024)

Nosso Evangelho de hoje é o comentário de Jesus sobre as ações dos fariseus em contraste com as Suas. Os fariseus, como líderes religiosos, não eram pastores. Eles eram “ladrões e salteadores” que vieram para “roubar, massacrar e destruir”. Jesus, porém, veio para que aqueles que ouvissem Sua voz “tenham vida e a tenham em abundância”.

A passagem evangélica citada acima explica por que os fariseus não eram verdadeiros pastores. Foi porque eles “trabalham por salário” e “não se preocupam com as ovelhas”. Pense nessa afirmação no que se refere aos fariseus e ao tratamento que dispensaram a esse homem que era cego de nascença. Em primeiro lugar, o “pagamento” pelo qual estes fariseus trabalhavam era a sua própria importância – uma recompensa passageira e mundana. Eles se viam como verdadeiros professores e intérpretes da Lei e viam qualquer um que não os seguisse como uma ameaça. Os fariseus claramente percebiam Jesus como uma grande ameaça para eles. Por isso descontaram a inveja neste humilde e simples cego. Eles não eram pastores para ele. Eles não o encorajaram, apoiaram, encaminharam-no para Deus ou agiram de qualquer forma como um instrumento da graça de Deus. Em vez disso, eles condenaram este homem inocente e santo por causa do seu orgulho.

Embora Deus nos pastoreie hoje através de Seus pastores sagrados, todos somos chamados a participar neste pastoreio do Bom Pastor à nossa maneira única. Somos chamados a liderança aqueles que estão dentro das nossas famílias, no trabalho, na escola, nas nossas vizinhanças, nos círculos sociais e em todos os outros contextos sociais. Mas muitas vezes imitamos estes fariseus, permitindo que o nosso próprio egoísmo e desejo de auto-importância interfiram na nossa capacidade de colocar os outros em primeiro lugar e amá-los com o coração do Pastor.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Segunda-feira (17/06/2024)

Reflita hoje sobre o chamado que você recebeu para dar a vida pelos outros, imitando o Bom Pastor. Para imitar este amor no Coração de Cristo, devemos amar sem procurar amor em troca. Entregar a vida é um ato de amor sacrificial que nos permite olhar apenas para as necessidades daqueles que nos rodeiam. O orgulho e o egoísmo deverão desaparecer e o bem do outro deve tornar-se o nosso único objetivo. Reflita sobre como você faz isso bem e minério para que o Bom Pastor o use para pastorear aqueles que mais precisam em sua vida.

Oração do Dia

Divino Pastor, você veio dar a sua vida por todos nós, para que possamos ter vida e tê-la em plenitude. Como o cego que você curou, eu professo minha crença em você e te adoro. Ajude-me a receber e imitar o Seu amor para que eu dê a minha vida pelos outros, conduzindo-os a Ti, seu santo Pastor. Jesus, meu Bom Pastor, confio em Ti.

A Liturgia Diária para os Católicos

A palavra “liturgia” já era comum na antiguidade, mas depois dos séculos VIII e IX é que a liturgia passou a ser usada pela igreja grega e fazendo parte da igreja católica também.

A Liturgia Diária é utilizada nas missas e existe uma liturgia diferente para cada dia do ano. A Liturgia Diária é composta por 3 partes: a Leitura, o Salmo e o Evangelho do dia. Mas em alguns dias, também podem ter duas ou mais Leituras também.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *