Liturgia Diária – 16º Domingo do Tempo Comum (23/07/2023)

Evangelho do Dia de Hoje

Liturgia Diária

Liturgia Diária de Domingo, 23 de julho de 2023.

Receba diariamente a Liturgia Diária de Hoje dos Católicos em nosso portal. Saiba aqui qual o Evangelho de Hoje e leia a reflexão da Liturgia aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira leitura: Sabedoria 12, 13.16-19

Leitura do Livro da Sabedoria:

13Não há, além de ti, outro Deus que cuide de todas as coisas e a quem devas mostrar que teu julgamento não foi injusto. 16A tua força é princípio da tua justiça, e o teu domínio sobre todos te faz para com todos indulgente. 17Mostras a tua força a quem não crê na perfeição do teu poder; e nos que te conhecem, castigas o seu atrevimento. 18No entanto, dominando tua própria força, julgas com clemência e nos governas com grande consideração: pois quando quiseres, está ao teu alcance fazer uso do teu poder. 19Assim procedendo, ensinaste ao teu povo que o justo deve ser humano; e a teus filhos deste a confortadora esperança de que concedes o perdão aos pecadores.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Salmo

Salmo 85 (86)

– Ó Senhor, vós sois bom, sois clemente e fiel!

– Ó Senhor, vós sois bom e clemente, sois perdão para quem vos invoca. Escutai, ó Senhor, minha prece, o lamento da minha oração!

– As nações que criastes virão adorar e louvar vosso nome. Sois tão grande e fazeis maravilhas: vós somente sois Deus e Senhor!

– Vós, porém, sois clemente e fiel, sois amor, paciência e perdão. Tende pena e olhai para mim! Confirmai com vigor vosso servo.

2ª Leitura

Segunda leitura: Romanos 8, 26-27

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos:

Irmãos: 26Também, o Espírito vem em socorro da nossa fraqueza. Pois nós não sabemos o que pedir, nem como pedir; é o próprio Espírito que intercede em nosso favor, com gemidos inefáveis. 27E aquele que penetra o íntimo dos corações sabe qual é a intenção do Espírito. Pois é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos santos.

– Palavra do Senhor

– Graças a Deus

Evangelho do Dia

Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus 13, 24-43

– Aleluia, Aleluia, Aleluia!

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quinta-feira (18/04/2024)

-Eu te louvo, ó Pai santo, Deus do céu, Senhor da terra: os mistérios do teu reino aos pequenos, Pai, revelas! (Mt 11,25);

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Mateus:

Naquele tempo: 24Jesus contou outra parábola à multidão: ‘O Reino dos Céus é como um homem que semeou boa semente no seu campo. 25Enquanto todos dormiam, veio seu inimigo, semeou joio no meio do trigo, e foi embora. 26Quando o trigo cresceu e as espigas começaram a se formar, apareceu também o joio. 27Os empregados foram procurar o dono e lhe disseram: `Senhor, não semeaste boa semente no teu campo? Donde veio então o joio?’ 28O dono respondeu: `Foi algum inimigo que fez isso’. Os empregados lhe perguntaram: `Queres que vamos arrancar o joio?’ 29O dono respondeu: Não! pode acontecer que, arrancando o joio, arranqueis também o trigo. 30Deixai crescer um e outro até a colheita! E, no tempo da colheita, direi aos que cortam o trigo: arrancai primeiro o joio e o amarrai em feixes para ser queimado! Recolhei, porém, o trigo no meu celeiro!” 31Jesus contou-lhes outra parábola: ‘O Reino dos Céus é como uma semente de mostarda que um homem pega e semeia no seu campo. 32Embora ela seja a menor de todas as sementes, quando cresce, fica maior do que as outras plantas. E torna-se uma árvore, de modo que os pássaros vêm e fazem ninhos em seus ramos.’ 33Jesus contou-lhes ainda uma outra parábola: ‘O Reino dos Céus é como o fermento que uma mulher pega e mistura com três porções de farinha, até que tudo fique fermentado.’ 34Tudo isso Jesus falava em parábolas às multidões. Nada lhes falava sem usar parábolas, 35para se cumprir o que foi dito pelo profeta: Abrirei a boca para falar em parábolas; vou proclamar coisas escondidas desde a criação do mundo’. 36Então Jesus deixou as multidões e foi para casa. Seus discípulos aproximaram-se dele e disseram: ‘Explica-nos a parábola do joio!’ 37Jesus respondeu: Aquele que semeia a boa semente é o Filho do Homem. 38O campo é o mundo. A boa semente são os que pertencem ao Reino. O joio são os que pertencem ao Maligno. 39O inimigo que semeou o joio é o diabo. A colheita é o fim dos tempos. Os ceifadores são os anjos. 40Como o joio é recolhido e queimado ao fogo, assim também acontecerá no fim dos tempos: 41o Filho do Homem enviará os seus anjos e eles retirarão do seu Reino todos os que fazem outros pecar e os que praticam o mal; 42e depois os lançaróo na fornalha de fogo. Ali haverá choro e ranger de dentes. 43Entóo os justos brilharóo como o sol no Reino de seu Pai. Quem tem ouvidos, ouça.’

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Quarta-feira (17/04/2024)

– Palavra da Salvação

– Glória a Vós, Senhor

Reflexão da Liturgia Diária

Esta parábola teria feito muito sentido para as pessoas da época de Jesus. Era prática comum um inimigo se vingar de outro semeando uma erva daninha chamada “berbigão” junto com o trigo. À medida que o berbigão começou a crescer, parecia muito com o trigo até que o grão se formasse. E se fosse misturado com o trigo e comido, causaria fortes náuseas. Devido a isso, também era prática comum para os agricultores com inimigos ter servos vigiando seus campos depois de plantados. Portanto, esta parábola revela que os servos que deveriam vigiar falharam em seu dever.

Ao explicar esta parábola, Jesus diz: “O que semeia a boa semente é o Filho do Homem. O campo é o mundo. A boa semente são os filhos do Reino. O joio são os filhos do Maligno. O inimigo, que o semeia, é o demônio. A colheita é o fim do mundo. Os ceifadores são os anjos.” (Mateus 13:37–39). Uma tática comum do maligno é misturar sutilmente suas mentiras com a verdade. Ele sabe que se propusesse alguma mentira grave e óbvia, muitos a rejeitariam completamente. Portanto, ele tenta criar divisão e confusão sugerindo lenta e levemente seus erros de tal maneira que eles sejam mais facilmente acreditados. Portanto, “os filhos do maligno” podem ser entendidos como aqueles neste mundo que estão sob a influência do diabo, bem como as legiões de demônios que tentam semear confusão em nossas vidas e dentro da Igreja.

Uma maneira útil de ponderar essa parábola em espírito de oração é ver a si mesmo como um daqueles servos a quem foi confiada a tarefa de guardar o campo. Como o campo é o mundo, todos nós temos o dever de impedir que as mentiras do maligno floresçam. Para fazer isso, certamente devemos enfrentar os erros mais graves que encontramos. Por exemplo, a dignidade do nascituro deve ser protegida e a prática diabólica do aborto deve cessar. Além disso, devemos trabalhar para proteger a Igreja, nossas comunidades, amigos e familiares não apenas dos graves erros de nossos tempos, mas também dos mais sutis. Por exemplo, dentro da Igreja, muitas vezes surgem conflitos e confusões. Essas divisões fazem parte das mentiras sutis semeadas pelo maligno.

Leia mais:  Liturgia Diária – 3ª Semana da Páscoa – Terça-feira (16/04/2024)

Devemos também ver nossas próprias almas como o solo fértil. Certamente a Palavra de Deus foi plantada, mas muitas vezes nos permitimos acreditar em erros sutis. Isso leva a conflito interno, pecado e confusão. Portanto, devemos proteger regularmente nossas almas dessas mentiras, confiando nos ensinamentos autênticos de nossa Igreja e nos ensinamentos dos santos.

Reflita, hoje, sobre seu sagrado dever de estar vigilante e constantemente atento à semente do erro semeada em nosso mundo, na Igreja e em sua própria alma. A vigilância é fundamental. O maligno está sempre à espreita. Se quisermos aprender uma das mensagens centrais desta parábola, devemos aprender a guardar e proteger tudo o que Deus revelou e nos apegar firmemente somente à Verdade.

Oração do Dia

Gloriosa Palavra de Deus, Você semeou Sua semente de verdade em nosso mundo, dentro de Sua Igreja e em minha vida. Que eu sempre ouça a Tua Palavra e responda a ela de todo o coração. Por favor, também me revele as muitas mentiras do maligno para que eu possa rejeitá-las de todo o meu coração. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Por volta do século XVI, a liturgia diária não tinha uma padronização ou norma, mas, foram Pio V e Clemente III que a implementaram. E posteriormente, através do Concílio Vaticano II onde a Liturgia teve a sua mais recente atualização, trazendo toda a sua importância à Sagrada Escritura.

A liturgia é definida pela primeira leitura, segunda leitura, além do evangelho e salmo do dia. A Liturgia do Dia faz parte de toda missa celebrada pela Igreja Católica e é única para cada dia do ano. Sendo assim, todas as igrejas católicas realizam a mesma leitura naquele dia determinado.

Sobre o Autor

Mundo dos Católicos
Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

    0 Comentários

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *