Mundo dos Católicos

Liturgia Diária – 2º Domingo da Páscoa (24/04)

Liturgia Diária do 2º Domingo da Páscoa, 24 de abril de 2022.

Receba diariamente a Liturgia do Dia em nosso site. Primeira Leitura, Salmo de Hoje e Evangelho do dia. Acompanhe a Liturgia de hoje aqui no Mundo dos Católicos.

1ª Leitura

Primeira Leitura (At 5, 12-16)

Leitura dos Atos dos Apóstolos:

12Muitos sinais e maravilhas eram realizados entre o povo pelas mãos dos apóstolos. Todos os fiéis se reuniam, com muita união, no Pórtico de Salomão.

13Nenhum dos outros ousava juntar-se a eles, mas o povo estimava-os muito.

14Crescia sempre mais o número dos que aderiam ao Senhor pela fé; era uma multidão de homens e mulheres. 15Chegavam a transportar para as praças os doentes em camas e macas, a fim de que, quando Pedro passasse, pelo menos a sua sombra tocasse alguns deles.

16A multidão vinha até das cidades vizinhas de Jerusalém, trazendo doentes e pessoas atormentadas por maus espíritos. E todos eram curados.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Salmo

Responsório (Sl 117)

— Dai graças ao Senhor, porque ele é bom! “Eterna é a sua misericórdia!”

— A casa de Israel agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!’/ A casa de Aarão agora o diga:/ “Eterna é a sua misericórdia!”/ Os que temem o Senhor, agora o digam:/ “Eterna é a sua misericórdia!”

— “A pedra que os pedreiros rejeitaram/ tornou-se agora pedra angular./ Pelo Senhor é que foi feito tudo isso:/ Que maravilhas ele fez a nossos olhos!/ Este é o dia que o Senhor fez para nós,/ Alegremo-nos e nele exultemos!

— Ó Senhor, dai-nos a vossa salvação,/ ó Senhor,/ dai-nos também prosperidade!”/ Bendito seja, / em nome do Senhor,/ aquele que em seus átrios vai entrando!/ Desta casa do Senhor vos bendizemos./ Que o Senhor e nosso Deus nos ilumine!

2ª Leitura

Segunda Leitura (Ap 1,9-11a.12-13.17-19)

Leitura do Livro do Apocalipse de São João:

9Eu, João, vosso irmão e companheiro na tribulação, e também no reino e na perseverança em Jesus, fui levado à ilha de Patmos, por causa da Palavra de Deus e do testemunho que eu dava de Jesus.

10No dia do Senhor, fui arrebatado pelo Espírito e ouvi atrás de mim uma voz forte, como de trombeta, 11aa qual dizia: “O que vais ver, escreve-o num livro”.

12Então voltei-me para ver quem estava falando; e ao voltar-me, vi sete candelabros de ouro. 13No meio dos candelabros havia alguém semelhante a um “filho de homem”, vestido com uma túnica comprida e com uma faixa de ouro em volta do peito.

Leia mais:  Liturgia Diária - Domingo de Ramos, 28/03/2021

17Ao vê-lo, caí como morto a seus pés, mas ele colocou sobre mim sua mão direita e disse: “Não tenhas medo. Eu sou o Primeiro e o Último, 18aquele que vive. Estive morto, mas agora estou vivo para sempre. Eu tenho a chave da morte e da região dos mortos.

19Escreve pois o que viste, aquilo que está acontecendo e que vai acontecer depois”.

– Palavra do Senhor.

– Graças a Deus.

Evangelho do Dia

Anúncio do Evangelho (Jo 20,19-31)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

19Ao anoitecer daquele dia, o primeiro da semana, estando fechadas, por medo dos judeus, as portas do lugar onde os discípulos se encontravam, Jesus entrou e, pondo-se no meio deles, disse: “A paz esteja convosco”.

20Depois dessas palavras, mostrou-lhes as mãos e o lado. Então os discípulos se alegraram por verem o Senhor.

21Novamente, Jesus disse: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou, também eu vos envio”.

22E, depois de ter dito isso, soprou sobre eles e disse: “Recebei o Espírito Santo. 23A quem perdoardes os pecados, eles lhes serão perdoados; a quem os não perdoardes, eles lhes serão retidos”.

24Tomé, chamado Dídimo, que era um dos doze, não estava com eles quando Jesus veio. 25Os outros discípulos contaram-lhe depois: “Vimos o Senhor!”

Mas Tomé disse-lhes: “Se eu não vir a marca dos pregos em suas mãos, se eu não puser o dedo nas marcas dos pregos e não puser a mão no seu lado, não acreditarei”.

26Oito dias depois, encontravam-se os discípulos novamente reunidos em casa, e Tomé estava com eles. Estando fechadas as portas, Jesus entrou, pôs-se no meio deles e disse: “A paz esteja convosco”.

27Depois disse a Tomé: “Põe o teu dedo aqui e olha as minhas mãos. Estende a tua mão e coloca-a no meu lado. E não sejas incrédulo, mas fiel”.

28Tomé respondeu: “Meu Senhor e meu Deus!”

29Jesus lhe disse: “Acreditaste, porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem terem visto!”

Leia mais:  Liturgia Diária – 7ª Semana Comum, Sexta-feira (25/02)

30Jesus realizou muitos outros sinais diante dos discípulos, que não estão escritos neste livro. 31Mas estes foram escritos para que acrediteis que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais a vida em seu nome.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

Reflexão da Liturgia Diária

Que dia cheio de graça é este! É o oitavo e último dia da Oitava da Páscoa. Neste oitavo dia da Páscoa celebramos o Domingo da Divina Misericórdia. É um dia em que as comportas da misericórdia estão escancaradas e Deus nos dá mais do que jamais poderíamos esperar.

O Domingo da Divina Misericórdia é celebrado há anos como uma devoção privada. Mas no ano 2000, o Papa São João Paulo II, que foi ele próprio um instrumento extraordinário da misericórdia de Deus, colocou esta festa no calendário oficial da Igreja ao elevar a Irmã Faustina à santidade.

Santa Faustina era membro da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora da Misericórdia em Cracóvia na Polônia. Ela morreu em 1938. Ela vinha de uma família simples e pobre de agricultores, tinha apenas três anos de educação simples e desempenhava as tarefas mais humildes em seu convento. Mas ela também foi uma mística que teve o privilégio de ter muitas revelações particulares de nosso Senhor que ela registrou em seu diário da Divina Misericórdia.

Ela escreve sobre sua experiência em 22 de fevereiro de 1931:

“À noite, quando eu estava em minha cela, percebi o Senhor Jesus vestido com uma roupa branca. Uma mão estava erguida em bênção, a outra estava tocando a roupa no peito. Da abertura do manto no peito saíram dois grandes raios, um vermelho e outro pálido. Em silêncio, olhei fixamente para o Senhor; minha alma estava tomada de medo, mas também de grande alegria. Depois de um tempo, Jesus me disse: ‘pinte uma imagem de acordo com o padrão que você vê, com a inscrição: Jesus, eu confio em você.'”

Mais tarde, Jesus explicou a ela em outra visão:

“O raio pálido representa a Água que torna as almas justas; o raio vermelho representa o Sangue que é a vida das almas. Estes dois raios saíram das profundezas de Minha terníssima Misericórdia, no momento em que Meu agonizante Coração foi aberto por uma lança na Cruz… Feliz aquele que habitar em seu abrigo, pois a mão justa de Deus não colocará segure-o”.

Leia mais:  Evangelho do Dia – Quarta-feira, 16ª Semana do Tempo Comum, 21/07/2021

Jesus voltou a falar-lhe do Seu desejo de que se estabelecesse a Solenidade da Divina Misericórdia:

“Naquele dia (o 8º dia da Páscoa de cada ano) as profundezas da Minha terna misericórdia estão abertas. Derramo todo um oceano de graças sobre as almas que se aproximam da fonte da Minha misericórdia. A alma que se confessar e receber a Sagrada Comunhão obterá o perdão completo dos pecados e das penas. Nesse dia se abrem todas as comportas divinas por onde flui a graça. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, mesmo que seus pecados sejam como escarlate. Minha misericórdia é tão grande que nenhuma mente, seja de homem ou de anjo, será capaz de percebê-la por toda a eternidade”.

Ao celebrarmos o Domingo da Divina Misericórdia, reflita intensamente sobre a abundância deste dom que Deus deseja derramar sobre nós. Não há limite para o quanto somos amados por nosso Deus de perfeita misericórdia. E hoje, neste oitavo dia da Páscoa, devemos estar especialmente conscientes do fato de que as comportas do Céu estão abertas para nós em um grau inimaginável. Volte seus olhos para nosso misericordioso Senhor e esteja aberto a tudo o que Ele deseja conceder.

Oração do Dia

Senhor da Misericórdia, ajuda-me hoje a começar a entender o que é a misericórdia. Ajude-me a primeiro estar aberto à misericórdia que você deseja conceder a mim. Ao receber Tua Divina Misericórdia, ajuda-me também a ser um instrumento dessa misericórdia para que todos vejam. Jesus eu confio em vós.

A Liturgia Diária para os Católicos

Utilizada nas missas, a Liturgia Diária também pode ser utilizada em outras celebrações. E também pode ser usada em outros momentos como em Grupos de Orações ou para meditar a Palavra do Dia.

E apesar da igreja celebrar o Mistério de Cristo durante todos os dias do ano, o ponto central é o domingo. É neste dia que os católicos devem ir obrigatoriamente à missa como forma de cumprir um dos Cinco Mandamentos da Igreja Católica.

Dessa forma, a Liturgia Diária é a ação do povo de Deus em uniformidade. Durante a celebração da missa, a Liturgia Diária pode ser praticada através de gestos, sinais ou palavras.

Foto de Mundo dos Católicos

Mundo dos Católicos

Somos um portal Católico que traz diariamente a Liturgia com a reflexão do evangelho para toda a comunidade Cristã.

Patrocinado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Não encontrou o que busca?

Faça uma busca abaixo.