Liturgia Diária – São Francisco de Sales (bispo e doutor da Igreja), Terça-feira (24/01/2023)

Salmo de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Terça-feira, 24 de janeiro de 2023.

Receba aqui diariamente o Evangelho de Hoje Comentado da Liturgia em nosso site. Acompanhe o Evangelho do dia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Hebreus 10, 1-10

Leitura da Carta aos Hebreus:

Irmãos: 1A Lei possui apenas o esboço dos bens futuros e não o modelo real das coisas. Também, com os seus sacrifícios sempre iguais e sem desistência repetidos cada ano, ela é totalmente incapaz de levar à perfeição aqueles que se aproximam para oferecê-los. 2Se não fosse assim, não se teria deixado de oferecê-los, se os que prestam culto, uma vez purificados, já não tivessem nenhuma consciência dos pecados? 3Mas, ao contrário, é por meio destes sacrifícios que, anualmente, se renova a memória dos pecados, 4pois é impossível eliminar os pecados com o sangue de touros e bodes. 5Por isso, ao entrar no mundo, Cristo afirma: ‘Tu não quiseste vítima nem oferenda, mas formaste-me um corpo. 6Não foram do teu agrado holocaustos nem sacrifícios pelo pecado. 7Por isso eu disse: Eis que eu venho. No livro está escrito a meu respeito: Eu vim, ó Deus, para fazer a tua vontade.’ 8Depois de dizer: ‘Tu não quiseste nem te agradaram vítimas, oferendas, holocaustos, sacrifícios pelo pecado’ – coisas oferecidas segundo a Lei – 9ele acrescenta: ‘Eu vim para fazer a tua vontade’. Com isso, suprime o primeiro sacrifício, para estabelecer o segundo. 10É graças a esta vontade que somos santificados pela oferenda do corpo de Jesus Cristo, realizada uma vez por todas.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 39 (40)

– Eis que venho fazer, com prazer, a vossa vontade, Senhor!

– Esperando, esperei no Senhor, e inclinando-se, ouviu meu clamor. Canto novo ele pôs em meus lábios, um poema em louvor ao Senhor.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Quinta-feira (20/06/2024)

– Sacrifício e oblação não quisestes, mas abristes, Senhor, meus ouvidos; não pedistes ofertas nem vítimas, holocaustos por nossos pecados. E então eu vos disse: ‘Eis que venho!’

– Boas-novas de vossa justiça anunciei numa grande assembléia; vós sabeis: não fechei os meus lábios!

– Proclamei toda a vossa justiça, sem retê-la no meu coração; vosso auxílio e lealdade narrei. Não calei vossa graça e verdade na presença da grande assembléia.

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos 3, 31-35

– Aleluia, Aleluia, Aleluia.

– Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelaste os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11, 25);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Marcos:

Naquele tempo: 31Chegaram a mãe de Jesus e seus irmãos. Eles ficaram do lado de fora e mandaram chamá-lo. 32Havia uma multidão sentada ao redor dele. Então lhe disseram: ‘Tua mãe e teus irmãos estão lá fora à tua procura.’ 33Ele respondeu: ‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’ 34E olhando para os que estavam sentados ao seu redor, disse: ‘Aqui estão minha mãe e meus irmãos. 35Quem faz a vontade de Deus, esse é meu irmão, minha irmã e minha mãe.’

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Jesus disse muitas coisas que levaram as pessoas a parar e pensar. A passagem do Evangelho de hoje é um desses momentos. Pouco antes da passagem citada acima, Jesus foi informado de que Sua mãe e seus irmãos estavam do lado de fora procurando por Ele. Depois de ouvir isso, em vez de ir cumprimentá-los, Ele perguntou aos que estavam ao seu redor: “Quem são minha mãe e meus irmãos?” Então Ele olhou ao redor e respondeu à Sua própria pergunta com a Escritura citada acima.

Leia mais:  Liturgia Diária – Memória de São Luís Gonzaga, religioso, Sexta-feira (21/06/2024)

O que pode ter feito algumas pessoas pararem e pensarem naquele momento, e mesmo agora, quando esta passagem é lida, é que os comentários de Jesus podem facilmente ser mal interpretados. Alguns concluirão que Ele estava se distanciando de Sua própria família e que até os estava renegando até certo ponto. Mas nada poderia estar mais longe da verdade.

Em primeiro lugar, sabemos que Jesus tinha um amor perfeito por Sua querida mãe Maria e que ela amava Jesus com um amor recíproco perfeito. Quanto aos Seus “irmãos”, era comum referir-se à família extensa (como primos) como irmãos e irmãs. Portanto, esses irmãos que estavam vindo para ver Jesus eram parentes em um grau ou outro. E embora nossa Mãe Santíssima, a mãe de Jesus, fosse perfeita em todos os sentidos, a família extensa de Jesus não era. Lembre-se de que alguns deles pensaram que Jesus estava louco e tentaram impedir Seu ministério público.

Mas voltando à nossa pergunta: Jesus estava renegando os membros de sua família de alguma forma? Certamente não. Em vez disso, Ele estava estabelecendo um contexto mais profundo para Sua nova família na graça. Embora os vínculos biológicos sejam uma dádiva e devam ser respeitados e valorizados, os vínculos espirituais estabelecidos por nossa conformidade conjunta com a vontade de Deus são de muito maior importância. Jesus simplesmente apontou para este fato, elevando o vínculo familiar espiritual acima do puramente natural. Claro, também é importante ressaltar que a mãe de Jesus era antes de tudo Sua mãe, não apenas porque ela deu à luz fisicamente a Jesus, mas principalmente porque ela estava em perfeita conformidade com a vontade de Deus para com Ele e, portanto, o membro mais íntimo de Sua família pela graça. E o mesmo pode ser verdade para todos nós. Quando conformamos nossa vontade à vontade de Deus, nos tornamos a “mãe” de Jesus no sentido de que Ele entra em nosso mundo através de nós. E nos tornamos Seus “irmãos e irmãs” porque nos tornamos membros íntimos de Sua família eterna e desfrutamos de uma união profunda e espiritual com Ele.

Leia mais:  Liturgia Diária – 11ª Semana do Tempo Comum, Quarta-feira (19/06/2024)

Reflita, hoje, sobre o fato de que você foi chamado para ser muito mais do que apenas um irmão ou irmã física de Cristo Jesus. Você é chamado para a união familiar mais íntima e transformadora que se possa imaginar. E essa união é mais plenamente realizada quando você procura cumprir a vontade de Deus com todo o seu coração, mente, alma e força.

Oração do Dia

Meu querido Senhor, desejo profundamente tornar-me mais plenamente um membro de Sua família mais íntima na graça. Ajude-me a sempre me dedicar ao cumprimento completo da vontade de nosso Pai Celestial. E conforme eu conformo minha vontade mais plenamente com a do Pai, atraia-me cada vez mais para a união com Você. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Utilizada em todas as missas, a Liturgia Diária também pode ser utilizada em outros momentos ou celebrações católicas.

A igreja celebra o Mistério de Cristo todos os dias do ano, e seu ponto mais importante é o domingo. Neste dia, os católicos vão à missa como maneira de cumprir um dos Cinco Mandamentos.

Sendo assim, a Liturgia é a ação em unidade do povo de Deus. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária costuma ser comentada por seu celebrante.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *